Banner

Banner

quarta-feira, 18 de maio de 2016

BR 135: Chega de conversa

Editorial JP, 18 de maio

Foram anos e mais anos de acidentes fatais e protestos, de entraves para a economia maranhense, de audiências públicas e anônimas, de intervenções parlamentares e dizem que governamentais e a BR 135, somente agora, com o governo Flávio Dino, parece destinada à duplicação e a se tornar trafegável em trechos que são um verdadeiro suplício para quem ousa se aventurar por ela.
O que se viu acontecer nesse tempo todo foi uma inominável falta de respeito para com esse Estado e para com as autoridades do Estado, estágios permanentes de enganação, enroladas e promessas não cumpridas do Dnit e do Governo Federal. Muitas notícias ouvimos, sobre duplicações em BRs de outros estados, enquanto aqui no Maranhão a principal via de ligação de São Luís com o mundo permaneceu inacessível, perigosa e fatal. Ganhou, com muita eficácia, o apelido de “Rodovia da Morte”, mas nem isso bastou para tocar a sensibilidade dos responsáveis pela gestão das rodovias do país.
Agora, chega de conversa! O Maranhão merece respeito. Não só pelo brilho de ser Maranhão, mas também porque não temos mais aqueles governos enrolados em corrupção até o talo, ineptos e mais preocupados em encontrar brechas para superfaturamentos e desvios de recursos que em atender às necessidades imediatas da população.
A substituição de Dilma Rousseff na Presidência da República não afastou o governador Flávio Dino da intentona pela duplicação da BR 135. Na última segunda-feira, 16, esteve com o novo ministro dos Transportes, Maurício Quintela. Em pauta, o andamento da duplicação da rodovia. E declarou: “Essa é uma obra essencial para nosso estado, tanto porque é um nó para o desenvolvimento da região, como pelo impacto social causado pelos acidentes recorrentes”. Mas já se aguarda a conclusão dessas obras a tanto tempo que não se pode mais pensar somente a nível de diálogo. A questão tem que ser resolvida. A declaração do ministro Maurício Quintela, com as obras da BR em andamento, serve de alento ao Maranhão, quando diz que “Todas as obras que ampliam a capacidade de escoamento produtivo do Nordeste são prioridade para a nossa gestão”.

Esperamos que sim, que a BR 135, finalmente, inclua-se nas prioridades do Dnit. O Maranhão já ouviu muita conversa e esperou demais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário