Banner

Banner

terça-feira, 5 de abril de 2016

Profissionais da Força Estadual de Saúde e enfrentamento da Dengue iniciam atividades



“Nós estamos hoje avançando em dois projetos que são fundamentais para nós compreendermos o sentido da palavra mudança”. Com essa declaração, o governador Flávio Dino anunciou, na manhã desta segunda-feira (04), em solenidade no Palácio Henrique de La Rocque, o início das atividades da Força Estadual de Saúde do Maranhão (Fesma) nos 30 municípios que integram o Plano ‘Mais IDH’ e a implementação das ações do Plano de Enfrentamento da Epidemia de Dengue, Chikungunya e Zika vírus nos 217 municípios maranhenses.
Para Flávio Dino, a Fesma tem a característica fundamental de marcar uma mudança de paradigmas, com o papel fundamental de diminuir as desigualdades sociais e cumprir o preceito de justiça social. A Força Estadual de Saúde é um programa que integra o Plano ‘Mais IDH’ para reverter indicadores de saúde como morbimortalidade infantil e materna, taxas de internação por complicação de doenças crônicas e controle de endemias negligenciadas.
O governador explicou que, por meio de processo seletivo público, 120 profissionais foram contratados, treinados, capacitados e irão para as 30 cidades com menor IDH do Maranhão contribuir para a atenção básica. “Nós temos a convicção de que o engajamento desses profissionais próximos às redes municipais de saúde garantirão indicadores de saúde e de qualidade de vida mais adequados para o estado nos próximos anos”, enfatizou.
Em seu discurso, Flávio Dino destacou que os profissionais da Força estão inseridos em uma experiência pioneira que está sendo observada por todo o Brasil e pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Há uma expectativa de que isto dê certo. E depende de nós provermos os meios. Mas depende, acima de tudo, da vontade, determinação, daquele sentido missionário. Vocês terão a gratidão do povo do Maranhão”, ressaltou.
O secretário de Saúde, Marcos Pacheco, divulgou que, em 2014, 97 crianças menores de um ano morreram nos 30 municípios do ‘Mais IDH’. Em 2015, esse número caiu para 69, e a meta é que em 2016, com a atuação da Fesma, esse número tenha mais um decréscimo de 25%. “A nossa meta é que crianças não morram mais de causas evitáveis. Se assumirmos o compromisso de reduzir, vamos marcar nosso compromisso com a vida”, enfatizou.
Ele explicitou ainda que, em 2015, o Governo fez um projeto piloto da Força com seis equipes e que, a partir da exitosa experiência, o governador Flávio Dino decidiu integrar a atenção básica no Plano de Ações ‘Mais IDH’. “Nós somos o único estado do Brasil que tem aquilo que a gente chama de Força Estadual de Saúde permanente, porque os outros estados têm a Força, mas só atuam em épocas de catástrofes ou em épocas de epidemias. A nossa vai atuar permanentemente”, reiterou o secretário.

Leia mais em www.ma.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário