Banner

Banner

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

#LulaÉCandidato lidera trending topic mundial no Twitter

Repercussão do registro da candidatura do ex-presidente é o grande assunto nas redes sociais

O assunto do registro da candidatura do ex-presidente Lula ganhou o mundo, por intermédio das redes sociais. A hashtag #LulaÉCandidato está na liderança entre os temas mais comentados do Twitter no mundo. Enquanto isso, em Brasília, milhares de manifestantes promovem um ato histórico em direção ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde o PT registrará a candidatura de Lula à presidência.
No Twitter, políticos, artistas, juristas e outras personalidades, inclusive internacionais, se juntaram à corrente pró-Lula e compartilham fotos e comentários a respeito da mobilização em Brasília e publicam as hashtags #LulaLivre #LulaPresidente #OBrasilFelizDeNovo.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Agora é oficial: Lula é candidato




Confirmado o registro da candidatura do ex-presidente Lula à presidência da República. Foi postada nas redes sociais de Lula, às 17h21 desta quarta-feira 15, a foto do registro junto ao Tribunal Superior Eleitoral, que mobilizou dezenas de milhares de manifestantes em Brasília.
Foram ao TSE efetuar o registro a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann; a ex-presidente Dilma Rousseff; o ex-prefeito Fernando Haddad e a deputada Manuela D´Avila, que desistiu da candidatura a presidente pelo PCdoB para ser vice na chapa do PT depois que o TSE julgar a candidatura de Lula.
Haddad anunciou que irá "rodar o país" para levar a mensagem de Lula aos eleitores. "Queremos que ele [Lula] esteja presente nos debates. Queremos que a legislação a partir de hoje autorize. O artigo 16 do Código Eleitoral é claríssimo. Enquanto a candidatura estiver sub judice, ela goza das mesmas prerrogativas de qualquer outra candidatura", declarou.
Confira o texto publicado no site de Lula:
É oficial! Lula é o candidato do Partido dos Trabalhadores à Presidência da República. A candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva foi registrada oficialmente junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (15/08). O registro foi feito nos braços do povo: milhares de pessoas participaram da Marcha Lula Livre, que terminou em um grande ato popular em Brasília, celebrando o registro oficial Lula candidato.
Nas palavras de Fernando Haddad, vice-presidente na chapa de Lula (uma coligação entre PT, PCdoB e Pros) e seu porta-voz, "o registro da candidatura de Lula é um ato de obediência à vontade do povo e à Constituição Federal".
Na data, 152 juristas entregaram carta em que defendem a Constituição Federal, a legalidade e a candidatura de Lula. O apoio nacional e internacional à candidatura de Lula vem crescendo, e os juristas são enfáticos em afirmar que Lula tem direito a ser candidato, participar de debates e ter seu nome nas urnas no próximo dia 7 de outubro.
No dia 15, o ex-presidente fez questão de mandar um recado: "dá pra construir um Brasil melhor e vocês sabem disso, porque já vivemos isso".
(Brasil 247)

Flávio Dino vence no primeiro turno com 61,76%, diz nova pesquisa DataIlha



Divulgada pela TV Difusora nesta quarta-feira (15), um dia antes do início da chamada ‘campanha de rua’, pesquisa realizada pelo Instituto DataIlha revela que se as eleições fossem hoje o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), seria reeleito no primeiro turno com 61,76% dos votos válidos. 
A projeção aponta que Dino venceria a eleição com mais de 28 pontos percentuais à frente da segunda colocada, Roseana Sarney (MDB), que obteve 32,93% das intenções de voto.
Ainda segundo o estudo, em terceiro lugar aparece Roberto Rocha (PSDB), com 3,19%, seguido de Maura Jorge (PSL), com 1,14%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,37% e Odívio Neto (PSOL), com 0,61%.     
Na votação nominal, que considera os indecisos, brancos e nulos, Dino também aparece na frente, com 51,1%. Nesse cenário, Roseana Sarney foi escolhida por 28,1% dos entrevistados, seguida por Roberto Rocha, com 3,0%; Maura Jorge, com 1,4%. Ramon Zapata e Odívio Neto aparecem com 0,5% cada um. Não souberam ou não responderam somaram 9,8%. Brancos e nulos 5,6%.     
Essa é a terceira pesquisa DataIlha/Difusora divulgada esse ano. A anterior foi publicada em maio e já apontava vitória de Dino no primeiro turno com 60,03% dos votos válidos. 
Aprovação
A pesquisa mediu ainda o nível de satisfação da gestão Flávio Dino entre os maranhenses. Segundo o DataIlha, o atual governo é aprovado por 60,92% dos maranhenses e 39,08% disseram não aprovar a administração Dino. Na votação nominal, Dino tem aprovação de 58,32% e não é aprovado por 37,41 dos entrevistados. Não responderam ou não souberam responder somaram 4,27%.
Corrida presidencial
O Instituto DataIlha também analisou as intenções de voto para a disputa presidencial. O ex-presidente Lula (PT) é o favorito entre os maranhenses, com 67,09%, seguido de Jair Bolsonaro (PSL), com 19,51%; Ciro Gomes (PDT), com 5,70%; Marina Silva (Rede), com 4,75%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 1,42%; Henrique Meirelles (PMDB), com 0,74 %. Alvaro Dias (Podemos) e Guilherme Boulos (PSOL) aparecem cada um com 0,21 % e João Amoêdo (Novo) aparece em último lugar, com 0,16%. A deputada gaúcha Manuela D’Ávila (PCdoB) aparece na pesquisa com 0,21% dos votos, mas ela abdicou da candidatura para apoiar o PT. 
Realizada com 2.037 maranhenses em 36 cidades entre os dias 4 e 6 de agosto desse ano, a pesquisa DataIlha/Difusora foi registrada no TSE sob o número MA-03307/2018. A margem de erro é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

A triste história de Rose Tapetão que, à falta de tapete, voou num rabo de foguete

JM Cunha Santos



Sem voto em canto nenhum, Rose Tapetão lembra os velhos tempos do abuso de poder econômico, das canetadas eleitorais, das contas de luz e água e até prestação de TV e geladeira dos eleitores pagas para ganhar eleição e, em seu desalento, contempla o pai que se diz falido, matando cachorro a grito e que já não gosta de satisfazer todas as suas vontades.
- Pai, eu lhe pedi um tapete, eu preciso de um tapetão, daqueles bem grandes, da Pérsia, do tamanho do que o Senhor me deu quando Jackson Lago foi governador. Cadê o meu tapete, papai?
- Filha, sabe que eu tou sacrificado, só tenho R$ 250 milhões agora. Tou latindo no quintal pra economizar cachorro. O Sérgio Machado pediu o dinheiro de volta, o Paulo Roberto Costa também, o Alberto Youssef está preso. Tá difícil. Um tapete desses, importado, sai muito caro e, nos dias de hoje, é muito difícil achar um no Brasil.
Rose Tapetão, indignada, assumindo ares de menina mimada, chorava e batia os pés.
- Eu quero um tapetão, eu quero um tapetão!
E argumentava:
Pai, com aquele tapete que o senhor me deu daquela vez eu fiz tanta coisa boa.. Fiz refinaria de papel crepon, construí estrada fantasma, fiz umas escolas velhas de palha, com teto furado que os animais invadiam, pro povo estudar, aumentei em 1000 por cento o índice de criminalidade, baixei até onde pude os salários dos professores e dos policiais. Foi a melhor época da minha vida.
- Filha, esquece esse negócio de tapete, esquece o passado. A história só se repete como tragédia.
- Tragédia? Tragédia é esse juiz com esse monte de votos, construindo hospitais modernos, escolas dignas, escolas profissionalizantes, asfaltando cidades inteiras, pagando o melhor salário para o magistério, sendo tratado como melhor governador do Brasil. Eu quero um tapete, papai. Sem um tapetão eu não consigo mais voar.
- Minha filha, por favor, me deixe em paz...
E eram sinceras as lágrimas da rebenta, lembrando do tapetão mágico.
- Naquele tapete eu conheci todos os paraísos fiscais do mundo, joguei Pif Paf na Ucrânia, Bisca nas Ilhas Fiji, Pôquer na Suíça. Ah...tempo bom. E as viagens que fiz com Edilazio, aquele deputado que a cada eleição mais se assemelha a um Ato Jurídico Imperfeito? Que coisa boa... E os voos rasantes que dei com Lobão no tapete mágico? Sobre as Ilhas Cayman, sobre a Diamond Moutain? Ah...que delícia... E os rachas que disputei com os helicópteros da saúde de Andrea... Eu preciso de outro tapetão meu pai, por favor.
- Eu já disse que não tenho dinheiro. É melhor não insistir.
- Velho, o seu dinheiro é como bosta de cabra, não diminui, nem acaba. Eu é que não posso comprar um tapete desses que só tenho R$ 11 milhões, meu pai.
Mas coração de pai não tem jeito. Sem dinheiro para comprar o tapete, o velho comprou um foguete. E foi nele que Rose Tapetão viajou pra lua depois da eleição de 2018, levando Lobão, Edilazio, Andrea, Sousa Neto, Adriano e outros saudosistas do TAPETÃO.

Maranhão tem a quinta maior redução de homicídios do Brasil




A mais recente edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que o Maranhão continua reduzindo os homicídios e teve a maior queda nesse tipo de crime entre 2016 e 2017 no Nordeste.
A publicação é feita pelo Fórum de Segurança Pública, uma das mais respeitadas instituições no Brasil quando o tema é o combate à violência.
De acordo com o estudo, o Maranhão teve queda de 12,9% nos homicídios entre 2016 e 2017. Outros quatro Estados também tiveram redução, mas menor que a maranhense. O Piauí registrou diminuição de 7,2%, seguido por Bahia (queda de 5,2%), Paraíba (queda de 3,6%) e Alagoas (queda de 0,1%).
Os piores resultados são do Ceará (alta de 50,4%) e Pernambuco (alta de 19,4%). Rio Grande do Norte e Sergipe não tiveram os dados divulgados.
Brasil
O resultado do Maranhão também destoa da média nacional, que registrou aumento de 2,1% nos homicídios entre 2016 e 2017. Levando em conta todo o país, o Maranhão teve a quinta maior redução.
Em números absolutos, o Brasil teve 55.900 homicídios em 2017, acima dos 54.338 verificados em 2016.
Segundo o estudo, das 27 unidades federativas, apenas 13 conseguiram reduzir o número de homicídios.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Com 3 a 1 pela condenação, pedido de vistas adia resultado de julgamento de Murad




O julgamento sobre a inelegibilidade de Ricardo Murad (PRP), condenado em primeira instância, foi suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA), após pedido de vistas do juiz Itaércio Paulino da Silva. Até o momento, o julgamento está 3 a 1 para a manutenção da condenação à Murad. A sessão foi adiada para o próximo dia 21 de agosto.
O relator do processo, o juiz Júlio César Lima Prazeres, votou a favor sentença da juíza Josane Araújo Farias, da 8ª Zona Eleitoral, de Coroatá, proferida em outubro do ano passado. Também votaram a favor os juízes Vicente de Paula Gomes de Castro, Welington Cláudio Pinho de Castro. O único a votar contra, até o momento, foi o juiz José Eduardo Moreira.
Faltam apenas o voto de mais dois juízes. Com o placar de 3 a 1, se receber mais dois votos a seu favor. Com o empate, Ricardo Murad dependerá da decisão do presidente do TRE, o desembargador Ricardo Dualibe. Caso tenha algum voto contra dos dois restantes, Murad ficará inelegível e impossibilitado de disputar as eleições para o cargo de deputado federal.

A saúde eficaz do Maranhão

Por Robson Paz


A crise econômica nacional levou mais de 60 mil usuários a deixarem os planos de saúde, entre junho de 2017 e junho de 2018. Os dados são do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Outro estudo divulgado pelo Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) do Ministério da Saúde mostra que mais de 34 mil leitos de internação foram fechados no país, nos últimos oito anos, na rede pública de saúde.
Vários estados e municípios fecharam hospitais, UPAs, atrasam salários dos profissionais de saúde. Situação que revela a gravidade da saúde pública no país. Como consequência, brasileiros, sobretudo os mais pobres, sofrem nas intermináveis filas para atendimento e nos corredores dos hospitais.
A despeito deste cenário caótico, o Maranhão mostra eficácia e ousadia na gestão da saúde pública. Criou inédita rede de atendimento hospitalar regional. Em três anos e meio, o governador Flávio Dino concluiu e entregou oito hospitais regionais, que atendem milhões de pessoas em todas as regiões. Hospitais de média e alta complexidade em Pinheiro, Imperatriz, Caxias, Balsas, Santa Inês, Bacabal, Chapadinha e HTO (Hospital de Traumatologia e Ortopedia) em São Luís. Com as novas unidades de saúde, o governo do Estado aumentou em 50% o número de leitos na rede pública. Feito extraordinário!
Aliado a este importante investimento, a consecução de programas como o Ninar, que oferta atendimento para crianças com problemas de neurodesenvolvimento, demonstra a dimensão humana e correta aplicação dos recursos públicos. E o mais emblemático: o acolhimento das crianças e familiares ocorre na antiga casa de festas do governo. Adaptada e reestruturada, a casa abriga aqueles que mais precisam.
Enquanto o país constata o recrudescimento dos índices de mortalidade infantil e materna, o Maranhão inova com a Força Estadual de Saúde, que leva esperança para população das 30 cidades mais pobres do Estado. Atenção básica que mitiga a ocorrência de doenças crônicas como hipertensão e diabetes, além da mortalidade infantil e materna. Atendimento realizado em povoados remotos, onde muitos jamais foram visitados por médicos.
Pacientes com câncer agora tem rede de tratamento estadual, a partir do Hospital do Câncer em São Luís, antigo Hospital Geral, e a descentralização dos serviços oferecidos também em Imperatriz e Caxias.
O projeto Sorrir garante às famílias de baixa renda tratamento odontológico gratuito. A maioria dos municípios foi contemplada com ambulâncias. Concursos públicos para profissionais de saúde foram realizados, depois de décadas.
Tudo isto resulta da prioridade e esforço fiscal do governo Flávio Dino para complementar o subfinanciamento do sistema de saúde público estadual – são apenas R$ 25 milhões do SUS (Sistema Único de Saúde) por mês. O governo investe R$ 115 milhões mensais em recursos próprios.
A saúde é direito de todos. Contudo, por muito tempo este foi negligenciado. Agora, enquanto o Brasil regride com a PEC do Teto, que congela por 20 anos investimentos na área, o Maranhão colhe frutos da semente da mudança. O impacto só não é ainda maior em face do êxodo da saúde privada para o sistema público de saúde.

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

Sarney tá liso, Roseana diz arreda, Ricardo Murad no vermelho e Lobão sem um tostão; Cadê o dinheiro que tava aqui?

JM Cunha Santos


A campanha começa nesta quinta-feira com um “Acredite se quiser”: Dono de uma fortuna calculada em R$ 250 milhões, conforme noticiou o Blog do Gilberto Lima, o ex-senador José Sarney fez espalhar no mundo político que está sem dinheiro. Tanto que a Revista Veja publicou a seguinte nota, sob o título Desculpa Esfarrapada: “José Sarney continua o mesmo. A todos os fornecedores da campanha de Roseana ao governo do Maranhão diz que está sem dinheiro. Fala até em vender um imóvel para pagar algumas despesas. Ninguém acredita”.
Bom, se a situação de Sarney é tão ruim, é capaz de Roseana estar bem pior, Ricardo Murad no vermelho e Lobão sem um tostão. Ou, então, depois de velho, Sarney se tornou um sovina, canhenga, mão de vaca, pão duro, terra de cemitério.
Liso, Sarney? Mas cadê o dinheiro que, segundo a Polícia Federal, ele recebeu em propina da Transpetro?
Lisa, Roseana? Mas cadê a mala de dinheiro que, segundo a Polícia Federal, desapareceu no Hotel Luzeiros?
Liso, Ricardo? Mas cadê o bilhãozinho que a Polícia Federal afirma que sumiu da Secretaria da Saúde durante sua gestão?
Liso, Lobão? Mas cadê a montanha de dinheiro que os delatores da Lava Jato juram que foi parar em suas mãos?
Cadê o dinheiro que tava aqui?
Quem pode imaginar que Roseana Sarney, candidata de Michel Temer, homem que comprou o Congresso Nacional quase inteiro, por duas vezes, para se manter presidente, não possa mais contar com o dinheiro do papai para fazer campanha?
Liso mesmo quem está é o povo, com o gás de cozinha no preço que está, a gasolina aumentando diariamente, a energia elétrica impagável e o salário mínimo reduzido, tudo graças ao pai da candidatura de Roseana Sarney, o odiado Michel Temer.
E que tal a gente fazer uma vaquinha para pagar a conta de luz e comprar gás de cozinha para fritar regabofes de lagosta na Ilha de Curupu? 

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Encontrado corpo do segundo adolescente que se afogou na praia do Araçagy





Foi encontrado no final da tarde desta segunda-feira (13) o corpo de Felipe da Silva Pires, de 14 anos, que se afogou na praia do Araçagy, em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís. O caso aconteceu no início da tarde deste domingo (12).
Segundo o Corpo de Bombeiros, kitesurfistas acharam o corpo, que estava flutuando na água e foi avistado por uma equipe do Centro Tático Aéreo (CTA) na praia do Olho dÁgua, que fica a cerca de 4,5 km do local do afogamento.
Felipe da Silva estava com um grupo de amigos e se afogou junto com o seu irmão, Gabriel da Silva Pires, de 13 anos. O corpo de Gabriel foi encontrado ainda na tarde do domingo (12).
As causas para o afogamento dos dois irmãos ainda estão sendo investigadas, mas o Corpo de Bombeiros acredita que uma corrente marítima pode ter levado os dois para longe da areia e causado o afogamento.
(G1 MA)

Continuam as buscas por adolescente que desapareceu na Praia do Araçagi



O Corpo de Bombeiros reiniciou na manhã desta segunda-feira (13) as buscas pelo adolescente Felipe da Silva Pires, de 14 anos, que se desapareceu no mar, nesse domingo (12), quando se divertia com a família na Praia do Araçagi, em São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís. Ele estava em companhia do irmão, Mauro Gabriel da Silva Pires, de 13 anos, que se afogou teve o corpo encontrado ainda na tarde de domingo.
“Vamos fazer varreduras pela orla e buscas também com o uso de embarcações. Nossas praias são dinâmicas. Nós temos amplitude de maré muito grande, inclusive hoje (13) a altura da maré é de 6.3 próximo das 8h. Isso dificulta, pois temos registros de vítimas que foram encontradas 5 e até 10 km de distância de onde ocorreu o episódio de afogamento. Então, concentramos as buscas nas proximidades de onde houve a ocorrência, porém estendemos por toda a orla marítima”, disse o capitão do Corpo de Bombeiros, Lisboa.
Segundo o comandante, as correntes marítimas podem ter dificultado o retorno dos irmãos à faixa de areia.
“Os dois jovens estavam na companhia de outros dois jovens. Eles se distanciaram e desapareceram no mar. A gente associa a ação de correntes marítimas, que aqui são muito fortes em nossas praias. As correntes laterais, buracos ou correntes de retorno certamente dificultaram a volta dessas vítimas para a areia.
O Corpo de Bombeiros localizou o Mauro Gabriel por volta das 14h. Ele ainda passou por manobras de reanimação cardíaca, mas acabou morrendo. Os irmãos estavam na praia com os pais e outros parentes aproveitando o domingo de comemoração ao Dia dos Pais.

Candidatura de Flávio Dino está confirmada, afirma “O Estado do Maranhão”


A Justiça decidiu e o site do jornal “O Estado do Maranhão”, que tinha publicado o fake news de que Flávio Dino está inelegível, foi obrigado a dizer a verdade.

Por meio de decisão judicial, a Coligação Todos pelo Maranhão vem a este espaço confirmar a candidatura de Flávio Dino à reeleição, erroneamente negada por este jornal.
Com mais de 30 anos de vida pública, Flávio Dino nunca foi processado e tem a ficha limpa. Esta decisão vinda de uma juíza de Coroatá, em um caso de eleição municipal, não impede sua candidatura.
Dino e Carlos Brandão, seu candidato a vice, estão devidamente inscritos para debater propostas em favor da justiça social e do desenvolvimento do Maranhão. Da mesma forma, a candidatura de Márcio Jerry a deputado federal está garantida.
A coligação Todos pelo Maranhão reafirma a seriedade, a honestidade e o trabalho sério de Flávio Dino como juiz, deputado e governador.
A Democracia garante e exige que os mandatários submetam-se ao voto popular, livre e secreto, jamais submetendo-se a manobras que somente tumultuam o processo democrático.
Coligação Todos pelo Maranhão
Com informações de “O Estado do Maranhão”.

domingo, 12 de agosto de 2018

Irmãos adolescentes se afogam na Praia do Araçagy




Mauro Gabriel da Silva Pires, de 13 anos, e Felipe da Silva Pires, de 14 anos de idade, se afogaram na praia do Araçagy, em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís. O caso aconteceu no início da tarde deste domingo (12).
O Corpo de Bombeiros confirmou que eles eram irmãos e encontrou o corpo de Mauro Gabriel por volta das 14h03. Ele passou por manobras de reanimação cardíaca, mas acabou morrendo.
Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Corpo de Bombeiros e do Centro Tático Aéreo fazem buscas para encontrar o outro adolescente, Felipe da Silva, que continua desaparecido.
As causas para o afogamento ainda estão sendo investigadas.
G1 MA

Artigo de Flávio Dino: Pai, trabalho e exemplo




Como nos ensina o Livro de Tiago, na Bíblia, fé e obras devem caminhar de mãos dadas. Portanto, nada mais certo que sejamos coerentes entre o que temos de ideais e o que executamos em nosso dia a dia.
Tem sido um desafio fazer um governo coerente com meus princípios de justiça para todos, em meio à maior crise da história de nosso país. Mas é justamente nesses períodos que implantar bons princípios se torna ainda mais essencial. É só olhar para a situação em todo o país, com o brutal aumento do desemprego. Aqui no Maranhão, em junho, conseguimos criar um bom número de postos de trabalho. Fomos o estado do Nordeste que mais criou empregos. E o terceiro estado do país. Esse saldo positivo se verifica desde o ano passado.
Os números são resultado de uma gestão fiscal séria no nosso estado, que conseguiu manter o pagamento de servidores e a realização de obras, que têm ativado a economia e gerado empregos. Além de programas específicos que criamos, como o Mais Empregos, incentivo fiscal do governo por cada emprego gerado, com o qual conseguimos criar 500 postos de trabalho formal, na primeira etapa. Também tivemos o Mais Renda, que beneficiou milhares de empreendedores com equipamentos, capacitação e assessoria técnica. O mutirão Rua Digna vem melhorando o calçamento de 220 vias urbanas no estado, com a geração de milhares de empregos.
Quem governa não pode se perder no cipoal de burocracia, normas e contas. É preciso lembrar que cada decisão de Governo tem repercussões na vida de seres humanos, que são a parte mais importante da “contabilidade pública”. Por isso, a cada programa que criamos, sempre fico feliz quando posso olhar nos olhos dos destinatários das ações governamentais e ver esperança, pois essa é maior recompensa para quem governa com o coração.
Foi o que ocorreu sexta-feira passada em que recebi os alunos do IEMA que foram medalhistas na Olimpíada Internacional de Matemática da Ásia, na Tailândia. No olhar de cada jovem, havia felicidade e a esperança de um futuro melhor.
Só esse olhar já justifica o enorme esforço fiscal que temos feito para ampliar políticas públicas das quais o nosso povo merece e precisa. Felizmente, o Maranhão agora segue altivo e sereno e não sairá de seu caminho de mudanças que começou a trilhar nos últimos anos.
Esse é o maior presente para pais e mães, pelo qual luto todos os dias: ver os filhos bem tratados, respeitados nos seus direitos, com acesso a uma educação digna.
Desejo que todos os pais tenham um dia abençoado e cheio de amor. Meu abraço especial aos pais que sentirão saudade, a dura presença da ausência, mas que continuam a amar. Ser pai é uma missão divina, que deve ser exercida todos os dias, o tempo inteiro. Não importa se o filho já é adulto e mora longe, se é criança ou adolescente. Não importa nem se uma tragédia tenha levado, precocemente, o filho de volta ao Pai. Somos pais sempre e para sempre.

Sarney está vendo cubanos no banheiro e stalinistas debaixo da cama

JM Cunha Santos



Sarney já foi um falso comunista na juventude e traiu o Partido Comunista Brasileiro, de ilustres figuras à época, como Jorge Amado e outros, para servir à ditadura militar que no Brasil exilou, torturou e matou tanta gente.
Pois é, da mesma forma que Trotsky traiu a revolução soviética de 1917, Sarney traiu o Partido Comunista no Brasil. Quem sabe, foi com Trotsky que ele aprendeu traição, já que não se conhece um único de seus aliados que por ele não tenha sido traído. Foi assim com João Castelo, foi assim com Magno Bacelar, foi assim com Jose Reinaldo Tavares e foi assim com o presidente Luís Inácio Lula da Silva, escalando Roseana Sarney para ajudar na cassação de Dilma Roussef. Como prêmio, Roseana virou candidata de Michel Temer no Maranhão.
Agora, furioso porque seu nome não se faz mais onipresente em todos os prédios públicos do Estado, tática que segue a cartilha nazista de Joseph Goebbels, investe contra um programa de alfabetização que, como tudo no governo Flávio Dino, está dando certo.
Macarthista, desde que Flávio Dino chegou ao governo e passou a ser considerado o melhor governador do Brasil, Sarney, a exemplo das polícias políticas da ditadura militar brasileira, está vendo cubanos no banheiro e stalinistas debaixo da cama. Seu último artigo é um primor de fascismo ditado por delírios de poder. Afinal, Sarney dominou o Maranhão se valendo do analfabetismo, tanto que em 50 anos ele e seus adeptos não construíram uma única escola de ensino médio, tanto que no governo de sua filha as escolas eram galpões e armações de palha, tanto que até Flávio Dino chegar ao governo não existia uma única escola de tempo integral e nenhuma escola profissionalizante no Maranhão. Assim, aliaram o analfabetismo com o desemprego da juventude para convencer com discursos vazios e comprar votos se valendo da fome alheia.
Sarney consegue trair até à própria História. A verdade é que Leon Trotsky, sequioso de poder, tentou reunir o submundo capitalista da Europa e liderar uma conspiração internacional contra o exército revolucionário soviético. O sectário político deu origem ao adjetivo trotskista, desde aquela época sinônimo de traidor em todos os meios intelectuais socialistas do mundo.
Deve ser por isso que Sarney gosta tanto dele.  

sábado, 11 de agosto de 2018

Julgamento de Ricardo Murad será na próxima terça-feira

A polícia calculou, na época, que R$ 205 milhões foram parar nas contas de partidos políticos e comitês de campanha. Na lista, estava a prefeita de Coroatá, Teresa Murad.

JM Cunha Santos


No dia 18 de novembro de 2015, o programa “Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, trazia, junto com outros veículos da imprensa nacional, a notícia de que a Polícia Federal estava investigando um desvio bilionário na saúde do Maranhão. “O esquema envolve empresas terceirizadas e campanhas políticas. O dinheiro que saía dos cofres públicos do Ministério da Saúde, passava pelas empresas terceirizadas e acabava sendo usado em campanhas eleitorais”, denunciavam.
Nada menos que 200 policiais, representantes do Ministério Público e da Controladoria Geral da União participaram da operação que apreendeu carros, dinheiro e obras de arte, pediu a prisão preventiva de 13 suspeitos no Maranhão, Recife e São Paulo, em 60 endereços diferentes e a convocação de 27 pessoas para depor. A Polícia Federal pediu também a prisão preventiva de Ricardo Murad, que foi negada pela Justiça, mas ele acabou sendo levado para depor em regime de condução coercitiva e buscas policiais foram realizadas em sua residência.
Segundo noticiou o Bom Dia Brasil, os investigadores afirmaram que Ricardo Murad terceirizou a gestão da saúde pública para facilitar a fraude, que ocorreu entre os anos de 2010 e 2014, durante o governo de Roseana Sarney.
A fraude foi estúpida, monumental, astronômica. Conforme declaração do delegado Sandro Jansen, os repasses do Fundo Nacional de Saúde para o governo do Maranhão chegaram a R$ 2 bilhões entre 2010 e 2013. Destes, mais de 1 bilhão de reais foram desviados. “Pessoas com cargos em hospitais e entidades que receberam o dinheiro fizeram doações para políticos”, afirmaram.
As somas são gritantes. A polícia calculou, na época, que R$ 205 milhões foram parar em contas de partidos políticos e comitês de campanha. Na lista estava a prefeita de Coroatá, Teresa Murad, esposa de Ricardo. Conforme as investigações, somente uma empresa, Litucera, financiou as campanhas de 60 candidatos a vereadores no município de Coroatá, dos quais, 7 se elegeram. Na época, Roseana Sarney não quis comentar o caso.
Mas, concorrente com esse processo, um outro começou a correr na comarca de Coroatá, no qual Ricardo Murad foi condenado em primeira instância com a perda dos direitos políticos por 8 anos, por decisão da juíza Josane Araújo Farias, então titular da 8 Zona Eleitoral. Nele, Ricardo foi acusado de utilizar o cargo de Secretário de Saúde para viabilizar convênios de construção de poços artesianos, em pleno período eleitoral, quando Teresa Murad disputava o cargo de prefeito.
Neste caso, diferente da recente decisão da juíza Anelise Reginato, o parecer do Ministério Público foi pela inelegibilidade de Ricardo Murad, que será julgada em segunda instância, na próxima terça-feira, conforme agendado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

A Justiça descalça

JM Cunha Santos



Alguém já se perguntou porque Sarney, há tanto tempo, ganha praticamente todas as ações que se lhe acometem na Justiça do Maranhão?
O fato é que os processos contra ele e seus familiares quase sempre acabam arquivados, aqui e até em instâncias superiores. Eu disse ARQUIVADOS. Ninguém julga, ninguém examina sequer.
Vamos lembrar: o processo decorrente da Operação Boi Barrica ou Operação Faktor, da Polícia Federal, uma investigação das atividades financeiras subterrâneas de Fernando Sarney na política do Maranhão. Arquivado, por inconsistência das provas ou coisa parecida.
Outro: Jorge Murad foi pilhado em flagrante pela Polícia Federal com mais de 1 milhão de reais em notas de 50, o famoso caso do escritório da Lunus. Arquivado ou engavetado ou deram descarga nele, sei lá.
Outro: Mais recentemente Roseana Sarney foi absolvida na acusação de participar de um esquema de superfaturamento na construção de hospitais no Maranhão. Ela e tão somente ela, os outros 15 personagens do processo continuam réus, respondendo na Justiça.
“Sarney não perde na Justiça do Maranhão”. Ouço essa frase desde adolescente, da boca dos mais catedráticos observadores e dos mais analfabetos eleitores. O último exemplo disso foi a imoral cassação de Jackson Lago. “Eu não disse. Na Justiça, Sarney não perde pra ninguém”.
Já vi de tudo por aqui. Até desembargador envergando camisa do candidato Edison Lobão em meio a uma passeata político-eleitoral. Fotografaram, filmaram, não deu em nada. O mistério do poder de Sarney na Justiça permanece. É como se ele tivesse a absoluta incapacidade de cometer erros, de pecar contra a castidade dos cofres públicos.
Entretanto, a partir da conquista da autonomia do Ministério Público, antes uma espécie de instituição sem poder nenhum e da concepção do Conselho Nacional de Justiça, foi como se também uma nova geração de juízes, de fato imparciais, nascesse no Brasil, preocupados, inclusive, com a imagem deletéria do Poder Judiciário. O “Mensalão” e a “Operação Lava Jato”, independente dos erros que possam ter sido cometidos, lavaram a alma de um povo que não cansava de repetir que Justiça nesse país só existe para pobres e pretos.
Alguma coisa se modificou, realmente. Governadores, deputados federais, senadores, grandes empresários acabaram condenados diante dos olhares incrédulos da população. Mas é claro que sobraram algumas reencarnações de Minos e Radamanto, arquivando, engavetando, politizando os crimes dos poderosos e muito ricos, decidindo a seu interesse e ao arrepio da lei. E aqui voltamos ao exemplo do ex-governador Jackson Lago, vítima de um golpe judicial, que fez Roseana Sarney governadora, sem precedentes no Brasil.
Estamos agora diante do caso da juíza descalça que garante que nunca tirou os sapatos nos corredores da Mirante, mas de fato decidiu contra o Parecer do Ministério Público e provocou uma avalanche de contestações. Chamou em sua defesa a Associação Nacional dos Magistrados Estaduais que meteu os pés pelas mãos dizendo que a juíza está sendo ameaçada, coisa da qual ninguém tem conhecimento no Maranhão. Disse também que a doutora Anelise Reginato teve a vida particular exposta. Por quem, quando, que ninguém viu?
Mas esses são fatos menores. Não é importante saber quando e onde uma juíza ou um juiz tira seus sapatos. O importante é que a Justiça se mantenha calçada no princípio da imparcialidade. E, por todo histórico desse caso, não parece que foi o que aconteceu aqui.

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Dentista morre após acidente no Araçagy



No início da manhã de hoje (10) na  MA-204, sentido Araçagy/Raposa o dentista identificado como Gustavo Cássio,  foi vítima de um acidente fatal quando pilotava uma motocicleta de 1.100 cilindradas.

O acidente aconteceu por volta das 6h30 desta  sexta-feira (10).

Segundo informações preliminares o dentista estava em alta velocidade e  se chocou com um caminhão.

Gustavo não resistiu e morreu no local. O transito sentido Araçagy/Raposa ficou lento.

(Com informações Blog do Gilberto Lima)

Revista Carta Capital expõe “laços da juíza de Coroatá, Anelise Reginato, com a família Sarney”

Revista Carta Capital


Anelise Nogueira Reginato, juíza eleitoral de Coroatá, no Maranhão, determinou a inelegibilidade por oito anos do governador Flávio Dino por suposto abuso de poder econômico nas eleições municipais de 2016. A magistrada tem relações de proximidade com a família Sarney, adversária de Dino no estado.

A ação, movida há dois anos e aceita por Reginato às vésperas das eleições, partiu da coligação "Coroatá com a força de todos", liderada por Teresa Murad, mulher do ex-secretário de saúde de Roseana Sarney, Ricardo Murad. Dino foi acusado pela coligação de usar o programa de asfaltamento de ruas do governo para beneficiar Luís de Amovelar, do PT, candidato a prefeito de Coroatá em 2016.
A magistrada cita um áudio no qual o secretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos do Maranhão, Márcio Jerry, teria prometido a entrega do asfalto "com as eleições (...) dia 2 de outubro".
Em seu twitter, Dino afirmou que ele e o vice-governador Carlos Brandão Junior não estão inelegíveis para estas eleições. "O resto é a velha prática do grupo Sarney/Murad. Estão com síndrome de abstinência de privilégios. Aí ficam inventando coisas sem sentido."
Como a decisão é em primeira instância, Dino não será impedido de fato não será impedido de concorrer. Segundo interlocutores do governador, o principal risco, caso ele se reeleja, é a partir de 2019, quando a ação deve chegar ao Tribunal Regional Eleitoral. Uma decisão desfavorável a Dino poderia levar a uma cassação de seu mandato, que teria de ser confirmada no Tribunal Superior Eleitoral.
O caso preocupa ao se lembrar a campanha judicial contra Jackson Lago, governador do Maranhão eleito em 2006, falecido em 2011. Ele foi acusado de abuso de poder econômico e de compra de votos por Roseana Sarney, que ficou em segundo lugar no pleito. Em 2009, o TSE julgou a ação movida pela filha de José Sarney e decidiu, em votação apertada, anular os votos de Lago e de seu vice por abuso de poder. À época, o tribunal ordenou a diplomação de Roseana.
A equipe do governo estadual confia que o clima no judiciário local e nacional mudou desde então. Eles se apegam a uma decisão favorável a Luciano Leitoa (PSB), prefeito de Timon e aliado de Dino. Leitoa sofreu ação semelhante como a de Dino: foi acusado de abuso de poder político pelo uso eleitoral do programa Mais Asfalto. De acordo com interlocutores do governador maranhense, a acusação contra Leitoa não prosperou no TRE.
Apesar de analisar que há uma jurisprudência favorável, quadros próximos a Dino preocupam-se com o "fantasma" do caso de Lago, até pelo ambiente desfavorável no judiciário nacional em relação ao caso de Lula. Ex-juiz federal, Dino confia que a condenação será revertida na Justiça, mas a conjuntura política inspira cuidados.
Reginato tem laços com a família Sarney, que comandou por quase cinco décadas a política local. A juíza excluiu sua conta do Facebook após blogs locais divulgarem uma postagem da magistrada nas redes sociais em que avisava estar na TV Mirante, afiliada da Rede Globo no Maranhão e ligada à família do ex-presidente. "Nada como se sentir em casa, bem à vontade, sem chinelo... Ah...", escreveu Reginato.
A magistrada é casada com Márcio Fontenele, filho do radialista Hebert Fontenele, que trabalhou por anos no Sistema Mirante. Segundo interlocutores de Dino, o marido da juíza tem relações próximas com nomes como Edison Lobão Filho, que disputou as eleições estaduais contra o atual governador em 2014 como herdeiro político da família Sarney e de seu pai, o ex-ministro Edison Lobão. Na ocasião, Lobinho, como é conhecido no Maranhão, encampou uma ferrenha campanha anti-comunista contra Dino, mas acabou derrotado.


quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Flávio Dino: grupo Sarney quer usar PF para criar novo factoide



Em seu Twitter, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) denunciou mais um ataque contra ele vindo da família Sarney. “Avisaram-me que o grupo Sarney está tramando um novo factoide querendo usar a Polícia Federal. Não quero crer que um delegado se preste a esse tipo de armação. Seria mais uma desmoralização”, escreveu Dino em seu perfil na rede social.
Nesta quarta-feira, uma juíza eleitoral de primeira instância decretou a inelegibilidade de Dino por “abuso de poder econômico”. De acordo com a juíza Anelise Nogueira Reginato, da cidade de Coroatá, Dino teria usado o programa de asfaltamento de ruas do governo do estado para beneficiar o atual prefeito da cidade, Luís da Amovelar Filho (PT). Na decisão, a magistrada também decretou a cassação do mandato do prefeito.
A ação que culminou na sentença da juíza é de 2016 e só veio à tona agora, a dois meses das eleições e com Flávio Dino liderando todas as pesquisas de intenção de voto para o governo. A autora é Teresa Murad (MDB), derrotada nas eleições de 2016. Teresa é esposa do empresário Ricardo Murad, que é cunhado da ex-governadora Roseana Sarney, adversária de Dino nas eleições deste ano.
Em nota divulgada nas redes sociais, Flávio Dino mostrou saber que a sentença da juíza se trata de uma “armação” do clã Sarney para inviabilizar sua reeleição. “Fui juiz federal por 12 anos, sou professor de Direito Constitucional há 25 anos e, por isso, não levo a sério armações do grupo Sarney/Murad”, escreveu o governador. 
Como trata-se de uma decisão em primeira instância, cabe recurso na justiça eleitoral local e em instâncias superiores. Flávio Dino, no entanto, já informou que fará o registro de sua candidatura normalmente no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).



Para presidente do PCdoB-MA, tentam criar factoide para conturbar o processo eleitoral



O presidente do PCdoB-MA e pré-candidato a deputado federal, Márcio Jerry reagiu à decisão da juíza eleitoral de Coroatá, Anelise Nogueira Reginato, que determinou a sua inelegibilidade e a do governador Flávio Dino por oito anos.
Em entrevista, Jerry classificou a decisão monocrática e em primeira instância como “absurda”, “estranha” e “anormal”. Para Márcio Jerry, a decisão “é um caso muito estranho que infelizmente se assemelha a esses casos desses factoides que vemos todos os dias”.
Jerry disse que se assustou ao ler a sentença da juíza de Coroatá pela falta de coerência jurídica. “Lamento muito que uma decisão seja tomada sem o menor fundamento”, avaliou.
Pré-campanha continua
Márcio Jerry acredita que a decisão tomada em primeira instância não vai ser acolhida nos tribunais superiores, dada a inconsistência da sentença. “Estamos plenamente seguros que essa decisão absurda será reconsiderada pelas instâncias superiores da justiça maranhense, que a gente acredita muito e sabe que não comete tais desatinos”, assegurou.
“É uma decisão que nos espanta pelo grau de absurdo que ela tem. Não tem o menor sentido jurídico, não tem a menor razão para acontecer. Não há inelegibilidade é uma decisão estranha de primeira instância e não vai acarretar em nenhum prejuízo a continuidade da minha pré-campanha e a do governador Flávio Dino”, frisou Márcio Jerry.
O pré-candidato citou trecho da decisão em que é citado um simples discurso de Jerry, durante comício do prefeito de Coroatá, Luís da Amovelar Filho, como prática de abuso de poder político e econômico.
“Veja que nível de criminalização da política nós chegamos. É preciso a gente pensar bem nisso. A gente não pode achar isso um fato normal. É um fato anormal e absurdo que merece a nossa absoluta contestação política e jurídica para que a gente possa tirar de cena isso que é apenas um factoide”, reiterou Jerry.