Banner

Banner

domingo, 7 de agosto de 2016

Qualificados mais de 3.500 agentes de segurança prisional



O Governo do Maranhão tem investido permanentemente na qualificação de agentes de segurança prisional. Em apenas 19 meses, a nova gestão já formou ou capacitou 3.506 agentes, entre os quais temporários e auxiliares aprovados em seletivo, e servidores efetivos do Sistema Penitenciário do Maranhão. As ações contínuas de capacitação fazem parte da política de valorização do servidor penal, proposta pelo governador Flávio Dino, que reforçam a ordem e a disciplina nas unidades carcerárias do Maranhão.
“A segurança prisional é feita por três categorias. São elas: os Agentes Penitenciários Temporários (APT´s), Auxiliares de Segurança Penitenciária (ASP’s) e os Agentes Penitenciários Efetivos. A proposta é habilitá-los às rotinas internas prisionais e, consequentemente, melhorar, cada vez mais, o cotidiano carcerário, levando em conta não apenas a ordem intramuros, mas, principalmente, a relação interno-servidor”, destacou a subsecretária de Administração Penitenciária, Ana Luísa Falcão.
O Curso de Formação de Agentes Penitenciários Temporários, por exemplo, já certificou 900 servidores aprovados em seletivos. A 8ª turma foi a mais recente. No último dia 28 de julho, 90 agentes receberam certificados de conclusão de curso. Essa semana, o Governo do Estado já caminha para a formação da 9° turma, na qual um novo grupo de 90 servidores será qualificado.
Treinamento
Durante o treinamento, os agentes foram instruídos sobre técnicas de rotinas internas prisionais. Na parte prática do curso, eles ainda tiveram aulas de Noções de Tiro, Manuseio de Arma Não Letal, Técnicas de Escolta e outras. Os agentes obtiveram conhecimento também sobre Gerenciamento de Crise, Direitos Humanos e Humanização, Noções da Lei de Execuções Penais (LEP).
Para o diretor da Academia de Gestão Penitenciária (Agepen), Fabiano Cavalcante, a permanente qualificação de agentes penitenciários garante benefícios à sociedade. “Quanto mais agentes qualificados, melhor é o andamento na rotina prisional, pois se consegue manter um ambiente pacífico, longe de desordens; e quem ganha com isso é a população em geral”, disse Cavalcante.
No rol de atividades mais recentes garantidas pelo governo estadual tem, ainda, a certificação profissional de 700 auxiliares de segurança penitenciária. A iniciativa tem como objetivo garantir uma melhor prestação de serviço nas unidades carcerárias do Maranhão. Os novos auxiliares de segurança penitenciária, dessa forma, foram instruídos em várias disciplinas pertinentes ao cotidiano prisional, dentre elas, noções sobre a Lei de Execuções Penais (LEP), Direitos Humanos e Ética.
Parceria
Seguindo o plano de ações anual foram realizados os cursos de formação continuada aos agentes efetivos, dentre os quais o de ‘Sobrevivência Policial e Pistola’, em parceria com agentes da Academia Nacional da Polícia Federal (ANP). Os agentes receberam instruções sobre fundamentos de tiro, noções sobre estado mental de sobrevivência e regras de segurança.
Na parte prática os agentes prisionais foram instruídos a analisar suas armas antes e depois de usá-la. No estande de tiros, os servidores foram orientados sobre o tempo ideal de saque e reação do oponente.

Aos agentes foram oferecidos, também, os Cursos de Relações Interpessoais e de Treinamento Sobre o Manuseio e Procedimentos de Segurança para Operadores de Arma de Fogo. Na grade de ações consta o Curso Sobre Aplicação da Lei de Execuções Penais (LEP), Gerenciamento de Crise, e aula de Direção Defensiva e Ofensiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário