Banner

Banner

sábado, 2 de julho de 2016

Junho registra menor número de atentados contra agências bancárias desde 2011 no MA



O registro de ocorrências a agências bancárias no mês de junho foi o menor já registrado no Maranhão desde 2011. O único registro, no dia 8, ocorreu em São Domingos do Maranhão, número que demonstra significativa queda nos registros ao longo dos meses, fruto da ação direta e efetiva da Polícia Civil na contenção destes casos.
O titular da Superintendência Especial de Investigação Criminal  (Seic), delegado Tiago Bardal, destaca que em todo o Brasil há um crescente destes casos e no Maranhão, o combate tem sido intensificado. “Verificar essa queda acentuada em nosso Estado nos deixa satisfeito, pois, significa que o planejamento e empenho das polícias têm surtido efeito e quem ganha com isso é a população”, enfatizou Bardal.
Fazendo um comparativo, o delegado lembra que nacionalmente foram seis registros só na quinta-feira, 30. Uma estratégia de trabalho da polícia local para reprimir as ocorrências é a realização de operações específicas contra esta modalidade e ações em parceria com as polícias do Pará, Piauí, Goiás, Bahia e Tocantins.
Segundo o delegado, grande parte destas quadrilhas é interestadual e a ação conjunta das polícias tem interceptado vários grupos e impedido que os crimes ocorram. “A polícia tem se unido contra este e outros crimes e só assim conseguirá impedir a ação dos criminosos”, disse Bardal.
Entre as ações de combate a esta modalidade de crime, a Seic desenvolve a operação ‘Maranhão Seguro’, com apoio da Polícia Militar, que monitora as agências nos dias de maior movimentação de dinheiro. Outro ponto destacado pelo superintendente, no planejamento, é o monitoramento mais intensificado em datas de pagamento de pessoal e nas áreas do entorno das agências.
Investigação especializada
A Seic mantém o Departamento de Combate a Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF) com equipe especializada e treinada para combater esta modalidade criminosa. O trabalho do Serviço de Inteligência na investigação também contribui para a desarticulação das quadrilhas. O departamento trabalha a abordagens em pontos estratégicos, monitoramento de grupos e pessoas suspeitas e orientação na segurança das instituições bancárias.
A orientação a comerciantes, em relação à venda de material explosivo é outro ponto do planejamento, pois as quadrilhas têm utilizado estes artefatos durante os ataques. “Como resultado das operações identificamos e prendemos chefes destes grupos, desarticulamos organizações frustrando o crime e apreendemos armas, explosivos e outros materiais”, disse o titular do DCRIF, delegado Luís Jorge.

O delegado aponta, ainda, os números positivos fruto do planejamento que vem sendo aplicado desde o ano passado e já mostrou resultados com a diminuição dos casos, em comparação a 2014. O DCRIF registrou 164 investidas a instituições financeiras em 2014 e com a execução do plano ao longo do ano de 2015, os registros caíram para 152 – uma diminuição de 7,3% no total de ocorrências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário