Banner

Banner

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Aeronáutica desmente boato sobre acidente que matou Teori

Segundo rumor, militar de nome "sargento Marcondes" teria, intencionalmente, orientado de forma errada piloto de avião que caiu com ministro

A Aeronáutica, por meio de sua assessoria de imprensa, desmentiu neste domingo um boato sobre o desastre com o avião em que viajava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. Segundo esse rumor, o piloto, Osmar Rodrigues, foi orientado pela torre de controle localizada no Rio de forma equivocada, de modo que a aeronave caísse, matando o ministro.
O responsável pela suposta instrução equivocada seria uma pessoa identificada como “sargento Marcondes”, que não existe, segundo a Aeronáutica. O “alerta”, que começa com a frase “a casa caiu!” e atribui a informação a “uma fonte anônima da Aeronáutica”, está sendo compartilhado indiscriminadamente nas redes sociais, apesar do conteúdo fantasioso. O objetivo do personagem Marcondes seria prejudicar o andamento da Operação Lava Jato, da qual Teori era relator.

“Com relação ao boato que circula nas redes sociais sobre a influência de um tal sargento Marcondes no acidente com a aeronave que transportava o ministro do STF Teori Zavascki e outros passageiros, no dia 19/01/2017, informamos que NÃO É VERDADE. Não existe militar com esse nome na equipe de serviço responsável por aquela área de controle, nem havia qualquer comunicação com o piloto da aeronave matrícula PR-SOM durante a aproximação para o pouso em Paraty, porque o aeródromo não possui órgão de controle de tráfego aéreo”, diz nota oficial emitida pela Aeronáutica. “Ressaltamos que todos os procedimentos realizados pelos órgãos de controle durante o voo estiveram de acordo com as legislações vigentes, inerentes aos serviços de controle de tráfego aéreo”, afirma ainda a nota.
(Veja.com)

2 comentários:

  1. Prezado companheiro JM Cunha Santos,

    Desmenti esse boa no mesmo dia em que foi postado 21/01/2017, uma vez que dizia tbm que o tal sargento era filiado ao PT, como militar não pode se filiar a partido político, a não ser que esteja reformado, e não se encontre na ativa, estava evidente que se tratava de um factoide.

    ResponderExcluir
  2. Desmenti esse boato no mesmo dia em que foi postado...

    ResponderExcluir