Banner

Banner

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Mais um: Polícia Federal e Interpol caçam Eike Batista, um dos maiores doadores da campanha de Roseana Sarney em 2010

Logo após a eleição, Eike Batista conseguiu, na Secretaria de Meio Ambiente, a licença para escavar a fundo perdido o subsolo maranhense, mesmo depois que a licença foi questionada pelo Ministério Público Federal.

Por JM Cunha Santos


A Polícia Federal brasileira já acionou a Interpol na caça ao famoso bilionário da OGX, OLX e MPX, Eike Batista, acusado de pagar propina de mais de R$ 16 milhões ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.
Eike Batista, que já foi colocado por instituições e revistas especializadas entre os 10 maiores bilionários do mundo, apostou muito no Maranhão e é apontado como o maior doador da campanha de Roseana Sarney no ano de 2010. A empresa OGX, de Eike Batista, participou ativamente da 11 rodada de licitações da Agência Nacional de Petróleo, visando a exploração de áreas na Bacias do Parnaíba e Foz do Amazonas, mas a essa época o mercado já questionava a capacidade de investimentos da empresa para cumprir os projetos. E se saiu bem, embora que concorrendo com grandes empresas como a Petrobrás, Chevron e Exxcon.
Nada menos que 39 municípios maranhenses, incluindo Santo Antônio dos Lopes e Barreirinhas, passaram a fazer parte da grade exploratória das empresas de Eike Batista.
Registre-se, também, que entre as concorrentes da OGX estão empresas hoje enroladas na Lava Jato, como Petrobrás, Odebrecht, Camargo Correia e Andrade Gutierrez. A OGX, OLX e MPX se tornaram responsáveis pela maior campanha exploratória privada na área de óleo e gás no Brasil, o que inclui os 39 municípios do Maranhão.
Mas sobraria muito pouco do império de Eike Batista e a imprensa registra que à época da bancarrota o empresário procurou a governadora Roseana Sarney para tentar salvar seus projetos pelo menos no Maranhão.
Sendo um dos maiores doadores da campanha de Roseana Sarney, após a eleição  Eike Batista conseguiu, na Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), a licença ambiental necessária para escavar a fundo perdido o subsolo maranhense, mesmo depois que tal licença foi questionada pelo Ministério Público Federal.
As empresas OGX, OLX e MPX estenderam seus tentáculos por 21 mil quilômetros quadrados nos 39 municípios do Maranhão, na intenção de explorar 15 trilhões de pés cúbicos de gás localizados na Bacia do Parnaíba.

Resta saber se, no caso de uma delação premiada, Eike Batista terá alguma coisa a contar sobre suas relações com o então governo Roseana Sarney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário