Banner

Banner

quinta-feira, 14 de maio de 2015

O retorno do Carcará: João Alberto quer Ricardo e Andrea fora do PMDB




O único entre os líderes do grupo Sarney que acompanha de longe o desenrolar da Operação Lava Jato, o presidente estadual do PMDB, senador João Alberto, provou que é quem de fato comanda os rumos do partido no estado.
Na semana passada, o atual presidente do Conselho de Ética do Senado mostrou as garras de “carcará” e convidou o ex-secretário de Saúde do Estado, Ricardo Murad, deixar o partido e levar junto sua filha, a deputada Andrea Murad. A decisão do dirigente peemedebista foi comunicada à ex-governadora Roseana Sarney após a mesma tentar convencê-lo a solicitar que o deputado Roberto Costa se retratasse das acusações feitas ao seu cunhado.
A reação de João Alberto ao pedido de Roseana é mais um capítulo na crise que consome o PMDB no Maranhão. Tudo começou com um discurso da deputada Andrea Murad defendendo a expulsão do prefeito de Bacuri, Richard Nixon, preso sob acusação de crime de agiotagem. Roberto Costa defendeu o prefeito aliado e sugeriu a expulsão de Ricardo Murad por conta dos inúmeros processos que responde.
A ex-governadora, tentando dar uma de bombeiro, chamou os dois para uma conversa isolada e exigiu que Roberto pedisse desculpas a Ricardo. Obteve como resposta um sonoro não. Diante da recusa do parlamentar, Roseana correu para João Alberto e ordenou que ele obrigasse Roberto a se retratar. O senador disse que não faria isso, que Roberto Costa estava com e razão, que ele não iria se desculpar. Para completar, ofereceu a porta da rua do partido para Ricardo e sua filha, sem o risco da perda do mandato.
Contrariada em seu desejo de humilhar Roberto Costa, a ex-governadora correu para Brasília e foi reclamar com o presidente nacional do PMDB, vice-presidente da República, Michel Temer, mas a lamentação não surtiu efeito. Temer, segundo fontes fidedignas, escutou o choro da Roseana, mas fez de conta que não ouviu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário