Banner

Banner

segunda-feira, 16 de março de 2015

UM MAR DE GENTE, PRA MUDAR DE PRESIDENTE

JM Cunha Santos


Lembram disso? Foi o grito de guerra da campanha das “Diretas Já”, quando uma geração inteira foi às ruas exigir o fim da ditadura e o direito ao voto, a anistia, o fim das polícias políticas, da tortura, dos atos institucionais: “Um mar de gente pra votar pra presidente”. E, entendam, agora é um mar de gente para MUDAR e não TROCAR de presidente. Não se trata de substituir a corrupção pela corrupção.
Neste domingo, nas capitais, o Brasil que saiu às ruas e o Brasil que ficou em casa gritaram seu protesto contra a corrupção, pela saída da presidente Dilma do governo e do Partido dos Trabalhadores do poder.
Por mais que se tema uma ruptura tão grave quanto o impeachment de uma presidente da República, precisamos convir que este país não tem outra saída. Com o PT no governo, a corrupção virou endemia, parece estar em quase todos os postos públicos quase o tempo todo.
As táticas usadas pelo PT, como a ocorrida no Maranhão em 2010 quando compraram delegados a 20 e 40 mil reais, na tentativa de mudar a decisão dos militantes, se espalharam como câncer em organismo terminal. E vimos se repetir agora mesmo, com diretores de sindicatos flagrados pagando 50 reais para trabalhadores famintos participarem de manifestações a favor do governo. O PT não sabe mais agir politicamente, a não ser através da corrupção.  
Essa realidade saiu das propinas pagas a partidos políticos, a deputados, senadores e ministros, a doleiros e foi parar na conta de luz, no preço do combustível, na alta insuportável do preço da comida que o povo tenta comprar nos mercados. A corrupção virou cultura política e destruiu a economia brasileira. A permanência de Dilma no governo só pode resultar em mais corrupção para garantir a volta de Lula ao governo, o homem que deu início a tudo isso quando colocou as alianças do PT com o PMDB acima dos interesses do povo e se apadrinhou com gente como Renan Calheiros, Fernando Collor e, principalmente, José Sarney.
Por mais respeito que tenhamos por nossos líderes e por mais temor do que ainda possa acontecer no Brasil, lá fora tem um mar de gente que quer punir o PT e mudar de presidente.

Um MAR de gente.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário