Banner

Banner

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Novo laudo aponta condições favoráveis de balneabilidade na maioria das praias da Ilha



Mesmo com as chuvas que estão caindo em São Luís desde o começo do ano, as praias continuam, em sua totalidade, próprias para banho na Região Metropolitana. É o que aponta o laudo semanal de balneabilidade divulgado nesta sexta-feira (20), realizado pelo Laboratório de Análises Ambientais – LAA, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), entre os dias 11/01 e 15/01. O novo levantamento mostra que 18, dois 21 pontos monitorados da orla ludovicense, estão com os indicadores microbiológicos aceitáveis.
De acordo com o laudo, as praias de São Marcos, Calhau, Olho D’agua, Meio e Araçagi estão com todos os pontos próprios para o banho. Já a praia da Ponta D’areia apresenta três locais em que os níveis de enterecocos estão acima dos aceitáveis (atrás do Bar do Dodô, em frente ao Edifício Herbene Regadas e em frente ao Hotel Brisamar). O alto número de 18 pontos liberados na Ilha de São Luís ratifica o processo de limpeza progressiva das praias realizado pelo Governo do Estado.
Após mais de uma década convivendo frequentemente com situação lamentável de poluição das praias, a população de São Luís voltou a ter, em meados do ano passado, locais próprios para o banho de mar. A conquista é fruto dos investimentos do Governo em Saneamento ao longo dos dois últimos anos. Além disso, há a política constante de fiscalização de lançamento de esgotos irregulares nos rios e na orla de toda a capital.
“A balneabilidade das praias é muito importante. E é um trabalho constante. Não paramos. Quando não estamos em campo, coletando, fiscalizando, monitorando, estamos planejando as ações. É compromisso do Governo manter as praias limpas para que a população possa usufruir sem medo”, ressaltou o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), Marcelo Coelho.
De acordo com o secretário, a manutenção da maioria das praias próprias para banho é uma conquista, pois as chuvas fazem com que o esgoto lançado irregularmente em rios e córregos afluentes às praias, bem como em canais de drenagem, seja carregado para o mar propiciando o aumento da concentração dos indicadores biológicos de qualidade das praias. “Mas nossa meta é manter o máximo possível”, garantiu Coelho.
Além da constante fiscalização, a manutenção do maior número de praias próprias para banho na Região Metropolitana de São Luís se deve, também, ao programa ‘Mais Saneamento’. Os investimentos realizados pelo Governo do Maranhão somam R$ 320 milhões e estão impactando diretamente no tratamento de esgoto para garantir as condições de banho e também melhores condições de saneamento aos maranhenses que moram na capital.
Desde o início da atual gestão, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), está priorizando serviços de manutenção nas Estações Elevatórias de Esgotos (EEE). Outra ação importante é a despoluição dos rios. Esse trabalho foi iniciado em setembro de 2015 com o projeto de despoluição dos Rios Pimenta e Claro. Além disso, uma série de outras ações do Programa ‘Mais Saneamento’ estão em curso, como a construção de mais de 35 novas Estações Elevatórias de Esgoto (EEE), a ampliação das estações do Bacanga e do Jaracati, a implantação de aproximadamente 355 km de redes coletoras e interceptoras, das quais 85 km já foram instaladas.

“São Luís tem 58 Elevatórias de Esgoto que nunca foram reformadas. Licitamos projetos de recuperação de 17 que impactam diretamente as praias. Projetos começam a ser entregues para fazermos as obras. Não obstante, trocamos e implantamos equipamentos emergencialmente em várias”, ressaltou o presidente da Caema, Davi Telles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário