Banner

Banner

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Governo do Maranhão desmente alucinações de Pedrosa publicadas no Estadão

                              Nota de esclarecimento
Sobre a matéria “Governo do Maranhão ‘se rendeu à lógica dos criminosos’, diz ONG”, publicada pelo Estadão, nesta terça-feira (12), o Governo do Maranhão esclarece que:
1) O Governo do Maranhão conquistou importantes resultados na melhoria do sistema penitenciário no ano de 2015. Reduziu em 66,38% o índice de fugas, e em 78,95% o índice de homicídios no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Esse presidio durante todo o ano de 2014, no governo anterior, foi notícia nacional por motins, fugas, episódios de barbárie e corrupção dos seus gestores, que chegavam a vender fugas para detentos. Felizmente, revertemos rapidamente essa situação, e isso é um dos grandes êxitos do primeiro ano do novo governo.
2)  Esse resultado foi possível porque restabelecemos a autoridade do governo no presídio, melhoramos as condições internas e a qualidade de vida dos apenados, e porque tomamos a precaução de limitar e controlar a convivencia entre presos de gangues rivais. Essa providência de gestão se mostrou acertada, diminuindo a violência e a incidência de crimes no presídio, protegendo inclusive a integridade dos apenados.
3)    A acusação de “acordo com facções” é absurda e não tem sustentação em nenhum fato. Pelo contrário, a Polícia do Maranhão aumentou o número de prisões e apreensões de drogas em 2015. Nesse primeiro ano, o Governo do Maranhão aumentou o efetivo policial, aumentou o número de prisões e tivemos uma redução dos índices de crimes violentos em 8%, acima da meta estabelecida pelo Ministério da Justiça. Essa é a verdade dos fatos e dos números.
4) Essas supostas denúncias não são verdadeiras e tem motivações exclusivamente políticas: tentar atingir a imagem de um  governo que se esforça, com trabalho e honestidade, para virar uma página de 50 anos de injustiça e domínio oligárquico no Maranhão.
São Luís, 12 de janeiro de 2016.

Governo do Estado do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário