Banner

Banner

domingo, 27 de novembro de 2016

18 escolas de educação intergral entrarão em funcionamento no próximo ano



A Rede Estadual de Ensino do Maranhão terá, já no ano letivo de 2017, um total de 11 centros de educação integral de ensino médio em seis municípios maranhenses, contemplando, aproximadamente 5 mil estudantes. A informação foi divulgada pelo Secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, em artigo publicado no jornal O Imparcial.
“Desde o primeiro dia de gestão, o governador Flávio Dino vem centrando esforços para retirar o Maranhão das últimas posições nos indicadores educacionais e uma das linhas mestras adotadas como estratégia para mudar esse cenário é a formação e o desenvolvimento integral do estudante maranhense, com a implantação da educação integral em tempo integral na Rede Estadual de Ensino”, apontou.
O secretário destacou ainda que nesses quase dois anos de gestão, o governo do Maranhão vem realizando planejamento e estudos para o funcionamento responsável das escolas de tempo integral. “É importante ressaltar que isso vem sendo planejado estrategicamente de forma a garantir a implantação com segurança, para que as escolas de tempo integral, uma vez implantadas, estejam para além de uma vontade política governamental, tornando-se uma política de Estado”, realçou Felipe Camarão.
As escolas que serão transformadas em centros de educação integral de ensino médio estão sendo reformadas e adequadas, com a parceria com a Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), para que ofereçam todos os ambientes necessários como: laboratórios, sala multifuncional, auditório, biblioteca, quadra poliesportiva, vestiários, refeitório, entre outros, a fim de que o jovem tenha formação plena, considerando todas as suas dimensões.

Em São Luís funcionarão com educação integral: C.E. Almirante Tamandaré; C.E. Profa. Maria Mônica Vale; C.E. Dorilene Silva Castro; C.E. Margarida Pires Leal; C.E. Joana Batista e CAIC Barjonas Lobão. No município de Alcântara, o C.E. Prof. Aquiles Batista Vieira; Santa Inês, C.E. Poeta Antônio José; São José de Ribamar, CAIC São José de Ribamar; São Bento, C.E. Kiola Costa e Timon, o C.E. Jacira de Oliveira e Silva.
O Governo do Maranhão também irá assegurar a aproximadamente 290 professores e professoras que atuarão nas escolas de educação integral, o cumprimento da carga horária de trabalho de 40 horas em uma só escola, com estrutura e recursos apropriados para a prática docente, formação inicial e continuada. Além desses benefícios, os docentes com duas matrículas de 20h ou uma de 40h terão direito à Gratificação de Dedicação Exclusiva, que corresponde a 25% sobre os vencimentos, conforme assegura o Estatuto do Magistério (Lei nº 9860, Art. 36).
Iema
Outra ferramenta importante no ensino integral no Estado é o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), criado em 2015. Já estão funcionando plenamente as unidades localizadas em São Luís, Bacabeira e Pindaré Mirim, e com meta de ampliar para 23 unidades até 2018. A proposta é oferecer cursos técnicos integrados ao ensino médio, respeitando as necessidades locais e as prioridades estratégicas do Maranhão.
“A criação do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) representa um avanço na democratização do acesso à educação profissional e tecnológica, com característica especial e diferenciada, que é o fato de essa educação ser oferecida em tempo integral. Eis aí o caráter revolucionário da oferta educacional do Iema, porque além do curso técnico fazemos isso dentro de uma proposta de educação em tempo integral”, comenta o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada.
O Iema está organizado em unidades plenas e unidades vocacionais. Estão em funcionamento as unidades plenas de São Luís, Bacabeira e Pindaré Mirim. Serão contempladas com unidades plenas em 2017 as cidades de Axixá, Coroatá, São José de Ribamar e Timon. Até 2018, recebem unidades plenas do Iema as cidades de Balsas, Carutapera, Chapadinha, Coroatá, Colinas, Coelho Neto, Cururupu, Dom Pedro, Imperatriz, Matões, Paço do Lumiar, Presidente Dutra, Sant Helena, São Mateus, São Vicente Ferrer, São Domingos, Santa Luzia, Tutóia e Vitória do Mearim.
Cidades como Açailândia, Codó, Bequimão, Barra do Corda, Carolina, Caxias, Santa Inês, Imperatriz, Pedreiras, Ribeirãozinho, Vitória do Mearim contam com unidades vocacionais. Além destas, temos unidades vocacionais na Praia Grande e o Estaleiro Escola, ambas em São Luís.

“O projeto do Iema é a grande marca do Governo Flávio Dino para desenvolver o estado do Maranhão. Não há projeto de desenvolvimento sem investir em educação, ciência e tecnologia. Realizar educação profissional em tempo integral com certeza trará impactos econômicos, sociais e culturais na formação da juventude maranhense”, conclui Jhonatan Almada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário