Banner

Banner

sábado, 14 de março de 2015

OI, Caema e Cemar são os campeões de reclamações do consumidor em 2014



A Gerência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MA) divulgou o ranking das dez empresas que mais causaram reclamações de consumidores em 2014. A Oi Fixo e a Oi Móvel foram as empresas que tiveram mais reclamações de consumidores registradas pelo Procon-MA, no ano passado, ocupando o primeiro e segundo lugar, respectivamente.
O ranking é resultado da consolidação das reclamações fundamentadas pelo Procon, cujas informações estão disponibilizadas aos interessados no site da instituição. O anúncio ocorreu nesta sexta-feira (13) durante a programação da Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento, iniciada na terça-feira (10), no São Luís Shopping. O evento foi realizado em comemoração ao Dia Mundial do Consumo, celebrado em 15 de março.
De acordo com o diretor, Duarte Júnior, o ranking do Procon é feito por critério de número de reclamações que foram consideradas procedentes pelo órgão, após análise técnica. “O nosso objetivo é diminuir gradativamente as reclamações. Para isso, nosso foco será em ações preventivas, de orientação e fiscalização, de acordo com a política de governo promovida pelo governador Flávio Dino em levar os serviços de proteção ao consumidor a todas as regiões do estado”, afirmou.
O diretor observa que é importante que o consumidor fique atento às empresas que costumam respeitar seus direitos e denunciar, às autoridades competentes, as empresas que cometem irregularidades e desrespeito aos consumidores. O Procon-MA é um órgão vinculada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP).
Lista das 10 empresas com mais reclamações em 2014*
1- Oi Fixo – 669
2- Oi Móvel – 428
3- Caema – 270
4- Cemaz – 198
5- Cemar – 192
6- Samsung – 107
7- Bradescard – 87
8-Electrolux – 73
9- Caixa Econômica Federal – 70
10- Claro Móvel – 67

*A fonte dos dados é o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec).

Nenhum comentário:

Postar um comentário