Banner

Banner

terça-feira, 1 de setembro de 2015

TV diz como Ricardo Murad operou esquema de superfaturamento



A TV Guará exibiu reportagem na noite desta segunda-feira (31) denunciando esquema de lavagem de dinheiro montado por Ricardo Murad enquanto esteve à frente da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para financiar a campanha eleitoral da filha Andrea Murad e do genro Sousa Neto, que foram eleitos deputados estaduais. O esquema funcionava a partir do superfaturamento de contrato para locação de helicópteros para a Secretaria de Estado da Saúde durante a gestão de Ricardo Murad.
Os indícios do crime estão registrados em relatório da Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC) que encaminhou toda a documentação para a Polícia Civil. O relatório recomenda o indiciamento de Ricardo Murad, Andrea Murad e Sousa Neto pelos crimes licitatórios da Lei 8.666/93, peculato do art. 312 do Código Penal e lavagem de dinheiro da Lei 9.613/98.
Durante a gestão de Ricardo Murad a Secretaria de Saúde pagou uma quantia milionária à PMR Táxi Aéreo, mas o transporte médico era realizado na maior parte das vezes pelo GTA enquanto os helicópteros da PMR eram poupados. De acordo com a reportagem, até mesmo o atendimento de uma pessoa, em Cururupu, foi negligenciado pela Secretaria de Saúde no dia 17 de setembro de 2014. Nessa data, o uso do helicóptero-ambulância estava reservado para Ricardo Murad ir até São João dos Patos.
O relatório da Secretaria de Transparência e Controle aponta danos aos cofres públicos em mais de R$ 2,2 milhões e envolve duas empresas ligadas ao empresário Cristiano Lindner, a PMR Táxi Aéreo e a CC Pavimentadora. Os valores superfaturados da locação de aeronaves eram pagos pela Secretaria de Saúde à PMR Táxi Aéreo, cujo sócio é Cristiano Lindner, e depois parte desses valores era doado pela CC Pavimentadora, cujo diretor é Cristiano Lindner, para as campanhas de Andrea Murad e Sousa Neto.

A planilha de voos também revela que durante o ano de 2014 a PMR operou poucas vezes se comparado ao valor contratado e a quantidade de viagens só aumentou durante o período da campanha eleitoral, apesar do GTA continuar fazendo o transporte de enfermos. Foi nesse período que 40% das viagens foram destinadas a Coroatá, reduto eleitoral da família de Ricardo Murad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário