Banner

Banner

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Tenente acusado de matar estudante maranhense é expulso do Exército e pode ir a júri


O Exército Brasileiro expulsou o tenente José Ricardo da Silva Neto, 22 anos, acusado de matar a estudante Iarla Lima Barbosa, 25 anos. A decisão foi tomada após o comando da 10º Região Militar negar o pedido de prorrogação do serviço militar do tenente que ingressou nas Forças Armadas em agosto de 2014.
José Ricardo era segundo tenente do 2° Batalhão de Engenharia de Construção. Com a revogação do pedido de prorrogação de serviço militar, o suspeito do feminicídio de Iarla perde a patente de oficial do Exercito Brasileiro e se torna civil. 
O tenente encontra-se preso no quartel do 2º BEC. Sem condição de oficial das Forças Armadas, o suspeito perde a regalia e será encaminhado para cumprir prisão preventiva em uma penitenciária do sistema prisional do Estado. 
O Ministério Público Estadual, representado pelo promotor de Justiça Ubiraci Rocha, solicitou à 1º Vara do Tribunal do Júri a transferência imediata de José Ricardo para uma unidade prisional.
José Ricardo da Silva Neto é acusado de matar a tiros a namorada Iarla Lima Barbosa no dia 19 de junho deste ano, quando saiam do um pub localizado na zona Leste  de Teresina. O Ministério Publico denunciou o ex-tenente à Justiça  por feminicídio. 
Na denúncia, Ubiraci Rocha destacou que o crime foi cometido pelo menosprezo ou “discriminação à condição de mulher, haja vista a expressa manifestação de poder do acusado sobre a vítima, uma vez que estes mantinham uma relação amorosa (namorados), há apenas sete dias”.  
O ex-oficial também foi denunciado por tentativa de homicídio qualificado pelo feminicídio de Josiane Mesquita da Silva e Ilana Lima Barbosa, amiga e irmã [respectivamente] de Iarla que também teriam sido baleadas por ele. 
O caso foi encaminhado ao Tribunal Popular do Júri de Teresina. 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário