sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Prestígio internacional do Brasil cai a níveis jamais vistos com o governo Bolsonaro; imagem do país lá fora é lamentável e constrangedora


JM Cunha Santos


E o governo Bolsonaro conseguiu criar para o Brasil a pior imagem a nível internacional de toda sua História. Entidades e organizações de outros países passaram a considerar que o Brasil é um país onde se defende a tortura, prega-se a volta da ditadura militar, incita-se a violência contra mulheres, o extermínio da população nativa, desmatamento, assassinatos de membros de comunidades LGBT etc.
Desprestígio internacional
Há, hoje, nada menos que 37 denúncias contra o Brasil na Organização das Nações Unidas, a maior parte feita por entidades estrangeiras, sem contar ações propostas na Justiça.
Outro nível de percepção desse desprestígio, vem de 12 cartas sigilosas de relatores da ONU se queixando de violações cometidas pelo estado brasileiro e cobrando respostas, inclusive sobre ameaças sofridas por líderes indígenas, ameaças contra a liberdade de imprensa e apuração do caso Marielle.
Mais: no escritório da ONU, em Genebra, denúncias e documentos se acumulam revelando um profundo mal estar em relação ao Brasil por conta de violações dos Direitos Humanos. Somente a “Conectas”, organização internacional de defesa dos Direitos Humanos, encaminhou 14 denúncias contra o Brasil.
Uma outra entidade, a Justiça Global, fez sucessivos e urgentes apelos à ONU em virtude do desmantelamento do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Reclamou também da intervenção do Estado no Conselho Nacional de Direitos Humanos. E inúmeras entidades brasileiras ingressaram na Corte Interamericana de Direitos Humanos, órgão da Organização dos Estados Americanos (OEA), pedindo a condenação do Brasil por falha sistemática na fiscalização e reparação dos danos causados aos atingidos por rompimentos de barragens.
Pior: a Comissão ARNS acusou o estado brasileiro perante o Tribunal Penal Internacional de incitar o genocídio de indígenas e promover ataques sistemáticos às populações nativas.
A Human Rights Watch denunciou o Brasil em virtude da adoção da nova política de agrotóxicos e aprovação do uso de novos produtos.
A revista inglesa The Economist, uma das mais prestigiadas no mundo, com tiragem de 1,5 milhão de exemplares por semana, afirmou que Bolsonaro é, provavelmente, o chefe de Estado mais perigoso no mundo para a área ambiental, com posições que podem, direta ou indiretamente, encorajar um grande desmatamento na Amazônia.
Imagem
Segundo a professora brasileira Delia Wangler, que há décadas dava aulas de português na Suíça, mas já perdeu seus alunos, europeus em geral procuram evitar o Brasil em virtude das sucessivas declarações das autoridades sobre Meio Ambiente, indígenas, Amazônia, trabalho infantil etc. E há notícias de vaias estrondosas quando o Brasil é citado em manifestações internacionais de defesa do Meio Ambiente.
Mais grave: diplomatas brasileiros que, por razões óbvias preferem não se identificar, afirmam que o declínio do prestígio internacional do Brasil chegou a tal ponto que o país está deixando de ser convidado para negociações diplomáticas.
E as intentonas nazistas de Jair Bolsonaro, Abraham Weintraub e Roberto Alvim acabaram de liquidar com a imagem do Brasil.
E era o Brasil considerado o mais pacifista dos países, não intervencionista e símbolo de todas as liberdades, inclusive a liberdade de expressão.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Governo do Maranhão concede redução de 100% das multas e juros para pagamento a vista do IPVA



O Governo do Maranhão, por meio da Medida Provisória n° 305/2020, instituiu o Programa de Pagamento e Parcelamento de Débitos Fiscais relacionados ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), concedendo redução de 100% das multas e juros para pagamento a vista ou 50% para parcelamento. Os proprietários de veículos automotores com débitos do IPVA até 1º de janeiro de 2019 terão a oportunidade de se regularizar com desconto.
Para pagamento a vista, a redução é de 100% das multas e juros. Para aderir ao benefício o contribuinte deverá, até o dia 28 de fevereiro, acessar o site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) para emitir o Documento de Arrecadação (DARE) ou ir à unidade de atendimento mais próxima.
Os contribuintes que optarem pelo parcelamento terão desconto de 50% das multas e juros. O parcelamento pode ser realizado em até 12 vezes, desde que a parcela mínima não seja inferior a R$ 30 para motocicletas e similares e de R$ 100 para os demais veículos automotores. Com o pagamento da primeira parcela, o sistema exclui o Renavam da Dívida Ativa e Serasa, ou seja, tira da lista de devedores.
Para realizar o parcelamento pela internet, o contribuinte deverá acessar a página do IPVA, no Portal da Sefaz, clicando no menu “Parcelamento de IPVA”. Ao finalizar, as parcelas ficam disponíveis no menu “IPVA 2020/Débitos Anteriores”. Para aproveitar os benefícios, o contribuinte deverá formalizar a adesão do programa até o dia 28 de fevereiro de 2020. Vale lembrar que não haverá prorrogação do prazo.

Roberto Alvim diz desconfiar que vídeo nazista que lhe custou o cargo de Secretário Especial de Cultura foi obra do Diabo



Em mensagem de WatsApp, o ex-Secretário Especial de Cultura Roberto Alvim, exonerado por Jair Bolsonaro depois da divulgação de um vídeo de inspiração nazista diz: “Começo a desconfiar não de ação humana, mas de uma ação satânica por trás “dessa horrível história”. Veja a íntegra da mensagem:
“Eu, Roberto Alvim, afirmo a quem interessar possa: eu escrevi o texto do meu discurso no vídeo, a partir de várias fontes e ideias, que me chegaram de muitos lugares.
meus assessores Denia Magalhães, Alessandro Loiola e Alexandre Leuzinger não tem NADA a ver com a escritura.
eu afirmo que não sabia que aquela frase tinha uma origem nazista, porque a frase em si não tinha nenhum traço de nazismo, por isso não percebi nada errado ali...
mas errei terrivelmente ao não pesquisar com cuidado a origem e a associações de algumas frases e ideias.
e assumo a responsabilidade por meu erro. perdi tudo por causa desse erro terrível.
a ópera Lohengrin foi postada por minha mulher pouco tempo antes no facebook, por puro acaso. acho a ópera linda, e a coloquei por se tratar da ópera escrita após a conversão de Wagner ao cristianismo.
o que quero dizer é que não houve NENHUMA má-intenção da minha parte.
peço perdão a toda a comunidade judaica, por quem tenho profundo respeito e amor.
dei a meu filho no fim do ano passado uma camiseta de ISRAEL, que ele usou ao meu lado em minha mensagem de Natal em redes sociais.
afirmo com todas as minhas forcas que tenho total repúdio pelo nazismo, assim como por quaisquer outros regimes genocidas.
como cristão, jamais me associaria com assassinos.
foi tudo uma série terrível de eventos e coincidências que levaram a essa catástrofe...
estou orando sem parar, e começo a desconfiar não de uma ação humana, mas de uma ação satânica em toda essa terrível história.

Com informações do jornal O Globo

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Em reunião com Prefeito Edivaldo, Bira do Pindaré informa a destinação de emenda parlamentar para a saúde



O prefeito Edivaldo Holanda Junior recebeu no final da tarde em seu gabinete o deputado federal Bira do Pindaré que veio informar ao prefeito a destinação de R$ 2 milhões, de emenda parlamentar de sua autoria, para a área de saúde. O recurso será investido na aquisição de equipamentos para os agentes comunitários de saúde, a fim de qualificar ainda mais o trabalho desenvolvido pelos profissionais da área, fortalecendo assim as ações do poder público municipal na área da atenção básica à saúde.
“A saúde tem sido uma das nossas prioridades. Hoje, o reflexo de um trabalho realizado com seriedade e comprometimento pode ser observado em diversos setores como o da atenção básica, onde temos investido em ações preventivas. É de grande importância a contribuição do deputado Bira do Pindaré, considerando que este investimento fortalecerá o trabalho que temos realizado para qualificar e ampliar o alcance dos serviços públicos de saúde”, destacou o prefeito Edivaldo.
Os equipamentos vão modernizar o trabalho dos agentes permitindo, entre outros benefícios, maior controle e monitoramento das famílias em atendimento cadastradas em programas como, por exemplo, o Saúde da Família (PSF). “É bom poder contribuir com este trabalho que vem sendo realizado pelo prefeito Edivaldo na área da saúde, tão importante para a população, especialmente àqueles que necessitam dos serviços públicos. Tenho a honra de destinar a primeira emenda do meu mandato para fortalecer o trabalho destes importantes profissionais e, assim, reforçar a atenção básica em São Luís”, disse o deputado federal Bira do Pindaré. 
Os novos equipamentos que vão ser utilizados com os recursos da emenda vão reforçar o trabalho que vem sendo realizado por agentes de saúde. Estes profissionais são responsáveis por realizar atividades de prevenção de doenças e promoção da saúde, por meio de ações educativas em saúde realizadas em domicílios ou junto às coletividades, em conformidade com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). O trabalho desses profissionais estende, também, o acesso da população às ações e serviços de informação, de saúde, promoção social e de proteção da cidadania.

Márcio Jerry repudia denúncia contra Glenn Greenwald: “mais um absurdo nesse enredo de abusos autoritários”



O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) criticou, nesta terça-feira (21), a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), em Brasília, contra o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, que mesmo sem ter sido investigado ou indiciado acabou denunciado por associação criminosa na “Operação Spoofing”. A ação investiga invasões de celulares de autoridades como do ministro Sergio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato.
“Essa denúncia do MPF em Brasília não atinge só o Glenn Greenwald. Agride frontalmente a liberdade de imprensa. Mais um absurdo nesse enredo de abusos autoritários. Nosso repúdio!”, afirmou o parlamentar do Maranhão.
As mensagens privadas via Telegram das autoridades recebidas por Greenwald originaram uma série de reportagens feitas pelo The Intercept, Folha de S.Paulo, El País, Bandnews FM, Veja, BuzzFeed News, Agência Pública e UOL, revelando a proximidade entre Moro, então juiz da Lava Jato, e os procuradores da operação. As revelações puseram em xeque a imparcialidade da operação e foram consideradas um divisor de água para entender os rumos políticos do país nos últimos anos.

Desde o início dos vazamentos, o jornalista sempre rejeitou ter auxiliado de qualquer forma os hackeamentos, citando o direito constitucional de sigilo de fonte. Nesta terça, em nota enviada à Folha de S. Paulo, declarou: “Há menos de dois meses, a Polícia Federal, examinando todas as mesmas evidências citadas pelo Ministério Público, declarou explicitamente que não apenas nunca cometi nenhum crime, mas também exerci extrema cautela como jornalista, nem cheguei de qualquer participação. Até a Polícia Federal, sob o comando do ministro Moro, disse o que está claro para qualquer pessoa: eu não fiz nada além do meu trabalho como jornalista – eticamente e dentro da lei. O Governo Bolsonaro e o movimento que o apoia deixaram repetidamente claro que não acreditam em liberdade de imprensa”, disse. Segundo o El Pais, os advogados de Greenwald afirmaram que vão tomar as medidas cabíveis e que pretendem acionar a Associação Brasileira de Imprensa.

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Fundação Internacional de Direitos Humanos concede prêmio a Lula



Fundação Internacional de Direitos Humanos acaba de anunciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como homenageado pela instituição na edição 2020 do Prêmio Nicolás Salmerón, na categoria liberdade.
Em seu comunicado, a Fundação cita a homenagem em função da dignidade e natureza respeitosa, pacífica e democrática com que o ex-presidente enfrentou a perseguição judicial e política a que foi submetido, e que culminou em sua prisão política pelo período de 1 ano e 8 meses.
“Esta instituição sustenta que a raiz dessa perseguição política responde ao objetivo de concluir o incidente inconstitucional e não democrático realizado anteriormente contra a presidente Dilma Vana Rousseff, em um ato inequívoco chamado de lawfare, cujo objetivo final seria forçar e alterar ilegitimamente as eleições presidenciais de outubro de 2018”, afirmou a entidade ao anunciar o prêmio.
A Fundação Internacional de Direitos Humanos reconheceu ainda o legado de Lula no combate à fome e à miséria. “Em seu tempo como presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu colocar três refeições diárias sobre a mesa de milhões de casas – tudo em tempo recorde sem precedentes na história do mundo – pelos mais ousados programa de emprego e segurança alimentar, com o resultado da remoção de cerca de 30 milhões de seres humanos da pobreza. Sua prisão arbitrária não apenas tentou contra sua reputação e liberdade pessoal, mas também contra a ordem constitucional e o progresso social do Brasil, não ‘apesar de’ tais realizações, mas ‘por causa de’ alcançá-las”, declarou o júri da entidade.
A premiação ocorre no próximo dia 24 de janeiro.
Da pagina Lula.com.br

Edivaldo anuncia pagamento de abono salarial aos professores da rede municipal




O prefeito Edivaldo Holanda Junior anunciou em suas redes sociais a concessão e pagamento de abono salarial aos professores da rede municipal da capital. O pagamento será feito pela Prefeitura de São Luís feito já nas próximas semanas. 
A concessão do benefício aos docentes ocorrerá com parcela extra do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). 
Ainda esta tarde as equipes técnicas das secretarias municipais de Educação, Governo, Fazenda e Administração da capital se reúnem para definir detalhes, como o cronograma de pagamento. 
Os profissionais do magistério da rede básica de educação de São Luís podem ficar atentos aos canais de comunicação da Prefeitura de São Luís para obterem mais informações sobre o benefício.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Vaza Jato: Nova reportagem mostra esquema entre Antagonista e Deltan Dallagnol




Nova reportagem da Vaza Jato publicada nesta segunda-feira (20) pelo Intercept Brasil revelou que procuradores da Operação Lava Jato usaram o site Antagonista para influenciar na escolha do novo presidente do Banco do Brasil no governo de Jair Bolsonaro. No final de 2018, a força-tarefa atuou em conjunto com repórteres do portal para evitar que Ivan Monteiro, ex-presidente da Petrobras, assumisse a chefia do banco.
Visto como o responsável por “salvar” as contas da Petrobras, Monteiro era o nome mais forte entre os cotados para assumir o Banco do Brasil, uma escolha do próprio ministro da Economia, Paulo Guedes. A preferência, no entanto, desagradou Onyx Lorenzoni, atual chefe da Casa Civil de Bolsonaro e amigo próximo de Deltan Dallagnol.
Influenciado pelo descontentamento de Lorenzoni, Dallagnol ordenou a assessores a busca por documentos contra o ex-presidente da Petrobras e enviou quatro arquivos a Claudio Dantas, do Antagonista, que já fazia campanha para que Monteiro não entrasse no governo Bolsonaro.
Em conversas no Telegram, obtidas pelo Intercept, fica evidente a parceria entre a Lava Jato e o jornalista, assim como Diogo Mainardi e Mario Sabino, também do Antagonista, para prejudicar a imagem de Monteiro. Além de receberem documentos e informações em primeira mão, os repórteres também deixavam que procuradores ditassem a direção editorial do site.
A reportagem do Intercept também cita que Mainardi, dono e editor do site, acatou o pedido de Dallagnol e parou de publicar notícias sobre um escândalo de corrupção que envolvia o escritório de advocacia Mossack Fonseca, suspeito de abrir empresas offshore no Panamá. Mainardi também auxiliou Dallagnol em uma de suas investigações, que seguiu as dicas do comentarista e em seguida informou-o que o caso estava “fora da alçada” da operação.
Em outro caso, a Lava Jato seguiu um boato repassado por Claudio Dantas para pedir, sem autorização da justiça, a quebra do sigilo fiscal de Marlene Araújo Lula da Silva, nora do ex-presidente Lula, em 2016. No entanto, nada foi encontrado contra ela, que nunca foi indiciada ou acusada de crimes.
Revista Fórum

Ferida nacional: o governo do Brasil coloca acima de tudo e de Deus ideias nazistas que resultaram nos assassinatos de 6 milhões de judeus

De 9 milhões que residiam na Europa antes do Holocausto, o racismo nazista assassinou, nos fornos dos campos de concentração, mais de 1 milhão de crianças, 2 milhões de mulheres e 3 milhões de homens judeus. E, cada vez mais descaradamente, o nazismo se impõe como modelo político entre destacáveis autoridades brasileiras.

JM Cunha Santos


“Deutschland uber alles”, (Alemanha acima de tudo), o slogan da campanha de Hitler, é o mesmo slogan da campanha de Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo”. Vê-se logo que o ex-secretário da Cultura, Roberto Alvim, só caiu porque o governo não resistiu às pressões da Câmara Federal e do Senado, da maioria das instituições públicas, da comunidade judaica no Brasil e da indignação que rompeu as fronteiras do Brasil e alcançou até a própria Alemanha, onde, até hoje, também é crime fazer apologia do nazismo.
Ao copiar e ressaltar um discurso do ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels, Roberto Alvim certamente se sentiu licenciado pelo slogan do seu chefe Jair Bolsonaro.
O professor de História Odillon Caldeiras Neto, da Universidade Federal de Juiz de Fora, um dos principais estudiosos no Brasil do neofascismo e da extrema direita nacional, lembrou que essa tendência fascista no governo brasileiro não é exclusividade do ex-secretário Roberto Alvim. Em 2018, o senhor ministro da Educação, Abraham Weintraub, na esteira de um discurso conspiracionista, disse que “Os comunistas são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios”. Em 1930, os nazistas diziam: “Os judeus são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos jornais; eles são os donos dos monopólios”.
Nos delírios de Weintraub, os Sétubal, do Banco Itaú e os Safra, do Banco Safra seriam comunistas. Comunistas também seriam os Marinho da Rede Globo, e os Frias, do jornal “Folha de São Paulo”.
Esse ministro é um caso clássico de internação em clínica psiquiátrica.
A exaltação de figuras centrais e ícones do nazismo por membros do governo Bolsonaro, não se esgota nesses três exemplos. Há outros casos que ainda podem ser citados, como a defesa da volta do AI-5, feita por Eduardo Bolsonaro, Augusto Heleno e Paulo Guedes. Ou, mesmo, o próprio presidente Jair Bolsonaro fazendo apologia do coronel assassino e torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra.
Diga-se, entretanto, que conforme o professor Odillon Caldeiras Neto, o nazismo é a expressão mais radical, intolerante, genocida e racista do fascismo. O livro Mein Kampf (Minha luta) de Adolf Hitler, nunca passou de um misto de autobiografia e panfleto antissemita. Tanto que, de 9 milhões que residiam na Europa antes do Holocausto, o racismo nazista assassinou, nos fornos dos campos de concentração, mais de 1 milhão de crianças, 2 milhões de mulheres e 3 milhões de homens judeus.


Essa intentona nazifascista é a maior vergonha que pode ter vivido o povo brasileiro em toda a sua História. Enquanto os próprios alemães se envergonham do que aconteceu em seu país, principalmente do holocausto racista do povo judeu, autoridades brasileiras retomam os discursos nazistas que, em cálculos nunca exatos, teriam resultado nas mortes de, no mínimo, 45 milhões de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial.

domingo, 19 de janeiro de 2020

Um dia tudo vai virar amor

JM Cunha Santos



Um misógino paquiderme
desacelera a nossa harmonia
eu escapo, funil, ao verme
e me afogo de democracia
A máquina do mal na pista
não explica se é noite ou se é dia
quando nos bate a patada racista
e nos corrói sua vã xenofobia
Em horror de uma casca nazista
em pavor da multidão armada
só não me peça que do amor desista
que amor sem quase amor é quase nada
Não viveremos o expurgo da distância
no teu discurso que poreja azia:
pais da sangueira e da intolerância
filhos do ódio em vã supremacia
Um dia terá tudo a mesma cor:
o mesmo azul que a vida fantasia
um dia tudo vai virar amor
- não sobreviverás aos beijos desse dia

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Porque Flávio Dino venceria Jair Bolsonaro facilmente num eventual segundo turno da eleição presidencial

JM Cunha Santos


Num cenário hipotético em que Flávio Dino e Jair Bolsonaro disputem o segundo turno da próxima eleição presidencial, é quase impossível que o senhor capitão presidente tenha alguma chance de vencer. E, aqui, explico os porquês das razões que me levam a pensar assim.
Será a batalha da honestidade reconhecida nacionalmente no tratamento dos negócios públicos (Flávio Dino) contra a lógica das “rachadinhas” familiares e das propinas na Secretaria Nacional de Comunicação pagas pela mídia alinhada ao presidente a empresas ligadas ao secretário Fábio Wajngarten.
Uma luta a ser travada entre quem defende a a Justiça e o direito à vida (Flávio Dino) e um candidato a reeleição que pretendeu conferir ao Estado poder de vida e morte sobre o cidadão, (Jair Bolsonaro), através de excludentes de ilicitude para policiais que matarem em serviço.
Uma escaramuça eleitoral entre um candidato que privilegia a agricultura familiar e o Mais IDH (Flávio Dino) e outro (Jair Bolsonaro) que quer tornar inimputáveis os crimes de fazendeiros e grileiros que matarem lavradores e Sem Terras.
Uma batalha pelo voto entre um candidato que defende a liberdade de imprensa e a liberdade de expressão (Flávio Dino) e outro, (Jair Bolsonaro), que estimula a censura e insulta jornalistas considerando-os “uma raça em extinção”.
Uma briga eleitoral entre um governador que tem o respeito e admiração de seus comandados (Flávio Dino) e um presidente que praticamente foi escorraçado do partido que o elegeu, o PSL, (Jair Bolsonaro), e a quem seus próprios ministros consideram despreparado para exercer o cargo que ocupa. Que o digam o general Augusto Heleno e o ministro Sérgio Moro.
Um entrevero político entre um governador ambientalista (Flávio Dino) que revela sérias preocupações com o destino da Amazônia e, consequentemente, da humanidade e um presidente que não esconde seu apego a madeireiros que castram e incendeiam a Amazônia.
Um debate eletivo entre um candidato em luta contra as desigualdades sociais (Flávio Dino) e outro cujas preocupações estão centradas apenas em encher os cofres do Governo Federal, sem se importar com os sofrimentos e a pobreza que suas medidas provisórias e improvisadas possam acarretar para a população.
Um plebiscito entre um candidato que é, sem sombras de dúvidas, um ardoroso defensor dos Direitos Humanos (Flávio Dino) e outro, (Jair Bolsonaro), que o país tem por misógino, xenófobo e racista, defende tortura e fez campanha de metralhadora nas mãos.
Por fim – e apenas para que a matéria não se alongue muito – a disputa de um governador que, como candidato a presidente, deixará um lastro de mais de 1.000 obras para a Educação em seu Estado e um presidente candidato à reeleição cujo ministro da Educação trata os estudantes de Ciências Sociais de maconheiros e vagabundos e escreve impressionante com C.
Como se vê, em uma eventual disputa de segundo turno entre Flávio Dino e Jair Bolsonaro, não sobraria ao capitão nem discurso para se dirigir aos eleitores.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Lula admite apoiar Flávio Dino para presidente da República


“Ou com Lula ou com Haddad, Flávio Dino estará na nossa chapa nas próximas eleições presidenciais”. (Deputado Paulo Teixeira, vice-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores).

JM Cunha Santos


Para fazer estourar de uma vez por todas a bílis nos fígados da extrema direita bolsonarista, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva admitiu, em recente entrevista à TVT, apoiar a candidatura do governador do Maranhão, Flávio Dino, na disputa pela Presidência da República no ano de 2022.
Em resposta a pergunta do entrevistador, Lula respondeu: “Admito, como não? O PC do B já me apoiou quatro vezes”. E acrescentou: “Eu gosto do Flávio Dino. Acho ele uma figura competente, um companheiro da maior lealdade comigo em todos os meus processos. Eu tenho por ele um apreço extraordinário. Agora veja, o PT é um partido muito grande comparado ao PC do B”, disse Lula sugerindo que o governador maranhense deixe o PC do B e se candidate por outro partido, quem sabe até mesmo o próprio Partido dos Trabalhadores.
Lula considerou ainda que o governador do Maranhão terá dificuldades em se eleger pelo PC do B. “É difícil. O Dino sabe disso”, sentenciou.
NO PALANQUE DA JUSTIÇA SOCIAL
Por outro lado, em entrevista ao Metrópoles, o governador Flávio Dino declarou que em um cenário hipotético com o ex-presidente Lula da Silva como candidato do PT, ele estará no palanque apoiando a volta do petista à Presidência. “Nesse cenário hipotético, de o presidente Lula poder ser candidato, certamente eu estarei neste palanque apoiando essa candidatura. Acho que seria a expressão da retomada de uma perspectiva de crescimento com justiça social e distribuição de renda”, disse o governador.
Brasil afora, as démarches pela consolidação de uma candidatura de Flávio Dino à Presidência, crescem em todas as direções. O deputado federal e vice-presidente nacional do PT, Paulo Teixeira afirmou, recentemente, que o governador do Maranhão comporá a chapa do partido em 2022. “Ou com Lula ou com Haddad, Flávio Dino estará na nossa chapa nas próximas eleições presidenciais”, assegurou.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Imprensa nacional destaca que 1ª escola pública bilíngue do país fica no Maranhão




Veículos de comunicação de diversas regiões têm noticiado um marco no ensino brasileiro: a primeira escola pública bilíngue do país. E ela fica no Maranhão.
A escola começa a funcionar neste ano, com cerca de 100 estudantes do 1º ano do Ensino Fundamental I, na capital maranhense. A iniciativa é do Governo do Estado.
“Maranhão abriga primeira escola pública bilíngue do Brasil”, publicou o portal R7, da TV Record. A reportagem disse que “a novidade faz parte da meta do grande investimento em educação que vem sendo feito pelo governador Flávio Dino. No estado, os professores que trabalham 40 horas têm o piso salarial de R$ 5.751,00 desde 2018, o maior do país”.
“A implantação da escola servirá como projeto piloto para a rede de ensino do Maranhão, que pensa em expandir o modelo e experiência posteriormente para outras escolas”, acrescentou o texto.
O blog Meio Norte também deu a notícia e trouxe uma declaração do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão: “Apesar da oferta do Ensino Fundamental não ser responsabilidade do Estado, iniciaremos essa experiência com a oferta da educação bilíngue pelo Fundamental menor, exatamente por esse ser o momento adequado para alfabetização das crianças, inclusive em um idioma estrangeiro”.
“Será uma experiência inédita, que estamos trabalhando com muito cuidado no projeto pedagógico, que poderá, posteriormente, servir de modelo para outras redes públicas e até para expansão na rede estadual de ensino”, complementou o secretário.
O perfil no Facebook do Quebrado o Tabu também publicou a notícia, assim como o site Somos Notícia.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Lava Jato em xeque: OAS e Odebrecht compraram delações premiadas de Executivos a R$ 20 milhões por cabeça


JM Cunha Santos


Uma notícia no jornal Valor Econômico deve tumultuar tudo o que diz respeito a delações premiadas no entorno da Operação Lava Jato. Conforme o jornal, a Odebrecht pagou R$ 1,5 bilhão a 77 executivos e ex-executivos da empresa para fazerem delações premiadas e, com isso, pavimentarem o caminho para o acordo de leniência da empresa. Também a OAS pagou R$ 6 milhões para que seus delatores “adequassem” suas delações.
Entenda-se: grande parte das condenações e prisões decorrentes da Operação Lava Jato são consequência de delações premiadas que, pelo que se vê, podem ter sido compradas não apenas pela OAS e Odebrecht, mas por tantas outras empresas alcançadas pelas investigações da Polícia Federal.
A oferta de recursos em troca das delações premiadas implica em pelo menos R$ 20 milhões por cabeça de executivo delator.
E não há como não lembrar que o ex-juiz Sérgio Moro condenou Lula a mais de 9 anos de prisão por conta de um triplex no valor de R$ 1,5 milhão que, por sinal, o ex-presidente nunca recebeu.
Não bastassem as revelações feitas pelo The Intercept Brasil de que o ex-juiz Sérgio Moro e membros do Ministério Público aparelharam as investigações na Lava Jato de modo a condenar adversários políticos, esta informação recente do “Valor” enterra de vez a Operação Lava Jato no terreno do mais brutal jogo de interesses pessoais e contorções jurídicas, bem distante dos ideais de Justiça que devem orientar toda e qualquer investigação.
Curioso é perguntar como fica o povo brasileiro diante desta nova revelação: delações premiadas foram compradas e no entorno da Lava Jato ninguém sabe o que mais se vendeu e se comprou.

Documentário sobre o golpe de 2016, Democracia em Vertigem disputará o Oscar




Democracia em Vertigem, documentário dirigido por Petra Costa e distribuído pela Netflix, foi indicado nesta segunda-feira (13) oficialmente ao Oscar 2020 no quesito "melhor documentário".
Em Democracia em Vertigem, a cineasta faz um retrato do processo de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma da presidência do Brasil, em 2016, apontando os esquemas escusos que culminaram na ascensão de Michel Temer no poder, além da crise social que o país enfrenta desde 2013 com a intensificação da polarização política.
A história começa a ser contada a partir do primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, analisando a crise política no Brasil.
Brasil 247

Serviço Travessia foi ampliado no Maranhão, mostra pesquisa do G1




O levantamento nacional do G1 que colocou o Maranhão novamente entre os dois governos mais eficientes do Brasil mostra também que o compromisso de ampliar o Programa Travessia foi cumprido em 2019.
De acordo com o G1, da TV Globo, o governador Flávio Dino já cumpriu ou está cumprindo 70% das propostas feitas em sua campanha de reeleição. Isso coloca o Maranhão como um dos dois mais eficientes do país, ao lado do Ceará, com 74%.
Um dos compromissos é a expansão do Programa Travessia, que leva mobilidade a pessoas com deficiência e dificuldade de locomoção.
A página do G1 referente a esse ponto diz que “até 2018, último ano do mandato anterior, o Programa Travessia atuava em 28 municípios do Maranhão com mais de 1.500 pessoas cadastradas e frota de 22 veículos”.
Agora, acrescenta, “o número de cidades beneficiadas pelo programa subiu para 29 (com a inclusão de Codó), ainda com 22 veículos, mas com 3.752 pessoas cadastradas”.
O Travessia vai continuar sendo ampliado no Estado. Já foram realizadas mais de 90 mil viagens em pouco mais de três anos de existência do programa.

sábado, 11 de janeiro de 2020

Flávio Dino e Edivaldo Holanda Júnior reconstroem o Maranhão e São Luís, vítimas da indigência administrativa do grupo Sarney


JM Cunha Santos


Solapando a vontade popular por meio de fraudes e contorções jurídico-eleitorais, o grupo Sarney se manteve 50 anos no poder. Tempos em que o Maranhão se afogou num mar de torpezas e misérias e a ilha de São Luís, antes de água, cercou-se de um arcebispado de injustiças sociais e corrupção.
Bastaram, pois, 5 anos de Flávio Dino no poder (Governo do Estado) e outros tantos de Edivaldo Holanda Júnior (Prefeitura de São Luís) para que arrancassem o Maranhão e São Luís de décadas de atraso e paralisia e os lançassem nos caminhos do progresso e desenvolvimento.
O prefeito de São Luís realiza, hoje, o maior conjunto de obras da administração pública na história da capital maranhense. Tanto que o governador o credencia ao afirmar que a sucessão municipal passa por Edivaldo Holanda Júnior. São nada mais nada menos que 200 Km de pavimentação em diversos bairros, somando-se obras já concluídas e em andamento. Também reformas de praças, unidades de saúde, feiras e mercados, macrodrenagem e requalificação.
No âmbito dos Estados, a pesquisa anual do Portal G1 (Rede Globo) mostra novamente o Maranhão entre os dois governos mais eficientes de todo o Brasil. O G1 faz esse levantamento desde 2015 e conclui que em 2019 o governador Flávio Dino cumpriu 70 % dos compromissos assumidos em sua campanha de reeleição, ao lado do Ceará, este com 74 %. Em 2015, o Maranhão ficou em 2 lugar no ranking do G1, mas assumiu a liderança até o final do primeiro mandato de Flávio Dino.
Para encurtar conversa, sem entrar no mérito de outras áreas da administração pública, em 5 anos Flávio Dino deixou um lastro de 1.000 obras na área da educação e na área da segurança pública, nos mesmos 5 anos, reduziu em 72 % o número de homicídios na grande São Luís. Índices não alcançados por nenhum outro governante do país.
Por isso que, por mais malabarismos estatísticos que façam os adversários, é quase certo que a aliança Flávio Dino-Edivaldo Holanda vença a eleição de 2020 para prefeito de São Luís. Afinal, foram-se os tempos de indigência administrativa protagonizados pelo grupo Sarney.

Márcio Jerry destina R$ 300 mil para equipar laboratórios da Uema de Colinas




O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) confirmou, nesta sexta-feira (10), a destinação de R$ 300 mil em emenda parlamentar para o Campus da Universidade Estadual do  Maranhão (Uema) de Colinas, município do médio sertão maranhense. O dinheiro, que será usado para equipar os laboratórios da instituição está contemplado no Orçamento Geral da União aprovado pelo Congresso Nacional.
Durante viagem oficial do deputado à região, a gestora agradeceu o apoio do deputado e falou sobre a importância do recurso. “Somos cientes da importância da Uema não somente para Colinas, mas também para todos os municípios vizinhos. Portanto, esta emenda foi um grande presente. O valor servirá para a aquisição de equipamentos e materiais permanentes para os nossos laboratórios de Ensino e pesquisa”, explicou.
Ao lado da prefeita Valmira Miranda (PDT) e da gestora Cícera, Jerry destacou o papel da educação para o desenvolvimento regional. “É por meio da educação que podemos transformar o  Brasil e o destino dos jovens do nosso país. Nada mais justo, então, que recursos públicos garantam em meios de aprendizado”, disse.

Porto do Itaqui cresce 12% e amplia mercados




O Porto do Itaqui cresceu 12% em 2019, com 25,2 milhões de toneladas de cargas movimentadas, a maior marca de sua história. Além do aumento nos volumes, com destaque para os granéis líquidos, que tiveram alta de 24% em relação a 2018, o ano foi marcado pela ampliação de destinos no mercado externo e fortalecimento da importância do porto público do Maranhão como exportador do Arco Norte do Brasil.
“Este foi o melhor ano do Porto do Itaqui, resultado de uma série de mudanças, com a implantação de uma visão moderna de gestão – focada em indicadores e resultados –, que foi bem recebida pelo setor privado, e também da própria dinâmica econômica da região centro norte do país”, afirma o presidente do Itaqui, Ted Lago.
As operações com granéis sólidos chegaram às 15,8 milhões de toneladas e o milho foi a carga que mais cresceu, 164% acima do que no ano anterior, com 3 milhões de toneladas movimentadas. O volume enviado para a África cresceu seis vezes, superando a Europa como principal destino. Outros 12% do volume total de milho escoado pelo Itaqui – mais de 350 mil toneladas – chegaram a novos destinos neste último ano, como Irlanda, Japão e Israel.
Entre os estados originários de carga, o Maranhão dobrou o volume de milho exportado e o Mato Grosso seguiu na liderança, com 2 milhões de toneladas, quase 60% do volume movimentado no ano.
No conjunto das principais cargas importadas, a movimentação de entreposto de combustíveis obteve volume 80% maior do que em 2018, com 3,5 milhões de toneladas movimentadas. As operações com manganês registraram aumento de 217% e as cargas de fertilizantes cresceram 11%, ultrapassando os 2 milhões de toneladas.
Para este ano a perspectiva é de mais crescimento, com a entrada em operação da segunda fase do Tegram, da expansão de tancagem da Ultracargo e do novo terminal de fertilizantes, além do início das obras do terminal de celulose da Suzano, que prevê gerar 450 empregos diretos.
O Tegram deve dobrar a capacidade de exportação para 14 milhões de toneladas/ano. Com a nova estrutura, a Ultracargo deve aumentar em, no mínimo, 48 mil metros cúbicos a capacidade atual de armazenamento e o terminal da COPI – Companhia Operadora Portuária do Itaqui, que deve iniciar as operações até dezembro, estima movimentar 3,5 milhões de toneladas de fertilizante/ano, com logística integrada à malha ferroviária da Norte-Sul.
Conforme anunciado, deve ir a leilão pelo Governo Federal no primeiro semestre o arrendamento de quatro novos terminais de combustíveis, investimento estimado em R$ 450 milhões, vai dobrar a capacidade de armazenamento do Itaqui até 2021.
Na área de gestão a EMAP se prepara para conquistar mais duas certificações internacionais, a ISO 45000, primeira Norma ISO na área de Segurança e Saúde Ocupacional, e a ISO 27000, dedicada à Segurança da Informação. Somadas às já conquistadas ISO 9001:2015 (Qualidade) e ISO 14001:2015 (Meio Ambiente), o porto público do Maranhão será o único do país a ter quatro certificações.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Política; o inferno abriu as portas e soltou a Besta do Apocalipse


JM Cunha Santos


Prova disso é um renomado psicopata, do quilate de Donald Trump, no comando do exército mais poderoso do mundo, colocando a humanidade em polvorosa com práticas extensivas de terrorismo de Estado e anunciando, sob o olhar complacente dos republicanos, uma série de crimes contra a humanidade. E – que Deus nos acuda - com o aval da estupidez que hoje mora no Itamaraty.
Outra prova é a banalização do mal que escapa às bocas do governo Bolsonaro. Coisas como licença para matar, defesa do mais abominável dos crimes, a tortura e letais ataques às ciências sociais e seus cultores, inclusive pelo ventoso Weintraub, ministro da educação.
Mais perto de nós, facções criminosas do Ceará adotaram a prática de decretar a morte de meninas adolescentes, ao som de xingamentos como marmitinha, safada, pirangueira e divulgação dos cadáveres nas redes sociais. Matar crianças... até para bandidos sem tripas nas almas, é demais.
Na segunda concepção de “besta”, o senhor ministro da educação escreve impressionante com C. Isso depois de sucessivas acusações e insultos contra estudantes de filosofia, sociologia, comunicação e afins, para ele um amontoado de maconheiros vagamundos que entopem as universidades, mas não querem estudar. Não onde ele aprendeu, é claro.
A ministra Damares, ofendendo o terceiro significado de Besta, pretende combater a gravidez precoce com campanhas de abstinência sexual dos jovens. Nada mais inviável e não passa de copydescagem de campanhas idênticas que nunca deram certo nos Estados Unidos. O combate à gravidez precoce deu mais certo em países que estimularam o sexo seguro e métodos anticoncepcionais.  
E o paquiderme político mor, o senhor presidente Jair Bolsonaro, escreveu este primor de tirania boçal: “eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao IBAMA. Vocês são uma raça em extinção”. Minha mãe do céu, será que ele pretende abrir a temporada de caça a jornalistas, com jaulas provisórias, portes de armas e fuzis AR-15?