Banner

Banner

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Programas e obras do Governo do Maranhão ampliam número de vagas e postos de trabalho


Programas sociais do governo impulsionam economia e geram novos postos de 
trabalho para o Maranhão. (Foto: Gilson Teixeira/Secap)

O Governo do Maranhão está executando projetos que contribuem para a abertura de vagas de trabalho, favorecendo o comércio de bens e serviços e garantindo mais qualidade de vida à população. As ações foram iniciadas ainda em 2015 e reforçadas ao longo deste ano, especialmente com o programa ‘Mais Empregos’. As obras que estão em andamento aquecem a economia com a contratação de trabalhadores para os serviços realizados, além dos benefícios sociais da construção de hospitais, recuperação de vias, dentre outros.
Um dos eixos do programa ‘Mais Emprego’, e que beneficia diretamente a geração de empregos no Maranhão, é o desconto no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no valor de R$ 500 por emprego gerado pela iniciativa privada. “O Estado está aplicando recursos para fazer a roda da economia girar, apesar da gigantesca recessão derivada de fatores internacionais e nacionais. Com responsabilidade, estamos adotando medidas para ver cada vez mais novos postos de trabalho sendo criados”, afirmou o governador Flávio Dino.


Os outros dois eixos do ‘Mais Empregos’ incluem o ‘Cheque, Minha Casa’ e o ‘Mutirão Rua Digna’. O ‘Cheque, Minha Casa’ vai melhorar moradias de quatro mil famílias de baixa renda com auxílio de R$ 5 mil para a compra de material de construção. Já o ‘Mutirão Rua Digna’ firma parceria com sindicatos, cooperativas e associações para obter mão de obra a ser utilizada na melhoria de ruas dos bairros periféricos, gerando renda para os trabalhadores.
Também faz parte das ações do Governo do Maranhão para ampliar o número de vagas e postos de trabalho os serviços da Agência do Serviço Nacional de Emprego (Sine). Este ano, com os serviços do Sine, foram mais de 44 mil cadastrados, 3.990 vagas ofertadas e 1.553 pessoas incluídas no mercado de trabalho. Além disso, durante o mês de dezembro, técnicos da Setres estão realizando ações em estabelecimentos de comércio e serviços, mapeando os locais e visitando empresas para a captação de vagas.
A capacitação também integra as ações da gestão estadual para superar a crise econômica. Com o programa ‘Mais Renda de Inclusão Sócio Produtiva’, executado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes), mais de 1,3 mil pessoas foram beneficiadas com capacitação e doação de equipamentos para atividades econômicas nas áreas de alimentação e beleza. Para 2017, a proposta é alcançar mais 1.350 beneficiários. O ‘Mais Renda de Inclusão Sócio Produtiva’ tem como foco os trabalhadores do setor informal, que recebem orientações para melhor desenvolvimento do trabalho e formalização da atividade.
Obras geram emprego e aquecem a economia


Por meio de ação coordenada pela Secretaria de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), o Governo do Maranhão vai construir 1.360 apartamentos populares para famílias que moravam em condições precárias. A ação reflete tanto na qualidade de vida destes beneficiados, como na economia. As habitações estão sendo construídas na Ilhinha e no Parque Pindorama e as obras estão gerando 1.200 empregos e movimentando os comércios locais.
“Com essa ação, o governador Flávio Dino torna possível o emprego a centenas de trabalhadores que estão construindo o empreendimento e, neste momento de crise, é muito significativo, pois ajudam a estabilizar economicamente o Estado”, avaliou a titular da Secid, Flávia Alexandrina.
A geração de empregos também é perceptível com as inúmeras obras coordenadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra). Somente com a reestruturação das Avenidas Holandeses e Litorânea, a previsão é de que sejam gerados 2 mil empregos. Orçada em R$ 59 milhões, a obra prevê a implantação do sistema de tráfego binário e transporte tipo BRT (Transporte Rápido por Ônibus).
De acordo com o presidente da MOB, Arthur Cabral, as intervenções terão um prazo de 24 meses e, neste período, a expectativa é que a obra poderá chegar a ter 2 mil operários trabalhando, nas mais diversas áreas. “Não é só diretamente na obra que os empregos são gerados, indiretamente você gera uma cadeia produtiva, com a compra de todo material, transporte, por exemplo. Movimenta-se muitos setores, e reforça o enfrentamento do Governo do Maranhão à crise econômica que o país atravessa”, destacou Arthur Cabral.
Outra grande obra do Governo do Maranhão e que está aquecendo a economia é a construção da estrada entre os municípios de Barreirinhas e Paulino Neves. Além de ser fundamental para a cadeia do turismo, a obra, executada em parceria com a empresa Ômega Engenharia está abrindo um leque de novas oportunidades aos moradores da região. Somente para a viabilização da linha de transmissão de energia do Parque Eólico, que também está sendo implantado na região, serão abertas, ao todo, mil vagas de emprego temporário para os moradores.
Crescimento das empresas formais
Com a série de investimentos, ações realizadas no estado e desburocratização do registro de empresas, o Maranhão tem registrado o crescimento das empresas formais. Dados da Junta Comercial do Maranhão (Jucema) apontam abertura de 24.444 novas empresas entre janeiro e novembro deste ano – aumento de 35,1%, comparado a 2014, quando foram abertos 23.586 negócios novos. “Os investimentos do governo têm impulsionado o cenário positivo, atraindo empreendedores e reduzindo a informalidade na economia maranhense”, explica o presidente da Jucema, Sérgio Sombra.
O bom posicionamento do Maranhão foi destaque, ano passado, na ‘Nota Mensal de Conjuntura Econômica sobre Mercado de Trabalho Formal do Estado do Maranhão’, apresentado pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc). Em julho do mesmo ano, pela geração de postos formais de trabalho, o Maranhão atingiu a liderança no Nordeste e ficou em segundo lugar no país.
Reflexo desse conjunto de ações é a posição do estado em relação à geração de empregos no Brasil. De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Maranhão está na 12º posição em saldo de empregos, com 10.888 contratações. Um dos setores que mais gerou novas vagas foi o de comércio e serviços, com 331 novas vagas.
Política de atração de investimentos
Com a política de atração de investimentos promovida pelo Governo do Maranhão, o Distrito Industrial de Imperatriz tem, atualmente, 20 novos empreendimentos em processo de instalação. Com os novos negócios, calcula-se o aporte de R$ 41 milhões na economia estadual e a criação de 2.265 novos postos de trabalho direto.
Em São Luís não tem sido diferente, com a mesma linha de trabalho, de impulso da economia, atrativo para o empresariado e geração de emprego para a população maranhense, o Governo do Maranhão irá inaugurar o Novo Distrito Industrial de São Luís. Vinte e duas empresas já firmaram compromisso para se instalar no local, representado a geração de mais de quatro mil vagas de trabalho.
Coordenada pela Secretaria de Estado da Indústria e Comércio (Seinc), esta nova configuração dos distritos industriais é uma estratégia que proporciona o desenvolvimento do estado com atenção ao mercado e às potencialidades de cada região.

“Estamos assegurando todo apoio e atenção aos empreendedores. Acreditamos que o potencial do mercado, somado a essa assistência, é muito importante para que possamos ver várias empresas se instalarem e gerarem ainda mais empregos e renda para o nosso estado”, declarou Simplício Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário