Banner

Banner

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Candidatos defendem validação do concurso para professor



Cerca de 30 aprovados na primeira fase do concurso para professor, realizado pelo governo estadual, estiveram nesta segunda (22) na Sede das Promotorias, acompanhando o desfecho da reunião entre membros do Ministério Público e do Executivo Estadual sobre o certame. Para eles, as denúncias de irregularidades não têm fundamento.
O concurso público para o cargo de professor visa preencher o quadro permanente da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão (Seduc). Em nota emitida ainda na semana passada, o Governo do Maranhão, através da Secretaria de Estado de Gestão e Previdência (Segep), da Secretaria de Estado de Transparência e Controle (Transparência), da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Casa Civil, refutou as alegações de supostas irregularidades no concurso, apresentando relatório técnico que atesta lisura do processo.
Segundo a Procuradoria Geral do Estado, até o momento não existe nenhuma razão que justifique a invalidação do concurso, considerando a grande quantidade de aprovados e a necessidade de se prover os cargos para cumprimento das atividades docentes na rede estadual de ensino, o que será argumentado e manifestado juridicamente junto ao promotor da educação, Paulo Avelar.
Protesto
Sobre a possibilidade de anulação, os candidatos aprovados se manifestaram.  “Uma eventual anulação também causará atrasos com relação ao ensino, pois muitos professores do estado são contratados e o Governo precisa de professores efetivos por meio de concurso público. Essa já é uma cobrança que vem sendo solicitada pelo MP”, destacou Eliena Araújo, aprovada na primeira etapa em Química. Segundo ela, um novo concurso inclusive causará problemas  no ensino,  uma vez que existe uma real necessidade de professores.
Aprovado na área da Sociologia, Olivar Araújo Junior, também está na expectativa de que seja mantido o resultado. “Um nova prova não somente trará um ônus financeiro, já que muitos candidatos deverão arcar com deslocamento e outros gastos para fazer a prova novamente, como promoverá danos psicológicos”, defendeu.
Vanderson Oliveira foi aprovado na área de Filosofia, relembra que as primeiras denúncias apontavam que candidatos teriam sido prejudicados com falta de energia em alguns pontos de provas, e o caso já foi solucionado com uma nova prova para essas áreas afetadas. “Agora, as denúncias acusam que houve plágio de algumas questões. Mas o que acontece é uma similaridade entre questões. E, além disso, o edital não previa questões inéditas. Então, não há irregularidade”, alegou Vanderson. 

Concurso

O concurso público para professores da Rede Estadual de Ensino, lançado no início do mês de novembro de 2015 pelo Governo do Maranhão, abriu 1,5 mil vagas e oferece salários de R$ 5 mil. Esta remuneração está entre as maiores para a categoria em todo o país.

A primeira fase, uma prova objetiva e de múltipla escolha, de caráter eliminatório e classificatório, foi realizada no dia 20 de dezembro. Na ocasião um problema de energia elétrica num prédio onde estava sendo realizada a prova atrapalhou o andamento e o Governo do Estado reaplicou a primeira fase do concurso para 13.531 candidatos para professor de Educação Física, Matemática e Química, sendo realizadas em São Luís, Caxias, Balsas, Imperatriz, Pinheiro e Bacabal, no dia 17 de janeiro deste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário