Banner

Banner

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Serviço Travessia registra mais de 3 mil atendimentos



Andar pelas ruas de São Luís e perceber a movimentação de veículos do ‘Serviço Travessia’ circulando já se tornou uma constante para a maioria da população, mas o que é a travessia e para que serve? O cadeirante Maxwell Ayres Maciel, que usa os serviços do ‘Travessia’ diariamente para se locomover até a faculdade explica. “Além de ajudar a cumprir o direito constitucional de ir e vir do cidadão, o projeto tem proporcionando mais conforto e agilidade para quem precisa sair de casa todos os dias”, conta o universitário, que chegava a gastar mais de uma hora à espera de um ônibus adaptado ou desembolsar mais de R$ 300 em corridas de táxi.
Maxwell é um dos 460 beneficiados pelo ‘Travessia’ que começou a funcionar desde fevereiro, totalizando 3,4 mil atendimentos. Somente no mês de setembro, foram realizados 792 atendimentos de cadeirantes e crianças com microcefalia. O serviço deve beneficiar cada vez mais pessoas, com a nova etapa do projeto que agora atende deficientes visuais classificados com baixa visão, visão subnormal e cegueira total, que residem na Região Metropolitana de São Luís.
O presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB), Artur Cabral, explica que a expansão do projeto é um passo importante para o aumento da oferta de serviços essenciais para a população. “As mudanças fazem parte de uma política de ampliação de acesso do Travessia a outros tipos de deficiência e a mais maranhenses”, explicou.
Com o atendimento de novas demandas, o Travessia vai passar por uma readequação de suas rotas e trajetos, com a finalidade de beneficiar mais maranhenses e gerando menos custos. Além da ampliação dos serviços na Grande Ilha, a MOB já trabalha com a interiorização do projeto, que a partir do próximo mês atenderá as cidades de Imperatriz e região.

O ‘Travessia’ funciona com um agendamento prévio de 48 horas e, a partir disso, as rotas são traçadas para cumprir o horário de cada solicitante. Cada uma das quatro vans, e o veículo com cadeirinha específica para o transporte de crianças com microcefalia, fazem, em média, 16 viagens ao dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário