Banner

Banner

terça-feira, 21 de março de 2017

Governo do Estado inicia revitalização de escolas utilizando mão-de-obra carcerária



O Governo do Estado deu início, na manhã de segunda-feira (20), ao projeto ‘Mutirão da Liberdade’. A Iniciativa é resultado de parceria entre as Secretarias de Estado da Administração Penitenciária (Seap) e da Educação (Seduc), e objetiva garantir a manutenção de escolas da rede pública estadual de ensino, utilizando mão-de-obra carcerária. A primeira instituição a ser beneficiada foi a Unidade Integrada João Paulo II, localizada no bairro Turu.
Inicialmente, 23 internos do Complexo Penitenciário São Luís fizeram os serviços de manutenção e reparo estrutural da unidade escolar. A estimativa é que, nos próximos dias, mais 20 detentos ajudem nos trabalhos. Os serviços na escola, com previsão de termino em 15 dias, vão desde a capina, a pintura e o retelhamento. Somente nas primeiras 24 horas, o grupo de internos iniciou os serviços de retirada do mato acumulado, e manutenção das telhas.
“Os internos iniciaram a capina de uma área de aproximadamente 2 mil m². O serviço ainda precisa ser finalizado, mas a parte onde já foi feita a limpeza evidencia as melhorias significativas que essa parceria proporciona à sociedade. Iniciativas como esta demonstram a preocupação do governador Flávio Dino em otimizar os recursos públicos, dando oportunidade a quem antes estava ocioso”, destacou o secretário titular da Seap, Murilo Andrade de Oliveira.
Os serviços de manutenção do colégio acontecem tanto na parte interna, quanto externa. Salas de aula, banheiros, corredores e setores administrativos passarão por pintura, reboco e completa limpeza. A fachada da escola também será totalmente revitalizada. Outro serviço, previsto no cronograma de obras, é a manutenção da quadra poliesportiva do colégio.
A quadra será demarcada e totalmente retelhada, visto que existem telhas quebradas no local. A reestruturação do ambiente contará, ainda, com adaptação de acesso a cadeirantes, para melhorar a inclusão às práticas esportivas.
“O ‘Mutirão da Liberdade’, como foi denominado, é um projeto excepcional tanto para a comunidade escolar, quando para os ressocializandos. Tudo será feito com qualidade e segurança para todos”, realçou o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.
Ressocialização


A iniciativa no intuito de melhorar a estrutura física do colégio utilizando mão-de-obra carcerária coopera não somente com a revitalização da unidade de ensino, mas também fortalece as ações de reinserção social de internos do Sistema Penitenciário do Maranhão, uma das políticas prioritárias do Governo do Estado. Um dos internos que ajuda nos trabalhos, Marcelino Silva Ferreira, de 32 anos, disse que é muito gratificante participar desta ação.
“Me sinto muito bem por estar aqui, fazendo esse trabalho, e, o melhor de tudo, é que nós estamos recebendo nosso dinheiro por isso, e diminuindo nossos dias de pena”, contou ele. Já o detento Tiago Gomes Pereira, de 21 anos, destacou que o projeto é uma oportunidade de recomeçar. “Eu vejo essa oportunidade como um recomeço na minha vida. Uma chance que estou tendo de fazer uma nova história, e ser um orgulho para a minha família”, afirmou.
Há 22 anos trabalhando na cantina do colégio, dona Flor de Lis Sena, de 51 anos, contou que nunca havia visto, em todo esse tempo, a escola passar por um serviço de manutenção tão organizado, ainda mais por internos do Sistema Prisional. “É algo inédito para mim, esse trabalho que acontece aqui. Vejo que isso é bom para a escola porque melhora a estrutura do local, e é bom para esses homens porque é uma ajuda para que eles melhorem de vida”, destacou Flor de Lis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário