Banner

Banner

sexta-feira, 8 de maio de 2015

O ânimo de vencer de Edivaldo e a missão a cumprir

Editorial JP, 8 de maio
Durante encontro informal com jornalistas, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior deixou que transparecesse uma força vital para quem pretende disputar uma reeleição nas circunstâncias que ora se apresentam: o ânimo de vencer, sem o qual nenhum concorrente jamais chegou ao pódio das grandes disputas eleitorais.
A fé do prefeito na honestidade de propósitos de sua administração, a fé em Deus, que parece ser o condutor irremovível de todas as suas aspirações, sua lealdade ao governador Flávio Dino permitem que ele faça uma análise fria do atual momento, pesando os prós e os contras, que, a seu ver, o conduzirão à reeleição. Sua administração enfrenta não só problemas, como, desde sempre, a virulência do monopólio de comunicações do senador José Sarney. E sabe que não será diferente com a postulação de reeleger-se prefeito de São Luís. O poder dos ofuscantes holofotes miranteanos, calcados na novelesca e incontestável audiência da Rede Globo, parece, nos dias de hoje, entretanto, um adversário inconsistente, porque as lideranças desse grupo político estão praticamente sedadas, principalmente no que se refere à capital do Maranhão.
O fracasso do governo Roseana em quase todos os setores da vida pública, com sua imagem fulminada pelas investigações da Operação Lava Jato e por desastres administrativos do tamanho de uma Refinaria Premium e do abandono das obras da BR-135 desautorizam qualquer intentona eleitoral do grupo Sarney. E pode ser que provoque queimaduras de terceiro grau em qualquer candidatura que deles se aproximar. Com ou sem a audiência da Rede Globo.
Enquanto o Sistema Mirante aproveita os problemas da cidade e cava rejeição eleitoral para o prefeito nas ruas de São Luís, ressente-se da ausência do duto que transferia recursos públicos diretamente do tesouro estadual para os cofres do jornal O Estado do Maranhão e de sua TV. Enquanto espancam a imagem do prefeito “como quem bate em mala velha”, Edivaldo, consciente das dificuldades e dos problemas da sua gestão, conversa sobre as obras na área Itaqui-Bacanga, sobre a pavimentação do Jardim São Cristóvão,na área do Aririzal e do Pontal da Ilha, na Cohama e no Turu, sobre as máquinas que, garante ele, estarão pavimentando a maioria das avenidas e ruas de São Luís nos próximos dias, sobre a licitação do Sistema de Transportes Públicos, feitos históricos para esta cidade mesmo se contarmos todo o tempo passado desde a revolução de Bequimão.
Assim, os adversários de peso do prefeito podem estar dentro de seu próprio grupo político, não fora dele. É preciso analisar que, com toda a mídia, gulosamente abastecida por recursos públicos, o que não acontece mais, o grupo Sarney foi derrotado por Flávio Dino e que uma estratégia de comunicação do mesmo quilate e no mesmo sentido os derrotará, mais uma vez, em seu próprio campo de batalha. Mesmo porque, em São Luís, quase ninguém mais acredita no que quer que ousem publicar.
O prefeito sabe que seu grande adversário político, neste momento, é a crise econômica finalmente exposta no país, cujos efeitos mais danosos recaem sobre as administrações municipais. Mas agora ele pode contar com uma parceria do governo do estado, o que jamais aconteceu nessa cidade.

E é das realizações que ora se concluem nas áreas social, de saúde e mobilidade urbana que vem o ânimo de vencer do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Mas, para isso, terá que fazer a sua parte, tanto administrativa quanto política. Apesar das ações municipais em andamento e das previstas, São Luís ainda está cheia de problemas, e problemas que precisam estar resolvidos em grande parte quando 2016 chegar. Sob pena de todo este projeto fracassar, mesmo com toda a fé em Deus do prefeito Edivaldo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário