Banner

Banner

domingo, 31 de julho de 2016

Remuneração da rede estadual de ensino atrai professores para o Maranhão



“Sempre foi um sonho meu passar em um concurso por causa da estabilidade. E o concurso do Maranhão me chamou atenção porque percebi que o governador tem outros olhos para a educação e está realmente investindo nela, a começar pela valorização do professor, ainda mais fazendo um concurso com vagas para atendimento educacional especializado”. Essas são as palavras de Viviane Nunes Siqueira, professora de Atendimento Educacional Especializado, aprovada no último concurso.
Atualmente, os professores da Rede Estadual de Ensino do Maranhão, com licenciatura plena, em início de carreira e jornada semanal de 40 horas, recebem a segunda maior remuneração entre as redes estaduais que pagam os melhores salários do país. Com valor de R$ 4.985,44 para uma carga de 40h, o estado fica atrás apenas do Distrito Federal, como aponta a tabela salarial Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE/2016).
Sobre essas vantagens, Viviane também disse que a  remuneração e pioneirismo na oferta de vagas para educação especial foram o principal divisor de águas. Ela, que é do Distrito Federal, mudou-se com a família para o município de Matinha, após aprovação no concurso. Redes como as dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo, têm remuneração de R$ 3.184,72 e R$ 2.415,89, respectivamente.
Comparativo
A posição é ainda melhor quando o recorte é feito no nordeste. Entre os estados da região, o estado paga a maior remuneração, ficando bem à frente do segundo colocado, que é Sergipe, com R$ 2.989,64, e da Bahia, que paga R$ 2.597,52.
No Maranhão, a remuneração mensal dos professores é composta do vencimento acrescido da Gratificação de Atividade do Magistério (GAM), que corresponde a 75%, para docentes com nível médio, e 104% para nível superior, assegurada em Lei pelo Estatuto do Educador e contabilizada para aposentadoria.
“Investir na valorização do professor é fundamental para a garantia de educação pública de qualidade e o governador Flávio Dino não tem medido esforços para beneficiar, dentro do possível, a categoria. São ações que representam ganhos nos salários e atendimentos de demandas históricas como as progressões, ampliação da jornada, entre outras”, destacou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.
Investimentos
Em 18 meses de gestão, o Governo do Maranhão efetivou várias ações que resultaram em ganhos salariais concretos e históricos para os profissionais da educação. Foi concedido reajuste salarial de 13,01% a todas as referências funcionais do magistério, cobrindo quase integralmente a inflação do período, beneficiando mais de 41 mil professores, representando um impacto anual de R$ 200 milhões, além de reajuste de 15% no salário dos professores contratados.

A promoção na carreira de mais de 17,2 mil professores, beneficiados com titulação, promoções, gratificação de estímulo ou progressão também contabilizaram ganhos para a categoria, que há 20 anos aguardava pela implementação destes benefícios, que, a partir de agora, será concedido de forma automática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário