Banner

Banner

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

“Busca Implacável” fará 2.500 mil abordagens por dia em ônibus de São Luís



O sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana de São Luís será monitorado de forma mais incisiva com a nova etapa da operação ‘Busca implacável’, realizada pela Polícia Militar. A ação, que consiste em abordagens dentro dos ônibus, passa a contar com efetivo de todos os setores da corporação – batalhões, motos, viaturas e cavalaria. Outra novidade é o cumprimento de meta estabelecida pelo Comando Geral da PM, no qual cada grupo deve abordar o mínimo de 10 ônibus por turno. Serão destacadas 115 equipes e a expectativa é que sejam realizadas mais de 2,5 mil abordagens por dia.
A medida foi anunciada durante reunião entre representantes da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA) e a categoria de Rodoviários, na manhã desta quinta-feira, 11, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado do Maranhão (STTREMA), no Centro. “Todos os pontos, principalmente os considerados críticos, terão ação ainda mais forte e a participação de todo o policiamento Militar. Com essa estratégia vamos multiplicar o número de abordagens fechando ainda mais o cerco para esses criminosos”, explicou o secretário de Estado de Segurança pública (SSP-MA), Jefferson Portela.
O comandante da PM, coronel Frederico de Jesus Pereira, apontou como principal fator de resolutividade da operação o cumprimento de meta, que será controlado por meio de um cartão magnético a ser registrado no coletivo depois da missão. Dessa forma, o Comando terá o controle do quantitativo exato de abordagens nos ônibus. “Temos feito diversas operações nos coletivos e vimos a necessidade de reforço a esse trabalho. A estratégia que encontramos foi esse monitoramento controlado e com metas a cumprir. Estamos sempre mudando para surpreender e evitar a ação da criminalidade”, disse Pereira.
Os cartões magnéticos foram elaborados em conjunto com a Segurança e a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). A cada passagem do dispositivo pelo aparelho instalado nos ônibus as informações são enviadas ao sistema da polícia e a partir daí é construído o relatório do dia de operação das equipes. “Já temos um mapeamento atualizado emitido pelo sindicato e o que percebemos é a migração da criminalidade para outras áreas. Mas, estamos a postos e vigilantes”, enfatizou coronel Pereira.
O delegado geral de Polícia Civil, Lawrence Melo, destacou o empenho do sindicato e da categoria em colaborar com o trabalho policial e reiterou o comprometimento da gestão com as demandas dos trabalhadores deste segmento. “Reconhecemos os serviços que estes trabalhadores prestam ao cidadão e estamos sempre prontos a ouvi-los, a comparecer quando somos chamados e firmes nas ruas para garantir a ordem e a segurança”, enfatizou.
O presidente do SETTREMA, Isaías Castelo Branco, pontuou o reconhecimento e a confiança da categoria na ação policial e a necessidade de intensificar em áreas para onde os suspeitos estão migrando. Segundo levantamento do sindicato, houve aumento nos registros em alguns meses, sendo que o mês de julho foi o mais crítico. “Repassamos os dados à Segurança e obtivemos em resposta essa nova operação. São mais policiais nas ruas e adentrando os ônibus como elemento surpresa, uma estratégia importante e que pode surtir resultado mais eficaz”, disse Isaías Castelo Branco.
O sindicalista destacou o compromisso da gestão com a demanda dos trabalhadores rodoviários. “Pela primeira vez temos um sistema de Segurança que se faz presente quando os trabalhadores precisam. Somos testemunhas do trabalho que as polícias têm realizado e reforçar essas ações é sempre necessário”, enfatizou o sindicalista. Após a reunião, o aparato da Segurança reuniu com os comandantes da Polícia Militar para repassar as estratégias da operação Busca Implacável.
O secretário de Segurança reúne ainda com membros do Tribunal de Justiça e Ministério Público, na qual será apresentado relatório da vida criminal de suspeitos que têm práticas reiteradas de assalto a coletivos. “A polícia tem feito prisão quase que recorrente dos mesmos suspeitos, que são contemplados com um benefício provisório, por exemplo, e prejudica o trabalho policial”, disse Jefferson Portela. O secretário de Segurança explicou ainda que o Sistema de Segurança é parte integrante do Sistema Criminal, que incluí as instâncias julgadoras com força de mandar prender e liberar suspeitos. “Temos feito o que chamamos de retrabalho, e prendendo várias vezes as mesmas pessoas cometendo os mesmos crimes”, concluiu.
Áreas mapeadas
Segundo os Rodoviários os pontos mais críticos são as avenidas Daniel de La Touche (Cohama), Franceses (Alemanha), General Arthur Carvalho (Turu), Jerônimo de Albuquerque (Angelim), Holandeses (Olho d’Água), São Marçal (João Paulo), Casemiro Júnior (Cruzeiro do Anil), Avenida Principal do Cajueiro (zona rural de São Luís) e Estrada de Ribamar (São José de Ribamar), principalmente nos horários das 18h e 20h, nos dias úteis. “São locais de grande índice de casos e que poderiam ser muito maiores, não fosse o trabalho da polícia, que vem sendo incisivo. Mas, precisamos que seja intensificado ainda mais”, ressaltou o presidente do sindicato.

O Governo do Estado possui um planejamento estratégico para conter as ocorrências a ônibus que são realizadas periodicamente envolvendo a polícia Civil e Militar. Para maior eficácia das operações e planejamento foi criado um gabinete para tratar especificamente dos registros a coletivos e em paradas de ônibus. “Nossa preocupação é total e a ação permanente”, concluiu o comandante da Polícia Militar, coronel Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário