Banner

Banner

sábado, 3 de junho de 2017

IDAC é a terceira empresa contratada na gestão de Ricardo Murad na Secretaria da Saúde pega por corrupção pela Polícia Federal

JM Cunha Santos


A Operação Rêmora, da Polícia Federal, encontrou mais um foco de corrupção em empresa contratada na Secretaria de Estado da Saúde durante o governo Roseana Sarney e sob a gestão do então secretário Ricardo Murad. Desta feita, a PF chegou ao Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania, de Antônio Aragão, que está preso e é também presidente do PSDC. O Idac gerencia 6 unidades hospitalares no Estado.
A Operação apreendeu cerca de R$ 700 mil em espécie no Instituto, em flagrante e em uma das residências vistoriadas, além de documentos e veículos de luxo. A fraude no Idac, até agora, está calculada em 18 milhões de reais.
Sermão aos Peixes
A Rêmora é a quarta fase da “Operação Sermão aos Peixes”, de pois das operações Abscônditos e Voadores. A operação “Sermão aos Peixes”, também deflagrada em conjunto com a Controladoria Geral da União e o Ministério Público Federal, cumpriu em sua primeira fase 13 mandados de prisão preventiva, 60 de busca e apreensão e 27 mandados de condução coercitiva, entre eles o do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad. No período da investigação, o volume de recursos destinados pelo Ministério da Saúde ao Fundo Estadual de Saúde do Maranhão foi de R$ 2 bilhões de reais. O rombo deixado pela organização criminosa que agiu durante quatro anos na SES foi calculado pelo Ministério Público em R$ 1 bilhão. Como responsáveis diretos por esse majestoso desvio de recursos, a investigação apontou o Instituto Cidadania e Natureza (ICN), de Benedito Silva Carvalho e Pericles Silva Filho e o Instituto Bem Viver, de Emílio Borges Rezende, presos no decorrer da operação e também contratados no governo Roseana Sarney.

A “Rêmora” coloca no centro do furacão Fernando Sarney e Ricardo Murad que, inclusive, antes mesmo de deflagrada a operação, anunciou que estava desistindo de sua candidatura. Sem contar que Fernando Sarney e o velho Sarney já estão passeando de tsunami em decorrência da prisão de José Francisco das Neves, o Juquinha das Neves, ex-presidente da Valec, estatal responsável pela construção da Ferrovia Norte-Sul e tido como operador das propinas de Sarney e do PMDB, num total de 1 % do bilionário contrato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário