Banner

Banner

domingo, 19 de julho de 2015

Flávio Dino: Mais produção e alimentos


Na atual conjuntura, não tenho dúvidas de que a produção agropecuária é a principal estratégia para incremento das atividades econômicas do nosso Estado, considerando a nossa tradição no setor, nossos recursos naturais e a capacidade de o segmento gerar resultados rapidamente, com um tempo mais curto de maturação dos empreendimentos. Além disso, tenho como essencial a aptidão que o setor possui de gerar trabalho e renda para milhões de pessoas, quando há uma política agrícola correta, levando aos pequenos produtores o acesso à terra e ao crédito, assistência técnica e apoio à comercialização.
Desde o começo do governo, avançamos muito em direção à valorização do setor agropecuário. Criamos a Secretaria da Agricultura Familiar, que na semana passada foi fortalecida com a criação da Secretaria Adjunta de Extrativismo, reivindicada pelas quebradeiras de côco e outros segmentos. Estamos contratando mais 90 técnicos para AGERP (assistência técnica) e 70 para o ITERMA (regularização fundiária). Temos apoiado todos os eventos da agropecuária já realizados no sul do Estado e na região tocantina. Distribuímos sementes e equipamentos agrícolas para milhares de produtores. A vacinação contra febre aftosa obteve o grande sucesso de mais de 99% do rebanho alcançado. E poderia falar mais, muito mais, a exemplo dos incentivos fiscais à avicultura, que inauguram uma fase nova para tais empreendimentos.
Nesse conjunto de realizações, sublinho a relevância da criação do Sistema Estadual de Produção e Abastecimento, instrumento de planejamento e de concentração de esforços governamentais para crescimento da agropecuária, pesca e aquicultura no Maranhão. Nas reuniões até aqui realizadas, definimos como prioritários para o Maranhão, além dos já bem-sucedidos segmentos da soja e do milho, os da produção do arroz, do feijão, da mandioca, do mel, do leite, de camarões e pescados, ovinos, caprinos, bovinos, hortaliças e frutas. Agora, com intenso diálogo com os produtores, vamos lutar para viabilizar o crescimento de cada segmento, removendo obstáculos e fortalecendo aspectos virtuosos já identificados.
Outra grande novidade nesse segundo semestre será a realização de quatro Feiras Tecnológicas da Agricultura Familiar nos municípios de São Bento, Açailândia, Caxias e Bacabal, que levarão mais conhecimento para aumentar a produtividade e promoverão a comercialização dos produtos oriundos das pequenas unidades de produção. A tais Feiras, se agregarão mais 20, destinadas exclusivamente à ligação direta entre produtores e consumidores. A propósito desses projetos, agradeço a parceria da FETAEMA, dos sindicatos, do SEBRAE e da EMBRAPA, além das prefeituras municipais.

Temos boas condições naturais e uma posição geográfica estratégica, fatores que aliados à garra e a força trabalhadora de nossa gente, são garantidores de que programas como o Mais Produção e o Mais Empresas levarão a resultados crescentes, apesar da terrível crise econômica e da recessão que infelizmente se instalaram no Brasil. Para vencer essa quadra difícil, precisamos de múltiplos esforços, um deles reside na crença revolucionária de dias melhores para a nossa Nação, em que bons exemplos proliferem e sejam exaltados. Tenho certeza de que entre tais sucessos estará o dos produtores maranhenses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário