Banner

Banner

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Briga pode ter precedido execução de família em São Gonçalo



A Polícia Civil encontrou quatro dentes, que não pertenciam à família morta em São Gonçalo, no local em que o crime ocorreu, na madrugada de sexta-feira. Segundo o delegado titular da Divisão de Homicídios que atende o município, Fábio Barucke, o material encontrado sugere que aconteceu uma briga antes de uma das execuções. O casal Wagner da Silva Salgado e Soraya Gonçalves de Resende e a filha Geovanna Resende Salgado, de 10 anos, foram vitimados em casa.
— Fizemos buscas em todos os hospitais públicos e não localizamos paciente algum tratando das feridas na boca. Assim, pedimos que denunciem para que possamos localizá-lo — pede o delegado Fábio Barucke.
Informações sobre os possíveis autores do assassinato podem ser repassadas ao Disque-Denúncia (21 2253-1177). O anonimato é garantido.
Polícia investiga ligação com briga por herança
A Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói e São Gonçalo investiga se a morte tem ligação com uma briga judicial envolvendo o inventário do pai de Soraya. O processo, que tramita na 6ª Vara Cível de São Goçnçalo, se arrasta há 20 anos. Wagner atuava como advogado no caso. Em meio à disputa, em 2014, Soraya, que é adotada, chegou a pedir na Justiça que houvesse prestação de contas no inventário do pai. A solicitação ainda foi julgada.
No dia 18 de junho do ano passado, Soraya fez um registro de ocorrência na 73ª DP (Neves) contra sua irmã Simone Gonçalves Resende por causa de uma postagem no Facebook. À polícia, Soraya, que é adotada, afirmou que postou uma foto com seu pai na rede social e horas depois, Simone fez comentários ofensivos.
“Vagabunda. Agora que está morto coloca foto com mensagem que um dia vai se encontrar!! Toma vergonha na cara e conta da sua mãe que você trata como uma cachorra: Você nunca trabalhou e nem sabe o que é isso. Tinha que dar muito valor a quem te criou porque quem te pariu nem na sua cara quis olhar. Cuida enquanto está viva porque depois que morrer você não vai postar fotinha arrependida. Já passou da hora de você tomar vergonha na cara e sair das costas dela. Fica a dica”, dizia a postagem.
Família de mulher assassinada não foi ao velório
Os corpos de Wagner, Soraya e Geovanna foram enterrados, na tarde de sábado, no Cemitério de São Gonçalo. Antes, houve um velório na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na cidade. Wagner era advogado e diretor de eventos da instituição.
Corpos foram enterrados no Cemitério de São Gonçalo Foto: Divulgação/OAB

Ninguém da família de Soraya, que era adotada, compareceu ao velório. A mãe de Wagner, que era filho único, acompanhou a cerimônia muito abalada. Às 12h30, uma missa foi realizada no local. Antes disso, amigos de outras religiões puderam prestar homenagens. Alguns vestiram a camisa com a foto da família estampada. Também estiveram no velório o prefeito de São Gonçalo, Dr. José Luiz Nanci, além de secretários e vereadores. Da sede da OAB, os presentes seguiram em cortejo até o Cemitério de São Gonçalo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário