Banner

Banner

sexta-feira, 4 de março de 2016

Governador do Maranhão sai em defesa do ex-presidente Lula

Para Flávio Dino, a condução coercitiva do ex-presidente configura-se em abuso e ato de força desnecessário.


O governador do Maranhão, Flávio Dino, manifestou-se esta manhã, via twiter, a respeito da condução coercitiva do presidente Lula pela Polícia Federal para prestar depoimento. Para o governador, medidas coercitivas devem obedecer ao princípio da proporcionalidade (necessidade). “Não me parece o caso na condução do ex-presidente Lula”, acrescentou.
Flávio Dino disse mais: “Tenho declarado meu apoio a todas as investigações no âmbito da Operação Lava Jato. Zelotes e outras. Contudo, abusos devem ser evitados”. Entende o governador que decisões de força, quando desnecessárias, e atos espetaculares conflagram a sociedade e não contribuem para que haja verdade e justiça.
Flávio Dino afirmou que no Direito os fins não justificam os meios; os meios é que justificam os fins. E acrescentou: Fazer Justiça não pode ser um vale-tudo.

O governador questionou também a posição do Ministério Público. Para ele, se o MP diz já possuir tantas provas, basta oferecer denúncia para que haja o direito de defesa e julgamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário