Banner

Banner

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Governo Flávio Dino promoveu quase 8 mil policiais e bombeiros militares em 3 anos. É assim que se governa, Maranhão!

Na última segunda-feira, mais 600 policiais foram promovidos, totalizando 7.974 promoções em 3 anos do governo Flávio Dino. Mudou completamente a crítica situação em que vivia a PM do Estado no governo Roseana Sarney.
JM Cunha Santos 


A Polícia Militar do Maranhão realizou solenidade de promoção de mais de 600 oficiais e praças nesta segunda-feira (8). O evento aconteceu às 17h30 no Quartel do Comando Geral, no Calhau, em São Luís, e contou com a presença de autoridades civis e militares.
O acesso à hierarquia militar é seletivo, gradual e sucessivo, sendo a promoção um ato administrativo que tem como finalidade básica a seleção dos militares para o exercício de funções pertinentes ao grau hierárquico superior. Desta forma, a formatura oficializa as promoções de oficiais e praças a novos postos e graduações em suas carreiras.
Na solenidade, foram promovidos 495 praças, nas graduações de cabo, sargento e subtenente. Além destes, foram promovidos 107 oficiais da corporação, nos postos de 1º tenente, capitão, tenente coronel e coronel, este último o mais alto posto da corporação.
A valorização do policial militar é uma importante política do Governo Flávio Dino, que em três anos de gestão já promoveu 7.974 policiais militares e bombeiros.

A CRÍTICA SITUAÇÃO DA PM NO PASSADO

Era o menor efetivo de policiais militares do país. Nas duas vezes em que se aquartelaram, uma na Assembleia Legislativa e outra na Câmara Municipal de São Luís, (o governo Roseana Sarney foi o único da história do Maranhão em que a PM entrou em greve) os policiais e bombeiros militares reivindicavam, dentre outras coisas, reajuste salarial, carga horária de 40 horas e as promoções que no governo Flávio Dino já contemplaram 7.974 policiais.
Na primeira greve, sitiados por forças federais, os PMs receberam do governo Roseana apenas a promessa de estudar a situação das distorções salariais e delimitação de horários para PMs. De promoções, nem cogitaram. Roseana chegou a excluir PMs e Bombeiros de um aumento dos servidores públicos em fevereiro de 2014, um ano eleitoral.
Os líderes do movimento acusavam o governo Roseana de não investir na corporação ao longo de 4 anos e de fazer com que o plano de promoções não saísse do papel. A PM do Maranhão recebia uma das piores remunerações, inferior à do Piauí onde, historicamente, os policiais recebiam o equivalente à metade do que recebiam os policiais maranhenses.
Diante dessa situação, a criminalidade dominou o Estado em proporções jamais vistas até então.
E em apenas 3 anos do governo Flávio Dino, quase 8 mil PMs e Bombeiros foram promovidos...

É assim que se governa, Maranhão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário