Banner

Banner

terça-feira, 2 de junho de 2015

Polícia federal indicia ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira


“Há 27 anos na CBF, o empresário maranhense Fernando Sarney elegeu-se vice-presidente em 2004, com a ascensão de Ricardo Teixeira ao cargo de presidente”.


PF suspeita de movimentações de R$ 464 mi feitas por Teixeira entre 2009 e 2012 (Foto: Gustavo Tilio/ Globoesporte.com)

A Polícia Federal (PF) indiciou sob suspeita de quatro crimes, o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira. O ex-dirigente é acusado de participar de ações de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsidade ideológica e falsificação de documentos. O processo corre em paralelo ao escândalo de corrupção da Fifa - que resultou na prisão de sete pessoas, entre elas outro ex-presidente da CBF, José Maria Marin. São casos diferentes. 
O pedido de indiciamento cita ainda outras quatro pessoas. Entre elas, Sandro Rosell, que foi presidente do Barcelona entre 2012 e 2014 e renunciou ao cargo após ser investigado suposto desvio de dinheiro na compra de Neymar. No inquérito da PF, ele é acusado de falsidade ideológica e falsificação de documentos.
Relatório aponta movimentações financeiras "atípicas" de Teixeira no valor de R$ 464,5 mi entre 2009 e 2012, quando ainda era presidente da CBF e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014
As informações fazem parte de um relatório produzido pela Polícia Federal em janeiro deste ano e enviado ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro. O ponto de partida para a investigação são as supostas relações de Teixeira com a empresa Ailanto Marketing, de propriedade de Sandro Rosell. É a mesma firma acusada de irregularidades na realização de um amistoso disputado no Distrito Federal entre Brasil e Portugal, em 2008. A partida custou R$ 9 milhões ao Governo do DF, dinheiro que teria sido pago sem licitação a Ailanto, criada um mês antes do jogo.
Em resposta ao GloboEsporte.com, por email, a assessoria do MPF do Rio afirmou que "as  investigações estão sob sigilo" e que nenhuma informação poderia ser passada no momento de forma oficial. A existência do pedido de indiciamento foi revelada nesta segunda-feira pela revista Época.

Nota do Blog – O empresário maranhense Fernando Sarney está na CBF desde 1988 quando ocupou o sugestivo cargo de Diretor de Relações Governamentais. Com a ascensão de Ricardo Teixeira à Presidência da CBF, Fernando Sarney foi eleito vice-presidente da entidade em 2004. É vice-presidente até hoje.

Só para constar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário