Banner

Banner

domingo, 13 de dezembro de 2015

Eleições concretizam gestão democrática na rede estadual de ensino no Maranhão


Estudante João Victor destacou importância do processo eleitoral. 
Foto: Handson Chagas/Secom
Pela primeira vez na história do Maranhão, a rede pública estadual de ensino conta com um modelo democrático de gestão educacional, consolidado com as eleições para escolha de gestores escolares ocorridas na última quinta-feira (10). Para que o novo modelo fosse implantado, o governador Flávio Dino autorizou ainda em janeiro o processo de preparação pedagógica que resultou nas eleições com a presença de milhares de maranhenses às urnas de 455 unidades escolares do estado.
O modelo democrático foi estabelecido a partir do Decreto nº 30.619, assinado no dia 2 de janeiro pelo governador Flávio Dino. O documento estabeleceu a formação qualitativa de profissionais da educação e fomentou o conhecimento e engajamento da comunidade escolar. De janeiro a novembro, foram realizados encontros formativos, debates nas escolas, videoconferências, formação continuada e exame de certificação.
A partir da intensa mobilização junto à comunidade escolar, as eleições para o cargo de gestor – diretor geral e diretor adjunto – obtiveram um número considerável de pessoas cadastradas para votação. Foram cerca de 450 mil inscritos, destes, estiveram aptos a votar 251 mil estudantes, 17 mil professores e profissionais efetivos, entre eles técnicos, secretários e vigilantes e 180 mil pais ou responsáveis por alunos.
Pais, estudantes e professores foram às urnas para escolher os gestores das escolas da rede 
estadual de ensino. Foto: Handson Chagas/Secom
Para secretária de Estado da Educação, Áurea Prazeres, este é um momento histórico com ganhos significativos para a educação maranhense. “Com a participação dos pais, estudantes e professores, estamos construindo uma escola melhor e mais democrática, na qual os conselhos possam realmente funcionar e com amplo diálogo para que ela cumpra realmente a sua função que é garantir o processo de aprendizagem de todos os estudantes”, ressalta.
As eleições foram acompanhada por cerca de 480 comissões, cada uma formada por quatro pessoas da comunidade escolar: sendo dois professores, um estudante e um pai de estudante. O Liceu Maranhense foi uma das escolas com grande participação da comunidade escolar. Aluno do 1º ano do Ensino Médio, João Victor, de 15 anos, participou da votação. O adolescente enfatizou o seletivo como uma oportunidade de aproximação e maior liberdade de comunicação direta com professores e diretores.
O candidato pela chapa do Liceu Maranhense, Deurivan Sampaio, professor desde 1993, avalia o modelo de gestão democrática como uma conquista para o sistema educacional. “Teremos um amplo espaço para a participação efetiva da comunidade escolar, fato que proporciona a tomada de decisões compartilhadas e colaboração para o avanço do ensino com vistas à melhoria dos indicadores educacionais do Maranhão”, diz.

A implantação da gestão escolar democrática no Maranhão mobilizou candidatos de 450 escolas distribuídos num total de 489 chapas, a partir de um trabalho conjunto das 19 Unidades Regionais (UREs). A assinatura do Contrato de Gestão, Posse e Nomeação dos gestores eleitos está prevista para ocorrer no dia 8 de janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário