Banner

Banner

terça-feira, 31 de maio de 2016

Aniversário de 199 anos do Teatro Arthur Azevedo terá ópera, dança, orquestra e shows



Para celebrar o aniversário de 199 anos do Teatro Arthur Azevedo, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur), realiza nesta semana uma grande festa com cinco dias de programação gratuita e diversificada, incluindo shows musicais, peças de teatro, dança, poesia, orquestra e ópera.
A festa começa na próxima quarta-feira (1) e segue até o domingo (5) com atrações que vão ocupar não apenas o palco principal do Teatro, mas outros ambientes do prédio de estilo neoclássico inaugurado há quase 200 anos, em 1º de junho de 1817.
“São 199 anos com muitos motivos para comemorar, afinal o Teatro Arthur Azevedo é uma relíquia cultural que enriquece a nossa história, nosso presente e passado, e é isso que nos dá a dimensão da responsabilidade de preservar esse patrimônio e lutar por um futuro melhor”, afirmou o Secretário de Cultura e Turismo, Diego Galdino.
No dia de abertura, quarta-feira (1), subirá ao palco a bailarina e coreógrafa Denise Stutz, uma das mais importantes solistas da dança contemporânea brasileira. Denise Stutz apresentará o solo “Finita”, trabalho que teve como inspiração uma carta enviada pela sua mãe, esse espetáculo faz parte de uma parceria entre o aniversário do TAA e o Projeto Conexão Dança. No mesmo dia haverá show com os artistas  Samile Araújo, Jessica Gois, Camila Bouéres e Marcio Glam.
Na próxima quinta-feria (2) o público terá a oportunidade de prestigiar o espetáculo de dança “Piranha”, do ganhador do prêmio de Projeto Artístico da Associação Paulista de Críticos de Arte, Wagner Schwartz; este espetáculo também faz parte de uma parceria entre o aniversário do TAA e o Projeto Conexão Dança. Logo após teremos o show com os artistas Tiago Máci, Regiane Araújo, Tassia Campos e Tutuca.
“Planejamos também uma tarde inteira com atrações simultâneas em diversos espaços do Teatro, que irão acontecer na sexta-feira”, anunciou Brandão. Nesse dia a festa começa cedo, a partir das 14h, com cortejo saindo da Praça Deodoro até ao Teatro Arthur Azevedo. No Salão nobre, quarteto com músicos da Escola de Música do Maranhão Lilah Lisboa animará o começo da tarde enquanto no Salão Versátil se apresenta o Pianista Nilton Cruz. E nos outros espaços do Teatro os músicos da Orquestra Jovem do Maranhão João do Vale se apresentam. No final da tarde, o público poderá assistir a peça teatral “Entre a missa e o almoço”, comédia de Artur Azevedo que retrata os costumes da vida cotidiana no final do século XIX.
No Bar do teatro, a Academia Ludovicense de Letras apresentará o recital de poesia “Colhendo Poemas” e os músicos da Escola de Música Lilah Lisboa farão roda de Choro. À noite a Orquestra Jovem do Maranhão João do Vale fará a abertura do espetáculo Divertissement com bailarinos convidados.
No sábado (4) além da apresentação da peça Contos Africanos (salão versátil) com o ator Urias de Oliveira, haverá Intervenção com o Grupo Drao, Evoé com o Ator Eduardo Reis e no Palco Italiano acontecerá Stand up com Ted Mack e a comédia Pão com Ovo.
Para o Diretor do Teatro Arthur Azevedo, Celso Brandão, essa é a oportunidade de festejar ao mesmo tempo se confraternizar com artistas de todos os seguimentos na maior casa de espetáculos do Maranhão. “Para isso preparamos uma programação especial para quem curti música clássica, estarão em nosso palco o violonista Luiz Junior, O pianista Willame Belfort, a Orquestra de Violões, A orquestra de Câmara da EMEM, além da apresentação da ópera cômica “BastienandBastienne”, 1 ato de Wolfagng Amadeus Mozart na regência do maestro Wendell Kettle. O espetáculo vai encerrar a festa e tem entrada gratuita”, destaca.
História
No início do século XIX a elite maranhense ainda usufruía da riqueza vinda da produção de algodão. E foi assim que dois portugueses ricos resolveram construir um teatro. O projeto inicial era fazer o prédio com a fachada principal para o Largo do Carmo (praça João Lisboa). Entretanto os dois tiveram que enfrentar a oposição dos padres carmelitas da Igreja Nossa Senhora do Carmo que não admitiam ter como vizinhos uma casa de espetáculos profanos. E foi assim que depois de muita briga o prédio foi construído com a frente para a Rua do Sol.
No dia o dia 1º de junho de 1817 foi inaugurado com o nome de Teatro União. O primeiro espetáculo foi apresentado pela Companhia Dramática de Lisboa e durante alguns anos o Teatro foi palco de apresentações de companhias europeias, muito prestigiadas pela sociedade da época.
E foi em uma dessas apresentações que uma atriz portuguesa, em 1854, entrou em trabalho de parto em pleno camarim do Teatro. Nesse camarim nasceu Apolônia Pinto, que viria a se tornar uma das grandes atrizes do teatro brasileiro. Ainda nesse ano foi realizado o primeiro baile de máscaras de São Luís, um acontecimento inédito, que geraria intermináveis discussões e debates entre a população.

O nome Teatro Arthur Azevedo viria na segunda década do século XX em homenagem ao contista, teatrólogo, poeta e jornalista Artur Azevedo. O escritor foi o consolidador da comédia de costumes. Autor muito popular que retratou os costumes da sociedade brasileira do final da Monarquia e início da República.

Nenhum comentário:

Postar um comentário