Banner

Banner

domingo, 6 de março de 2016

Artigo Flávio Dino: As sementes do futuro



Todo o Maranhão conhece a importância do Instituto Federal (IFMA), presente em dezenas de nossas cidades. Agora o Governo do Estado começa a estender o sucesso desse modelo para outros municípios. Para isso, neste segunda-feira terei a alegria de inaugurar as primeiras unidades do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão. Começando a operar em São Luís, Bacabeira e Pindaré-Mirim, o IEMA é a primeira iniciativa do governo estadual, na história do Maranhão, para oferecer educação técnica integrada ao ensino médio em tempo integral.
As primeiras vagas serão oferecidas nos cursos de Eventos, Informática, Meio Ambiente e Serviços Jurídicos, em São Luís; Administração, Logística e Mineração, em Bacabeira; e Agropecuária, Recursos Pesqueiros e Serviços Jurídicos, em Pindaré-Mirim. Os cursos refletem a vocação de desenvolvimento de cada região. As próximas unidades também terão cursos adaptados à realidade de cada município.
Até 2018, ainda inauguraremos novos IEMAs em outras 20 cidades maranhenses. Nas unidades que inauguramos, os cursos garantem, além da formação técnica, a possibilidade de o aluno sair preparado para concorrer a uma vaga em universidade. É uma forma de democratizar o acesso ao ensino superior, ao mesmo tempo em que incentivamos o desenvolvimento de nosso estado e a inclusão social de milhares de jovens.
Essa iniciativa vem somar-se a outras políticas na área da educação, como o PreUni que preparou mais de 20.000 estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Também investimos na educação básica, área em que a ação principal foi o concurso realizado para contratação de docentes. Homologado, ele representa mais 1.270 professores nas variadas disciplinas da educação básica, além de 230 profissionais da educação especial. Esse aumento do corpo docente impactará em um incremento da qualidade de ensino ao nosso povo.
Além do conteúdo, garantido com investimento em recursos humanos, o Governo do Maranhão tem trabalhado para superar tristes atrasos com os quais convivemos na infraestrutura. Para extirpar de nosso estado a vergonhosa herança das escolas de taipa, criamos o programa Escola Digna, pelo qual já estão em fase de contratação ou construção unidades de alvenaria que substituirão as precárias estruturas de palha e barro nas cidades com pior IDH de nosso estado. Ainda merecem destaque as 65 escolas que estão em processo de reforma neste momento, após décadas de imenso e criminoso abandono.
Com o IEMA, o Maranhão deixa o patamar zero em educação profissional e tecnológica na rede estadual. E aumenta nossa aposta na educação como alavanca para um desenvolvimento qualificado.
Por isso, também tenho pleiteado junto ao Ministério da Defesa a possibilidade de parceria do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica) com nossas instituições de ensino, para criar cursos que aproveitem o fato de nosso estado sediar a que é a potencialmente melhor base aeroespacial do mundo, o Centro de Lançamento de Alcântara.

Juntos, esses programas vão dar outra cara à educação maranhense. E estão deixando nossa juventude preparada para construir uma nova realidade em nosso estado. O protagonismo desses jovens será fundamental para melhorar a realidade do Maranhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário