Banner

Banner

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Grupo entregará ao Conselho de Ética 1,3 milhão de assinaturas pró-cassação de Cunha

Estadão

Organização internacional conhecida por promover abaixo-assinados virtuais e campanhas de combate à corrupção, a Avaaz entregará nesta terça-feira (26), ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, um documento simbólico com mais de 1,3 milhão de assinaturas pedindo a perda de mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Representantes da organização entregarão o documento ao presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), minutos antes do depoimento do lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, uma das testemunhas de acusação do processo por quebra de decoro parlamentar.
A campanha virtual começou em 22 de outubro e chegou ao final de 2015 com 230 mil assinaturas pedindo a cassação do mandato parlamentar do peemedebista. Logo após a sessão de votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, houve um aumento significativo de apoios, chegando a 1,2 milhão de assinaturas em quatro dias. Nesta segunda-feira, o site registrou mais de 1,3 milhão de apoios.
Coordenador de campanha da Avaaz, Diego Casaes acredita que a exposição de Cunha durante todo o processo de votação da admissibilidade do impeachment chamou a atenção do eleitorado, que se deu conta da morosidade da ação disciplinar contra o peemedebista. Ele reconheceu que a campanha não tem valor jurídico, mas de mobilização social. "A petição tem valor de pressão popular. São pessoas por trás da assinatura e que têm direito a voto", afirmou.

A campanha da Avaaz já atingiu uma das maiores mobilizações virtuais do país, ficando atrás atualmente de uma ação contra a redução da velocidade de internet fixa, que arregimentou 1,6 milhão de assinaturas. Mesmo com a entrega simbólica do abaixo-assinado, a campanha continuará aberta para adesões de internautas. Como a meta agora é reunir 2 milhões de apoios à cassação de Cunha, a expectativa é de que a mobilização possa se tornar uma das maiores do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário