Banner

Banner

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Ouvidoria reúne mais de 30 denúncias de envolvimento de policiais em mortes no Espírito Santo

Por Basília Rodrigues
CBN


Mais de 30 denúncias apontando o envolvimento de policiais nas mortes registradas nos últimos dias no Espírito Santo foram registradas na Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos. A CBN apurou que, segundo moradores do estado, não apenas policiais militares, mas outras forças de segurança, como policiais civis e guardas municipais podem estar envolvidos nos assassinatos provocados pela onda de insegurança no estado. Até o momento, mais de 140 pessoas foram mortas.
Jovens, entre 17 e 26 anos, negros e da periferia são as vítimas mais frequentes, em ações parecidas, segundo a Secretaria de Segurança capixaba. A Ouvidoria, que funciona pelo disque 100, tem recebido ligações desde o início da crise, que dura dez dias. O órgão federal, que é ligado ao Ministério da Justiça, está em contato com o IML do estado.
O próximo passo é cruzar as denúncias com a lista de mortos, que aos poucos vão sendo identificados pelas autoridades locais. A ouvidora nacional de direitos humanos, Irina Bacci, reuniu relatos, vídeos, notícias de jornais, tudo que possa trazer indícios de quem está matando no Espírito Santo. A ligação com grupos policiais, milícias em emboscadas, assassinatos para ela é clara:
'A gente já recebeu denúncias de envolvimento de policiais em algumas dessas mortes, considerando, inclusive, que o estado do Espírito Santo tem infelizmente histórico de milícias, como o Le Coq, lá em 2001, que foi alvo de estudo sobre o assunto, e que agora nos remonta a algumas das situações a uma prática que já era muito comum naquela época.'

Muitos desses assassinos se veem como justiceiros, salvadores, em que vale o lema do ‘bandido bom, bandido morto.’ Em conjunto com a ouvidoria, defensores públicos tem feito plantão no Tribunal de Justiça local, para coletar mais denúncias. A Policia Federal e a Polícia Civil do estado estão numa força-tarefa para combater a ação desses grupos, como revelou a CBN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário