segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Mais uma pesquisa confirma: Flávio Dino amplia vantagem e vence no 1º turno




A vinte dias da eleição, pesquisa Interpreta divulgada nesta segunda-feira (17) pelo jornal Correio Popular aponta uma ampliação da vantagem do governador Flávio Dino sobre a candidata Roseana Sarney. De acordo com o levantamento, feito em todas as regiões do Maranhão, Flávio Dino subiu de 60,2% para 61,82% dos votos válidos, consolidando vitória no primeiro turno.
Roseana Sarney caiu de 33% das intenções de voto para 29,57%. Ainda segundo a pesquisa, Maura Jorge (PSL) figura na terceira posição com 4,18%, seguida de Roberto Rocha (PSDB), com 4,01%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,25% e Odívio Neto (PSOL), com 0,17%.
Registro
A Pesquisa Interpreta ouviu 1.524 pessoas em 53 municípios do Maranhão entre os dias 8 e 10 de setembro. Registrada no TSE sob o nº MA-01920/2018, a margem de erro do levantamento é de 3 pontos para mais ou para menos.

domingo, 16 de setembro de 2018

ELIZIANE E WEVERTON LIDERAM CORRIDA PARA O SENADO, DIZ PESQUISA EXATA/JP



Os candidatos e Eliziane Gama (PPS) e Weverton  Rocha (PDT), segundo pesquisa do Instituto Exata/Jornal Pequeno, divulgada nesta domingo (16), lideram a disputa para o Senado, embora o cenário ainda permaneça bastante embolado entre os cinco principais postulantes.
Em relação a pesquisa anterior, Eliziane subiu de 18% para 27% das intenções de voto e Weverton de 20% para 25%, enquanto Lobão (MDB) oscilou de 25% para 24%. Sarney Filho (PV) de 24% para 22%. Zé Reinaldo (PSDB) de 20% para 18% e Alexandre Almeida (PSDB) caiu 11% e agora tem 10%.
No pelotão de baixo Preta Lu (PSTU) oscilou de 4% para 3%. Samuel Campelo (PSL) tinha 3% e agora tem 2%. Saulo Pinto (PSOL) passou de 2% para 1%. Saulo Arcangeli (PSTU) e Iêgo Bruno (PCB) mantiveram 1% cada. Brancos, nulos e indecisos agora são 66%. Antes, eram 69%. Nessa conta, a soma total dá 200%, já que o eleitor vota em dois senadores neste ano.
A pesquisa foi registrada no TSE sob o nº MA-09907/2018, a pesquisa Exata/JP realizou 1.400 questionários na Grande São Luís e nas regiões Norte, Sul, Leste, Oeste e Central do Maranhão, entre os dias 10 e 13 de setembro. A margem de erro é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Pesquisa Exata/JP: Flávio Dino sobe para 64% e amplia vitória no 1º turno



A nova pesquisa Exata/JP divulgada nesta sexta-feira (14) pelo Jornal Pequeno mostra que o governador Flávio Dino ampliou a vantagem sobre os demais candidatos. De acordo com o levantamento, Flávio subiu de 61% para 64% dos votos válidos, vencendo a eleição no primeiro turno.
Em seguida, aparece Roseana Sarney, que passou de 31% para 29%. A vantagem de Flávio sobre a segunda colocada aumentou de 30 para 35 pontos.
O levantamento anterior tinha sido divulgado no dia 24 de agosto, antes do início do horário eleitoral e da confirmação de que o ex-presidente Lula apoia Flávio na eleição.
Ainda de acordo com a Exata/JP, Maura Jorge tem 4% dos votos válidos, seguida por Roberto Rocha, com 3%. Ramon Zapata e Odívio Neto não pontuaram.
A pesquisa ouviu 1.400 pessoas entre segunda (10) e quinta-feira (13) em todas as regiões do Maranhão. A margem de erro é de 3,3 pontos para mais ou para menos, com intervalo de confiabilidade de 95%. O levantamento está registrado no TSE sob o número MA-09907/2018

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

“Já servimos 11 milhões de refeições a R$ 2 para quem mais precisa”, diz Flávio Dino à Cultura FM




O governador e candidato à reeleição Flávio Dino participou de entrevista na Rádio Cultura FM de Paço do Lumiar, nesta quarta-feira (12), e falou sobre as diversas ações sociais feitas desde 2015. Entre elas, a ampliação e a melhoria dos Restaurantes Populares.
“Quando chegamos ao governo, havia somente 6 Restaurantes Populares. Ampliamos para 25. Em breve serão 35 e vamos chegar a 50. Cada um deles serve refeições a R$ 2. O Governo paga os outros R$ 8 do custo de cada prato”, disse Flávio.
“Já servimos no nosso Governo 11 milhões de pratos de comida a R$ 2 para as pessoas que mais precisam”, acrescentou, referindo-se ao número total dos 25 restaurantes.
Flávio acrescentou que ações como sociais como essa têm sido feitas “para compensar esse caos nacional que foi gerado com o golpe contra o Lula e a Dilma”.
Mais empregos
O governador lembrou que, apesar da recessão no país, o Maranhão tem conseguido gerar empregos e aumentar a economia.
Em 2017, o Maranhão foi o segundo Estado que mais criou empregos com carteira assinada no Nordeste em 2017. E em 2018 também está com saldo positivo. Em junho e julho, o Maranhão foi líder na criação dessas vagas.
Os investimentos continuam chegando ao Maranhão, o que vai aumentar o número de empregos. “Hoje mesmo acabei de anunciar que vamos receber mais um investimento privado de uma empresa, a Eneva, da ordem de R$ 1,3 bilhão, que vai gerar mil empregos diretos”, contou Flávio.
“Temos também o início da construção do Porto de São Luís, que vai gerar milhares de empregos. Tivemos a retomada da pelotização da Vale, que estava parada havia anos e já gerou 400 empregos nesta nova fase”, acrescentou.

"Toda a cidade tem de valorizar e cuidar deste belo cartão-postal”, diz Edivaldo sobre Praça Dom Pedro II





O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) usou as suas redes sociais nesta terça-feira (11) para sensibilizar a população ludovicense para a preservação do patrimônio da capital maranhense. O pedetista publicou imagem da Praça Dom Pedro II, entregue totalmente revitalizada na sexta-feira (7), e pediu para os internautas: “#VamosCuidarDoQueÉNosso”. A sua gestão é a que mais tem investido na revitalização e reocupação dos espaços históricos.

“Com a restauração da Praça Dom Pedro II, realizada pelo Iphan em parceria com a Prefeitura, estamos devolvendo para a população um espaço público para que ela ame e se aproprie. Agora, cabe a todos nós, ludovicenses, a missão de valorizar e cuidar deste que é um dos mais belos cartões-postais da nossa cidade. Conto com o apoio e a dedicação de todos para que possamos preservar este lindo espaço, tão importante para a nossa história e cultura”, disse o prefeito.

Logo após a publicação, o pedido do prefeito ganhou repercussão nas redes sociais, com centenas de curtidas, comentários e compartilhamentos. “Parabéns, prefeito. Temos que cuidar do que é nosso. É questão de consciência de cada um”, “Obrigada por mais essa vitória! Ficou lindo! Realmente espero que as pessoas valorizem”, “Não adianta ter um espaço tão bonito como este se a população não fizer sua parte”, “Isso mesmo, todo mundo fazendo sua parte”, comentaram alguns internautas. “Toda a cidade tem de valorizar e cuidar deste belo cartão-postal”, escreveu o prefeito em interação com os seguidores.

A requalificação de praças é um dos legados da gestão do prefeito Edivaldo. Em toda a cidade, já são mais de 40 espaços reformados, muitos deles no Centro da cidade, como a Dom Pedro II, da Alegria, do Pescador, Nauro Machado, da Faustina, Valdelino Cécio, Joãosinho Trinta, Gomes de Sousa, entre outros em parceria com o Governo e o Iphan. Atualmente o Centro recebe o maior volume de investimentos dos últimos 30 anos, incluindo a revitalização das praças Deodoro e Pantheon, das alamedas Silva Maia e Gomes de Castro e da Rua Grande, que estão com obras em andamento, executadas pelo Iphan em parceria com a Prefeitura de São Luís.

Ainda no Centro, o prefeito Edivaldo promove em sua gestão importantes ações de reocupação qualitativa. Aos domingos, na Praça Benedito Leite, acontece a Feirinha São Luís, que tem levado milhares de ludovicenses e turistas para apreciarem a cultura, gastronomia, artesanato e literatura local. Já com o programa Reviva - Sarau Histórico, o Passeio Serenata e o Roteiro do Reggae -, o pedetista tem fortalecido a relação da população com o lugar e o sentimento de pertencimento e a consciência de preservação do mesmo. As ações além de trazerem programações em que os visitantes são convidados a conhecer mais sobre as riquezas históricas, culturais e arquitetônicas do lugar, também movimentam a economia da região e ampliam os ambientes de negócios. Nesta quarta-feira (12), acontece mais uma edição do Reviva, com o Roteiro Reggae, saindo às 19h da Praça Benedito Leite e seguindo em cortejo pelas ruas do Centro Histórico.

#HaddadÉLula está entre os assuntos mais comentados do mundo

A tag que faz referência à oficialização da candidatura de Fernando Haddad à presidência como substituto de Lula é o assunto mais comentado do Twitter no Brasil e está nos 'trending topics' mundiais
 Revista Fórum 

Na manhã desta terça-feira (11), em reunião fechada, a cúpula do PT confirmou a oficialização da candidatura de Fernando Haddad à presidência, com Manuela D’Ávila (PCdoB), como candidata a vice. A decisão, que partiu de Lula, preso em Curitiba, visa garantir o registro da chapa “O Povo Feliz de Novo” nas eleições deste ano visto que a candidatura do ex-presidente foi impugnada pela justiça eleitoral, que ainda deu o dia de hoje como prazo máximo para que a coligação indique um substituto.
Desde então, o assunto dominou as redes sociais e a tag #HaddadÉLula, que faz referência à substituição, atingiu o primeiro lugar dos trending topics do Twitter no Brasil. O assunto também está entre os mais comentados do mundo.
Na última pesquisa Datafolha, divulgada na noite desta segunda-feira (10), Haddad já aparece empatado tecnicamente com Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB) em segundo lugar nas intenções de voto, mesmo sem ter sido, ainda, oficializado como candidato. Com a formalização de sua candidatura, o ex-prefeito passará a participar dos debates de TV, ser colocado como candidato no programa eleitoral e ter cobertura de suas agendas de campanha nos jornais e noticiários.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Agora é oficial: Lula indica chapa Haddad e Manuela para eleições 2018

Revista Fórum

Agora é oficial: a chapa da coligação “O povo feliz de novo” (PT/PCdoB/PROS) passa a ser encabeçada por Fernando Haddad, tendo Manuela D’Ávila (PCdoB), como vice. A transferência de titularidade do ex-presidente Lula para o ex-prefeito de São Paulo será Fernando Haddad (PT) foi ratificada em reunião fechada, no início da tarde desta terça-feira (11), na qual integrantes da Executiva Nacional do PT aprovaram, por unanimidade os nomes de Haddad e Manuela.
Em instantes, a cúpula do PT vai divulgar a decisão em um ato na Vigília Lula Livre, próximo à sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, local onde Lula se encontra preso. Será divulgada, ainda, a carta-programa do ex-presidente ao povo brasileiro.
A confirmação do anúncio oficial já tinha sido antecipada pelo senador Lindbergh Farias (PT). Ele gravou, mela manhã, um vídeo informando que Lula não será candidato à presidência e indicará para seu lugar Fernando Haddad. “O povo brasileiro quer o Lula de volta. À tarde, vai ser lida uma carta de Lula em que ele coloca Haddad como seu representante. Lula não deixa de ser candidato. É candidato com o nome de Haddad. As pessoas vão perceber que Haddad é Lula na eleição”, disse.
A candidatura do ex-presidente Lula tem o prazo até 19 horas desta terça-feira para ser substituída, de acordo com as regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“O Mais Asfalto vai continuar nas cidades”, diz Flávio Dino ao confirmar apoio de quase 200 prefeitos




Os prefeitos do Maranhão fizeram na noite desta segunda-feira (10) uma grande demonstração de apoio à candidatura de Flávio Dino à reeleição. Eles se reuniram em São Luís para confirmar que estão juntos com Flávio nesta eleição.
No total, o governador tem o apoio de 196 dos 217 prefeitos do Estado. E mais de 150 deles marcaram presença no ato desta terça-feira. Quem não pôde ir foi representado pelos colegas.
“Temos prefeitos que viajaram 600, 700 quilômetros para estar aqui nesta noite, e esta é uma prova de carinho, de apreço e consideração. Quero agradecer tanto aos que vieram de perto quanto os que vieram de mais longe, e que estão aqui unidos”, afirmou o governador.
Mais Asfalto segue em frente


Na conversa com os prefeitos, Flávio ressaltou que a parceria com os municípios vai continuar, a exemplo do Mais Asfalto.
“Eu comecei o Mais Asfalto no dia 25 de janeiro de 2015. Vinte e cindo dias após o início do governo. A primeira rua que asfaltei no Maranhão foi a JK, em Imperatriz. E desde então não teve um único mês em que esse programa parasse. Porque ele simboliza a mão estendida a vocês”, disse Flávio.
Ele acrescentou que “quero garantir a vocês que o espírito de parceria vai continuar, não vai ter interrupção nenhum dia. É preciso que garantamos juntos o melhor resultado”.
Apoio
Os prefeitos destacaram as múltiplas ações de Flávio Dino nos municípios. “É o governador dos menos favorecidos” disse Cleomar Tema, prefeito de Tuntum. “Alguma dúvida sobre quem é o melhor candidato para o governo do Maranhão? Claro que não. Vamos juntos. Unidos pela vitória no 1º turno. É 65.”
“Sou Flávio Dino 65 porque o governo dele olhou o Maranhão como um todo, não só para alguns municípios”, afirmou Vianey Bringel, prefeita de Santa Inês.
A prefeita Valmira, de Colinas, disse que “65 é a mudança, mostrou para que veio. O voto dos colinenses é de gratidão e por saber que Flávio vai fazer muito mais”.

domingo, 9 de setembro de 2018

Artigo de Flávio Dino: O maior IDEB da história




O ensino médio da rede estadual do Maranhão teve, no nosso governo, a maior nota de sua história. O recorde foi divulgado esta semana com o resultado do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), medido pelo Ministério da Educação. É a confirmação técnica de que a educação do Maranhão realmente está melhorando.
Essa nota do IDEB é formada por vários itens e em todos tivemos melhoras significativas. Uma das áreas de maior destaque foi a permanência dos estudantes na rede de ensino. A evasão escolar chegou a seu menor nível na história do Maranhão.
Esse dado comprova que a melhora da estrutura física das escolas, uma das frentes do programa Escola Digna, tem impacto direto na qualificação do ensino. Em um ambiente saudável, limpo e adequado, os alunos se sentem mais estimulados a estudar.
O fato de pagarmos, em dia, o maior salário do Brasil também é um estímulo ao ensino. Um professor valorizado sente-se muito mais respeitado no exercício da sua nobre função.
Um dos componentes de maior peso na nota final do IDEB é o Saeb, sistema de avaliação do nível de conhecimento dos alunos por meio de provas de português e matemática. Nessas duas áreas, os alunos maranhenses do ensino médio tiveram a melhor nota da história.
No total, foi o maior crescimento que já tivemos, mais de 20% em relação ao IDEB deixado pela gestão anterior. Subimos da 21ª para a 13ª posição do país, ao lado de unidades federadas como Rio Grande do Sul e Distrito Federal, conhecidos nacionalmente por sua rede pública de qualidade. No Nordeste, ficamos em 3º lugar, atrás apenas de Ceará e Pernambuco – que foram justamente os dois estados que visitei assim que eleito para conhecer os sistemas exemplares de ensino médio.
Todos esses resultados são a prova da efetividade de uma política pública completa para a área que é o programa Escola Digna. Por meio dele, temos atuado tanto na qualificação do ambiente escolar, com a inauguração, reforma ou reconstrução de mais de 800 escolas, bem como a progressão de carreira e a gratificação por títulos de mais de 26 mil servidores da Educação. E a oferta de formação para mais de 50 mil professores, sendo muitos das redes municipais, o que comprova nossa preocupação não só com nossa própria rede, mas com todas as escolas públicas do Maranhão.
E esse é o nosso próximo desafio. Além de melhorarmos ainda mais o IDEB da rede estadual, vamos criar o Pacto Estadual pela Aprendizagem, em que a Secretaria estadual de Educação irá coordenar um trabalho junto às secretarias municipais para qualificar o ensino em todos os municípios. Depois de ajudarmos a construir escolas e qualificar professores, vamos trabalhar ainda mais para melhorar a qualidade do ensino em todas as redes.
É possível ver que, com seriedade, tratando a educação como prioridade, é possível mudar o nosso estado. Mesmo em tão pouco tempo e em meio à maior crise da história de nosso país.
Fico feliz que estejamos nos livrando das amarras dos que tentaram prender o destino do Maranhão aos seus interesses, acorrentando o estado nas últimas posições de todos os rankings. Muito ainda há por fazer, mas o caminho correto já começou.

sábado, 8 de setembro de 2018

Edivaldo prestigia Show 406 anos com Alceu Valença, artistas da terra e grande público




O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) prestigiou na noite de sexta-feira (7) o Show 406 Anos, como parte das comemorações pelo aniversário de São Luís. A gestão do pedetista reuniu milhares de pessoas na Praça Maria Aragão em apresentação do cantor Alceu Valença e dos artistas da terra Carlinhos Veloz, Mano Borges, César Teixeira, Fernando de Carvalho, Tutuca e Trio 1 2 3.

“A noite foi um grande sucesso. Ver a praça lotada de pessoas que vieram festejar a nossa cidade nos enche de orgulho. São Luís merece todas as homenagens e por isso as comemorações pelo seu aniversário seguem durante o mês de setembro com programação gratuita para todos os públicos, valorizando a nossa rica cultura”, disse o prefeito Edivaldo.

O prefeito, a primeira-dama Camila Holanda, o vice-prefeito Julio Pinheiro, secretários municipais, o vereador Osmar Filho, demais autoridades e a multidão que lotou a Praça Maria Aragão foram embalados por músicas que exaltam São Luís e também pelos grandes sucessos do cantor Alceu Valença, que parabenizou a cidade, agradeceu o prefeito pelo convite e homenageou a Ilha cantando o clássico “Pisa na Fulô”, do maranhense João do Vale.

Antes de prestigiar o Show 406 Anos, o prefeito Edivaldo esteve ao lado da presidente do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, e do superintendente do Iphan Maranhão, Maurício Itapary, na entrega da obra de revitalização da Praça Dom Pedro II, também em comemoração pelo aniversário da cidade.

Temer tem semelhanças com Sarney, mas não quer morrer quieto como ele

Folha de São Paulo


Há fatores suficientes para comparar José Sarney e Michel Temer.
Primeiro fator: nem um nem o outro tiveram legitimidade de origem (não foram eleitos para presidir o Brasil). Segunda característica: os dois morrem (como presidentes) na mais absoluta solidão.
Terceira semelhança: não há um único candidato, entre os 13 de 2018 ou entre os 22 de 1989, que se anime a defender o presidente de cada momento, Temer e Sarney.
Talvez essa situação constrangedora explique a salva de tiros que Michel Temer disparou contra Geraldo Alckmin em vídeos divulgados nesta semana: é um atirador solitário, uma espécie de “sniper” da política tentando evitar que até quem o apoiou a princípio passe agora a tentar caçar votos na ampla base de indignados com o governo Temer.
É o oposto do que fez Sarney. Morreu em silêncio. Nem se queixou, por exemplo, do fato de que Aureliano Chaves, seu ministro (de Minas e Energia) por quase quatro anos não disse uma palavra para defender o governo de que fizera parte.
A grande mágoa de Sarney, no entanto, foi com Fernando Collor de Mello, exatamente seu crítico mais feroz na campanha de 1989.
Collor, como Sarney, fizera carreira na Arena, o partido de sustentação da ditadura, até se transferir para o PMDB, como Sarney, para eleger-se governador de Alagoas (1986), surfando no êxito do Plano Cruzado, editado por Sarney.
Que os candidatos de esquerda e centro-esquerda (Luiz Inácio Lula da Silva, Leonel Brizola e Mário Covas) o criticassem entrava no script previsível. Que um candidato de direita o fizesse não lhe parecia natural.
É a mesma lógica que parece orientar os disparos de Temer sobre Alckmin: que Ciro Gomes, Marina Silva e o candidato do PT, seja qual for, o ataquem é jogo jogado.
Mas é insuportável que o ataque mais saliente venha justamente do candidato do partido que o ajudou na conspiração para o impeachment e na montagem do governo.
Não parece, no entanto, que a reação a Alckmin melhore a situação de Temer, assim como o silêncio não ajudou Sarney: o desprestígio do atual presidente é tão formidável que, se ele fala, é criticado; se cala, também. 

Flávio Dino estreia campanha nas ruas de São Luís e reúne milhares no Anjo da Guarda




O bairro do Anjo da Guarda foi o local escolhido para a estreia da campanha do governador Flávio Dino nas ruas de São Luís, nesta sexta-feira. Milhares de pessoas acompanharam o candidato por 2,5 quilômetros em clima de festa.
“Ele trabalhou muito e melhorou a segurança. Também asfaltou muitas ruas aqui no bairro, inclusive a da minha mãe, que não era asfaltada”, disse Zenilde Trindade, moradora da rua Colômbia.
Entra as ações de segurança na região feitas por Flávio, está a entrega do Complexo Policial da Área do Itaqui-Bacanga, que reduziu a criminalidade na região.
“Flávio Dino, para mim, é uma pessoa maravilhosa. Todas as vezes que ele se candidatar, eu voto nele”, afirmou a moradora Eleandina Miranda.
O ato no Anjo da Guarda foi acompanhado pelos candidatos ao Senado Weverton Rocha e Eliziane Gama. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, também participaram.
Aniversário de São Luís
O governador fez uma menção especial ao aniversário de São Luís, comemorado nesse sábado (8). Ele puxou a música “Parabéns pra Você”, seguido pelos que estavam presentes.
“Amanhã é um dia muito especial para todos nós. É aniversário da nossa capital. São Luís já foi muito perseguida. Quando o governo era outro, vocês sabem quantos quilômetros de asfalto foram feitos em São Luís? Zero. Não é força de expressão. É zero mesmo”, contou o governador.
Flávio também falou sobre a nota recorde que o Ensino Médio público do Maranhão alcançou recentemente. O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que mede a qualidade do ensino, subiu 21% com Flávio.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Jair Bolsonaro é atingido por facada no abdome durante caminhada em MG




O candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, sofreu uma facada no abdome durante uma caminhada durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).
Bolsonaro estava sendo carregado por apoiadores durante o ato quando fez uma expressão de dor e foi retirado do local.
De acordo com as primeiras informações, o candidato sofreu um ferimento superficial e foi encaminhado a um hospital da cidade mineira.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Lula: “Não me conformo de ter sido condenado por um crime que não existiu”




Em uma mensagem publicada em seu site, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, avisa: “Não me conformo de ter sido condenado e estar na lei da Ficha Limpa por um crime que não existiu".

Ele se refere à cassação de seu registro de candidato à Presidência da República por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no último dia 31.

"Os Tribunais Superiores, que poderiam reparar essa injustiça julgando o mérito do processo antes das eleições, não pautam a votação. Vão julgar quando eu já tiver sido alijado do processo eleitoral?”, reforçou o ex-presidente. 

A defesa do ex-presidente apresentou recursos na Justiça contra a condenação sem provas a qual foi submetido e, diferentemente da celeridade para condenar, os recursos ainda aguardam agendamento. 

Agência Brasil

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Vamos reduzir de novo os impostos para pequenas empresas, diz Flávio Dino em encontro na Fiema




O governador e candidato à reeleição Flávio Dino confirmou nesta terça-feira (4) que as novas propostas para 2019 em diante incluem a redução da carga tributária para micro e pequenas empresas no Maranhão. Ele participou do Encontro Empresarial com os Candidatos a Governador, organizado pela Fiema (Federação das Indústrias do Estado do Maranhão).
Flávio lembrou que as micro e pequenas empresas correspondem a 90% do total no Maranhão. Em 2015, o governador já havia diminuído os impostos das empresas do Simples, que é um regime tributário para os pequenos empreendedores.
“Fizemos em 2015 e vamos fazer de novo em 2019, reduzindo o diferencial de alíquotas de operações interestaduais.”
Ele lembrou que, quando assumiu, as alíquotas de ICMS cobradas das pequenas empresas estavam sem mudança havia anos, prejudicando os negócios.

“Em 2015, fizemos aprovar a lei estadual que reduziu essas alíquotas. Vamos rever essa tabela para reduzir ainda mais, criando inclusive faixas de isenção para as empresas optantes do Simples. Muitas dessas empresas só mantiveram as portas abertas por causa da lei de 2015. Vamos reduzir, grosso modo, para a metade as alíquotas e percentuais das micro e pequenas empresas”.
“Trocamos uma política tributária que beneficiava 100 empresas por uma que beneficia 100 mil empresas. Essa é uma diferença substantiva. Nós governamos para todos”, acrescentou.
Transparência


Flávio também ressaltou que “agimos com transparência, com a separação dos interesses públicos e privados. Nenhum dos presentes pode dizer que um parente meu se ocupou de negócios privados para concorrer com as empresas maranhenses”.
“Parece uma obviedade, mas é uma novidade essa separação de interesses públicos e privados. Não há porta giratória no nosso governo. Dialogamos sempre com o setor privado, mas não concorremos com o setor privado. Interesses familiares e particulares não se sobrepõem na relação com os empresários”, afirmou.
Turismo
Ele disse que será dada ainda mais ênfase ao crescimento do turismo. “Vivemos o melhor momento do turismo no Maranhão”, afirmou, dando exemplos como a nova estrada para Santo Amaro, a valorização do Centro Histórico e a melhoria de acesso da Rota das Emoções.
Menos burocracia

O governador ressaltou ainda o papel do programa Empresa Fácil para o ambiente de negócios do Maranhão. Na gestão atual, 100% dos municípios do Estado aderiram à Rede Sim, que facilita a vida dos empresários.
“Apesar da crise devastadora, temos uma trajetória ascendente da abertura de novos negócios, que levavam 90 dias para ser registrados e hoje em cinco ou seis horas estão registrados, por conta da Rede Sim e do programa Empresa Fácil. Estamos em 2018 quebrando recordes de abertura de empresas. Já temos 20.151 empresas abertas em 2018.”

Policial militar morre após acidente na Avenida dos Africanos




Um policial militar identificado como Wennison Jansen Amorim morreu na manhã desta terça-feira (4), na Avenida dos Africanos, em São Luís, vítima de um acidente automobilístico.
Segundo testemunhas, o PM estava pilotando a sua motocicleta no sentido do bairro de Fátima para o Centro quando um veículo, de placas ainda não identificadas, bateu nele. Com o impacto, o policial acabou caindo na pista e morreu instantes após a colisão. O motorista do carro fugiu do local sem prestar socorro a vítima.
O corpo de Wennison Jansen foi recolhido por uma equipe do Instituto Médico Legal (IML). Guardas da Secretaria Municipal de Trânsito (SMTT) estiveram na via com o intuito de organizar o tráfego após o acidente.
O militar Wennison Jansen Amorim era lotado no 1º Batalhão da Polícia Militar (1ºBPM) e havia entrado na corporação no ano de 2017.
 G1 MA

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Com Flávio Dino, nota das escolas do Maranhão sobe 21% e atinge maior nível da história




O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do Ensino Médio da rede pública maranhense subiu de 2,8 para 3,4 entre 2013 e 2017, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (3). O aumento foi de 21% nesse período. É a maior nota da história no Maranhão.
O Ideb representa a nota que o ensino de cada Estado recebe. O responsável pelos dados é o Ministério da Educação. O índice é medido a cada dois anos.
Em 2015, no primeiro ano de Governo de Flávio, o Ideb tinha aumentado de 2,8 para 3,1, revertendo a queda registrada no governo anterior.
Ou seja, a nota do Ensino Médio público do Maranhão aumentou nas duas avaliações feitas desde que Flávio Dino assumiu o governo. É a única vez em que esse índice subiu duas vezes seguidas no Estado.
O Governo do Estado é responsável por 97% das matrículas no Ensino Médio.
Escola Digna
O Ideb do Maranhão subiu em 2015 e 2017 porque Flávio Dino adotou uma série de mudanças profundas logo que tomou posse. O carro-chefe das transformações foi o Escola Digna, que já construiu e reformou mais de 800 colégios no Maranhão.
O programa também valorizou os professores, com treinamentos e salários. O Maranhão paga o maior salário para professores em início de carreira com licenciatura plena e jornada de 40 horas semanais. São R$ 5.750,83. Nenhum Estado em todo o Brasil tem uma remuneração como essa.

Homicídios na Grande São Luís caem 73% em agosto na comparação com 2014



Os homicídios no Maranhão continuam caindo, confirmando a tendência verificada desde 2015, quando Flávio Dino assumiu o governo. Em agosto deste ano, foram registrados 24 casos na Grande Ilha. Em agosto de 2014, antes de Flávio assumir, foram 90.
É uma diferença de 73%. Isso significa que 66 vidas foram salvas em um mês na Grande Ilha.
Na comparação entre 2018 e 2017, também há redução significativa, de 31%. Ou seja, há uma queda consistente da criminalidade.
Isso já foi verificado por estudos no Núcleo de Violência, da USP, pelo Atlas da Violência e pelo Fórum Brasileiro de Segurança pública.

Flávio Dino segue na liderança e vence no primeiro turno, diz nova pesquisa DataIlha/Difusora




