Banner

Banner

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Brasileiros desaparecidos pagaram US$ 20 mil por embarque aos EUA

CBN
Arlindo de Jesus Santos (à esq.) e Renato Soares de Araújo (à dir.) estão entre
os brasileiros que desapareceram no mar do Caribe
Vinte mil dólares. Este foi o valor individual médio pago aos "coiotes" pelos 19 brasileiros desaparecidos que tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos. A informação foi dada pela Ivanilza Jesus Santos, irmã de um dos desaparecidos: Arlindo de Jesus Santos, natural da cidade de Rondon do Pará. O grupo saiu de barco das Bahamas, no Caribe, e seguiu em direção a Miami no mês passado. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, eles teriam embarcado no dia 6 de novembro e, desde então, não fizeram mais contato com os parentes. 
Ivanilza disse que o irmão até vendeu um carro para ajudar no pagamento da quantia. O paraense mora em Belo Horizonte e já havia sido deportado depois de oito anos morando nos Estados Unidos. Essa era a terceira vez que ele tentava entrar no país. 
"Ele já chegou aqui devendo, porque a esposa já tinha ido. Ele falou que tinha que tentar ir de novo, tinha que pagar dívidas. Aí tentou, só que foi pelas Bahamas. Só que a gente não sabe quem o levou. Na verdade é muita gente. Um leva até Belo Horioznte, outro leva até São Paulo, outro leva até Bahamas e outro pega pra levar. Então é muita gente, e a gente não sabe!", relatou a irmã de Arlindo. 
Paulo Silva, amigo da família, morou com Arlindo nos Estados Unidos durante a estadia do paraense no país, de 2005 a 2013. Ele conta que o amigo buscava, mais uma vez, "tentar a vida" nos Estados Unidos. 
"Minas Gerais ele trabalhava como pedreiro, e nos Estados Unidos se aperfeiçoou na área de construção. É um rapaz muito trabalhador, honesto, de família simples e humilde, mas digna. Uma pessoa que está indo em busca de um sonho, de ganhar um pouco de dinheiro. A história todo mundo sabe, mudar de vida, ainda mais na questão financeira", contou Paulo. 
Além do Arlindo, estavam no mesmo barco brasileiros de Rondônia e de Minas Gerais. São dois mineiros desparecidos: Renato Soares de Araújo, de 32 anos, e Márcio Souza, de 26. Ambos são de Sardoá, município de 6 mil habitantes na região leste de Minas, a 335 quilômetros de Belo Horizonte. A cidade fica na mesma região de Governador Valadares, e que é conhecida pelo intenso movimento de emigração para Estados Unidos. Segundo o irmão de Márcio de Souza, Rogério Pinheiro de Souza, esta era a segunda vez que ele tentava entrar no país de forma ilegal. Na primeira, ele acabou sendo preso. Depois de dois meses no Brasil, Márcio resolveu fazer uma nova tentativa. O próprio Rogério disse que já foi para os Estados Unidos, sem visto, e passando pela mesma situação: usando um barco arranjado por "coiotes". Ele disse que na cidade em que moram é muito comum esssa saída de pessoas de forma ilegal, mas que não tentaria novamente. 
"É complicado, nem tenho coragem de voltar. E falei com ele. Eu mesmo nem queria que ele fosse. Só que quando a pessoa quer ir, segurar não tem jeito. O combinado é a pessoa levar, entregar a pessoa no endereço que ela quer chegar e a pessoa vai e paga a pessoa assim que ele chega. Aqui na nossa cidadezinha, aqui no interior, é praticamente normal, vai muita gente", contou Rogério. 

Segundo o Itamaraty, a embaixada brasileira em Nassau, capital das Bahamas, está em contato constante com as famílias, com autoridades do país caribenho e com os Estados Unidos. Equipes de resgate realizam buscas em toda a região. A possibilidade de prisão dos 19 brasileiros nas Bahamas também não está descartada, mas até o momento, não foram encontrados registros de brasileiros na penitenciária das Bahamas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário