Banner

Banner

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

“Só quem passa por isto, sabe o que estou falando” diz irmã de Mariana Costa




Após pouco mais de um mês do acontecimento que abalou sua família, Carolina Costa cedeu uma entrevista ao Sistema Difusora, comentando sobre o homicídio da irmã, Mariana Costa. Com um semblante calmo, ela afirma que o momento é difícil para a família, mas se sente muito feliz pelo tempo que teve de convivência com Mariana. “É um momento muito difícil que estamos vivendo, mas também sou muito grata a Deus pela oportunidade de ter aquela mulher tão linda e tão apaixonada pela vida ao meu lado esses anos todos.”
Carol afirma que não tem mantido contato com Lucas Porto, porque ainda não chegou o momento para tal. Agradece pela forma que o crime tem sido trabalhado. “Eu tenho acompanhado nos bastidores, mas louvo a Deus pela forma com que esse crime foi elucidado. A Justiça está sendo feita”, diz ela.
Ela alerta que é preciso se atentar para as estatísticas de violência contra a mulher e que o caso da irmã é um exemplo disso. “[farei] O que eu puder fazer para honrar o nome da minha irmã e honrar o nome dessas mulheres que são tiradas da nossa sociedade e do nosso convívio. Na verdade, só quem passa por uma situação dessa sabe do que eu estou falando”, diz ela.
Para levantar a bandeira do respeito aos direitos da mulher, será realizada uma caminhada neste sábado (17), na Avenida Litorânea, às 16h. A concentração acontece na Praça do Pescador. “Essa mobilização é chamar a sociedade maranhense em geral para estar conosco, unindo as nossas vozes e dando um basta à essa violência. Uma caminhada de paz. Não é uma caminhada de vingança. O que precisamos hoje, nas nossas vidas, é paz na Terra e paz entre os homens de bem e de coragem”, afirma Carol.
Conheça o caso
Mariana Costa, filha do ex-deputado Sarney Costa e sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney, foi encontrada morta no dia 13 de novembro, com sinais de asfixia e sufocamento. O seu cunhado, Lucas Porto, confessou ser o autor do homicídio de Mariana, no apartamento em que morava, no condomínio Garden Park, no bairro do Turu. O crime foi motivado por paixão que Lucas nutria pela vítima.

Lucas Porto teria entrado no apartamento de Mariana, encontrando ela no quarto e a agredindo sexualmente. Mariana tentou lutar contra o agressor e se defender, mas foi asfixiada com dois travesseiros. O assassino confesso foi indiciado por homicídio triplamente qualificado.

Um comentário:

  1. Então air ta errado não foi 13 d Dezembro foi mês passado,ficam atento gente qdo publicar uma matéria .

    ResponderExcluir