Banner

Banner

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Roseana Sarney vai levar uma surra eleitoral maior que a de Edinho Lobão em 2014, se disputar o governo com Flávio Dino em 2018

(A propósito da entrevista do secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, ao programa Redação 1290, da Rádio Timbira do Maranhão).

JM Cunha Santos


Provavelmente Roseana Sarney não conseguirá ser candidata ao governo, tantas são as ações penais envolvendo sua família. Mas se o for, a inevitável comparação entre suas gestões e a gestão do governador Flávio Dino vai arrasta-la para uma derrota eleitoral poucas vezes visto na história do Maranhão. A tal ponto que dificilmente atingirá os escassos 33 % de votos de seu candidato nas últimas eleições, o também penalmente complicado suplente de senador Edinho Lobão.
Ocorre que, conforme registrou o secretário de Infraestrutura Clayton Noleto, no programa Redação 1290, da Rádio Timbira, as realizações do governo Flávio Dino têm um objetivo maior que é a diminuição das desigualdades sociais. No entanto, as realizações do governo Roseana Sarney, pelo que sabemos, só tinham como objetivos o superfaturamento e o desvio de recursos em toda e qualquer obra estadual.
Roseana esfacelou o Sistema Estadual de Agricultura e praticamente zerou a agricultura familiar; Flavio Dino implantou o Programa Mais IDH e com isso está combatendo a extrema pobreza e trazendo mais qualidade de vida aos pequenos agricultores do Estado; Roseana provocou uma verdadeira embolia no Sistema Estadual de Saúde com os inúteis hospitais de 20 leitos e foi acusada pelo Ministério Público, junto com Ricardo Murad, de liderar uma organização criminosa que desviou da saúde pública recursos da ordem de R$ 1 bilhão; Flávio Dino inaugurou diversos hospitais regionais, que estão em pleno funcionamento em todo o território do Estado e criou a Força Estadual de Saúde que atende as populações mais carentes nos mais distantes rincões do Maranhão.


Conforme ainda o secretário Clayton Noleto, cerca de 1300 obras foram ou estão sendo executadas pelo governo Flávio Dino, somente no âmbito da Secretaria da Infraestrutura. O “Mais Asfalto” é um dos maiores programas de recuperação de estradas do país. Já chegou a 158 municípios, totalizando o asfaltamento de 1.000 Km de rodovias e, em colaboração com as prefeituras, 1.300 Km de vias urbanas.
Roseana Sarney desconstruiu a educação, com escolas de taipa, de palha e estudantes sitiados em galpões e com uma única escola de tempo integral; o Programa Escola Digna, do governo Flávio Dino, representa, hoje, o maior investimento em infraestrutura educacional em curso no Brasil: 574 escolas foram construídas, recuperadas e reformadas, além dos 8 Iemas (escolas profissionalizantes) concluídos até agora, coisa que não existia por aqui.  
O governo Roseana Sarney conseguiu fazer de São Luís uma das cidades mais violentas do planeta e fez do Maranhão o pior dos mundos em matéria de segurança pública; o governo Flávio Dino reduz, mês a mês e ano a ano, todos os índices de criminalidade do Estado. 
Ranking do Portal G1 destacou o governo Flávio Dino como o 2º mais eficiente do país, o mesmo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) no mês passado e o Ministério da Transparência, Controle e Controladoria-Geral da União deu nota 10 em Transparência para o governo Flávio Dino, 1º lugar entre todos os estados do Brasil. Flávio Dino também foi saudado, na eficiência de sua gestão, pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão; no governo Roseana Sarney até o Portal da Transparência foi camuflado e, se havia algum 1º lugar, certamente não era em transparência, nem eficiência, mas em corrupção.
O governo Roseana Sarney não se aproximava do povo, somente de doleiros e lobistas; o governo Flávio Dino todas as semanas está em um município diferente, com a “Caravana de Todos Nós”. O governo Flávio Dino é pleno de políticas públicas; o governo Roseana Sarney foi pleno de políticas impublicáveis.


Registre-se, ainda, que Flávio Dino governa em meio à maior crise econômica da história do país, o que reduz, dificulta e até impossibilita o repasse de verbas federais. Assim mesmo, ao contrário da maioria dos estados, o Maranhão é destaque em investimentos, pagamento dos salários do funcionalismo público em dias, concursos em áreas diversas e equilíbrio fiscal, um fato verdadeiramente histórico, pois como diria o secretário Clayton Noleto, naqueles tempos quando o Brasil pegava uma gripe, o Maranhão pegava uma pneumonia.  Roseana Sarney, pelo contrário, governou sob a fartura dos empréstimos a fundo perdido e em dias de estabilidade e crescimento econômicos no Brasil. Recebeu muitos recursos do Governo Federal que sumiram no ar, pois ninguém sabe, ninguém viu em quê, quando e onde foram aplicados os bilhões que aportaram no Estado desde o governo Fernando Henrique Cardoso até o governo Dilma Roussef.

Com esse currículo desastroso, se enfrentar Flávio Dino em 2018, Roseana Sarney vai passar vergonha, tão acachapante será sua derrota na disputa pelo governo. Pior ainda que a de Edinho Lobão que, felizmente, não conseguiu se eleger para seguir o exemplo de sua líder e governar contra o povo e o desenvolvimento do Maranhão. 

2 comentários:

  1. Quem.é esse secretario no jogo do bicho
    Pelo o que vejo só fala balela

    ResponderExcluir
  2. Não se pode nem compara-los, pois no meu entender o GOVERNO anterior ao de doutor Flávio Dino, era um GOVERNO perverso e que somente olhava para meia dúzia de pseudo gente que o rodeava, enquanto o GOVERNO atual é um GOVERNO atual voltado para o seu POVO ou seja para todos os MARANHENSES, o que não acontecia nem quando o pai da ANTIGA governadora era governador. SOU ELEITOR e acho que hoje o MARANHÃO está no caminho certo. DEUS seja convosco doutor Flávio, AMÉM.

    ResponderExcluir