O candidato à reeleição Flávio Dino (PCdoB) lidera a corrida pelo governo do Maranhão e deve vencer as eleições no primeiro turno com 60,47% dos votos válidos, é o que aponta nova pesquisa DataIlha encomendada pela TV Difusora e divulgada nesta segunda-feira, dia 3.
O levantamento aponta que se as eleições fossem hoje, Dino venceria com quase o dobro de votos de Roseana Sarney (MDB), que aparece em segundo lugar com 31,08%.
Logo atrás estão os candidatos Roberto Rocha (PSDB), com 4,4%; Maura Jorge (PSL), com 3,56%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,6% e Odívio Neto (PSOL), com 0,25% das intenções de voto.
Na votação nominal, quando são considerados os indecisos, brancos e nulos, Dino também segue na frente, com 49,19% dos votos. Em seguida aparecem Roseana Sarney, com 25,28%; Roberto Rocha, com 3,29%; Maura Jorge, com 2,90%, Ramon Zapata, com 0,5% e Odívio Neto, com 0,20%. Brancos e nulos somaram 8,20%. Não sabem ou não responderam totalizaram 10,45%.
A pesquisa DataIlha/Difusora projetou ainda cenário onde há confronto direto entre Flávio Dino e Roseana Sarney. Aqui a vantagem de Dino é ainda maior, com 66,69% dos votos válidos contra 33,31% de Roseana.
Corrida presidencial – O estudo aferiu ainda a intenção de voto dos maranhenses na disputa pelo Palácio do Planalto. Quando foi levada a campo, a pesquisa considerou panorama com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) como candidato, mas em sessão ordinária na última sexta-feira (39), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu barrar a candidatura do petista.
Caso fosse candidato, Lula venceria as eleições no primeiro turno com 69,41% dos votos válidos. Atrás dele aparecem Jair Bolsonaro (PSL), com 18,58%; Ciro Gomes (PDT), com 5,44%; Marina Silva (Rede), com 3,98%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 1,83% e João Amoêdo (Novo), com 0,43%. Os candidatos Henrique Meirelles (MDB), Alvaro Dias (Podemos) e Cabo Daciolo (Patriota) obtiveram 0,11% cada um. Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram.
DataIlha/Difusora estimulou ainda cenário onde Fernando Haddad (PT) é candidato com apoio de Lula. Nesse caso, Haddad aparece na frente com 29,84% dos votos válidos, seguido por Jair Bolsonaro, com 24,87%; Marina Silva, com 18,98%; Ciro Gomes, com 14,40%, Geraldo Alckmin, com 9,82%; João Amoêdo, com 0,52%; Henrique Meirelles, com 0,20%; Guilherme Boulos, com 0,13%; Alvaro Dias, com 0,52%; Vera Lúcia, com 0,39% e Cabo Daciolo, com 0,33%.
Registrada no TRE sob o nº MA-03940/2018, a pesquisa DataIlha/Difusora foi realizada com 2.037 entrevistados em 37 cidades do Maranhão por meio de escutas individuais entre os dias 27 e 30 de agosto de 2018. O intervalo de confiança é de 95 % e a margem de erro é de 3.3%.

domingo, 2 de setembro de 2018

CartaCapital: Em um Maranhão renovado, Dino tenta confirmar fim da era Sarney

Enquanto estado surge na vanguarda em políticas educacionais e de               inclusão, oligarquia local volta a apostar em Roseana
por Murilo Matias  



O grupo político mais antigo em atividade no Brasil confronta-se mais uma vez com o governador Flávio Dino no Maranhão. Após o líder do PCdoB derrotar o grupo político da família Sarney nas eleições de 2014, colocando fim à supremacia de meio século,o estado que costumava ocupar as manchetes nacionais pelas crises passou a ser exemplo para o Brasil em áreas como educação, infraestrutura e na atenção a pessoas com necessidades especiais.
“Dino faz um governo atuante, aceito pela população que defende sua reeleição. Ouço das pessoas que ele está realizando a maioria das promessas. Agora mesmo nossa avenida principal está em reforma e prometeram calçar a rua onde moro até o final do ano”, conta Marilene Costa, moradora da zona rural de São Luís, a trinta minutos do centro.
A dona de casa destaca ainda a democratização do acesso à internet através do Maranet, que em sua primeira etapa acumula 800 mil acessos e planeja atingir 61 cidades, das 217 do estado.
A busca de Dino pela reeleição baseia-se no fortalecimento do Estado como agente de transformação social junto da participação popular em discussões sobre o orçamento participativo. A partir dessa visão, o gestor aliou a busca por experiências bem sucedidas junto ao fortalecimento do funcionalismo para desenvolver políticas voltadas às necessidades mais urgentes.
O investimento em pessoal fez com que o Maranhão fosse considerado o paraíso dos concursos, em comparação aos outros estados que cortavam vagas na máquina pública.
“Acabou o tempo do Maranhão ser governado por uma ou duas famílias, agora o estado é governado por todas as famílias. Eu escolhi ser político porque gosto de ver o povo mobilizado, isso me emociona. Tenho muito orgulho de ser um servidor público sério”, definiu Flávio Dino, no lançamento da campanha que reuniu dez mil pessoas, incluindo os candidatos ao senado da chapa e Weverton Rocha (PDT ) e Eliziane Gama (PPS).
A ênfase ao sistema educacional com o Escola Digna resultou na reforma de 800 unidades,  qualificação a 50 mil professores e no pagamento do salário base mais alto do Brasil, R$ 5.750, além de treze mil matrículas em regime integral.
“Avançamos não somente financeiramente, mas nas condições de trabalho e no diálogo da entidade sindical com o governo, que já anunciou um novo edital para docentes. Nas gestões anteriores tudo ficava na conversa ou não éramos nem recebidos”, compara Raimundo Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma),com 33 mil sindicalizados.
No ensino superior, a Universidade Federal do Maranhão é pioneira no curso de cultura estudos africanos e  afrobrasileiros, sintonizada com a formação étnica da população. A licenciatura surgiu respaldada pela lei federal sancionada pelo ex-presidente Lula que tornou obrigatória a matéria para os alunos do fundamental e médio.
“Nesses tempos sombrios de perda de direitos e diminuição de políticas afirmativas somos uma resistência. Este ano levamos uma comitiva de cem alunos para a África, algo inédito. O Maranhão é o estado com maior população negra no Brasil e aqui o extermínio da juventude negra impressiona”, informa a professora Pollyanna Muniz.
A terra que se orgulha por preservar o português mais belo do país exclui 840 mil conterrâneos da possibilidade da leitura e escrita ao manter aproximadamente 17% da população no analfabetismo . O problema crônico teve um símbolo de transformação com os vinte mil maranhenses que se somaram aos três milhões e meio de latinoamericanos contemplados pelo programa “Sim eu posso”, método cubano aplicado em conjunto com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), sobretudo aos idosos, maioria dos iletrados.
No segmento da saúde, o número de hospitais pulou de dois para dez e a cooperação foi novamente um trunfo com destaque para a presença dos médicos cubanos que junto aos brasileiros reforçaram a atenção básica com pico de 700 profissionais. Outra novidade, a transformação da casa de veraneio do governador em um local de assistência a crianças com carências de neurodesenvolvimento permite o atendimento semanal de 15 famílias na Casa de Apoio Ninar. Em paralelo, o projeto Travessia levou transporte gratuito a 1.500  portadores de deficiência em mais de 35 mil viagens desde 2006, segundo dados oficiais.
A superação de barreiras chegou também aos gramados. O Maranhão conquistou A Copa Nordeste, ou Lampions League, com o título do Sampaio Correa – o triunfo inédito veio depois de o clube ser excluído do campeonato em anos anteriores, motivo da festa sem fim promovida pelos torcedores da Bolívia Querida, apelido do time em razão de seu uniforme.
Dos chineses aos americanos, aqui é Jamaica
Se no campo social a integração foi com os cubanos, no terreno energético e econômico o executivo busca parcerias com a iniciativa privada da China para retomar a obra da refinaria de Bacabeira, projetada para ser a maior da América Latina antes de ter sua construção interrompida pela Petrobras devido à troca de comando na estatal. A negociação envolve o valor de dez bilhões de dólares, mas a capacidade de processar 300 mil barris de petróleo por dia anima os investidores asiáticos a longo prazo.
A geração de energia, aliás, preocupa os consumidores cotidianamente. O preço da tarifa praticado pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar) é o segundo mais elevado do país afetando gravemente as casas em que a renda per capita familiar é inferior ou equivalente de 597 reais, média do estado e a menor nacional.
O governo contraargumenta que essa fatia da população paga valores inferiores ao fixado pela Agência Nacional de Energia Elétrica e cita baixa de impostos na concessão gratuita de carteiras de motorista e nos incentivos à agricultura familiar para demonstrar a postura tributária em relação aos mais pobres.
Os recursos naturais abundantes se estendem pela região mineradora de Godofredo Viana, abundante em ouro, ao longo do pólo agrícola de Balsas e na atração de turistas aos lençóis maranhenses. As possibilidades das terras e os constantes confrontos reforçam a necessidade de ações de proteção a comunidades quilombolas e etnias indígenas.
“O Brasil desde sua colonização mantém a concentração da terra como modelo imperante em detrimento a milhões que precisam de seus territórios para garantir a sua reprodução física e cultural, em especial nós povos originários. O agronegócio avança a cada dia apoiado pelo governo. No Maranhão o processo de reforma agrária é incipiente com muitos conflitos onde povos, comunidades tradicionais e agricultores familiares sempre saem perdendo. A presença desses grupos evidencia que o modelo de desenvolvimento deve se basear nos nossos modos de vida, somos o símbolo da resistência”, assegura a maranhense Sonia Guajajara, candidata a vice-presidência pelo Psol, a primeira indígena a concorrer ao posto.
Ao passo que a questão fundiária é alvo de disputas inclusive da especulação estrangeira, a supremacia estadunidense sobre a Base de Alcântara, localizada no município de mesmo nome, reflete o descompasso entre a defesa da soberania por parte da esfera estadual e o entreguismo de Michel Temer – o acordo dos golpistas com a potência do norte restringe a atuação dos cientistas brasileiros no local. A comunicação entre os poderes também deixa a desejar no que concerne à administração da penitenciária de Pedrinhas, palco de repetidas chacinas. A omissão da União exigiu do governo a revitalização do complexo para evitar as mortes que chocaram o Brasil em anos anteriores.
Buscando ares mais relaxados, a inauguração do Museu do Reggae reforçou a relação do povo com a música trazida pelos jamaicanos. São Luis, a capital brasileira do reggae, lembra até hoje dos shows de Jimmy Cliff na ilha e das afinidades entre o espírito maranhense e caribenho.
O meio século de poder
Os abalos à família Sarney iniciado com a vitória de Dino em 2014 teve novo capítulo em 2016 quando o PCdoB atingiu o recorde de 46 prefeituras diante das 22 mantidas pelo PMDB. Acossado pelo crescimento dos adversários, o ex-presidente Sarney retornou seu domicílio eleitoral ao Maranhão, levantando suspeitas de que concorreria ao Palácio dos Leões aos 88 anos, cargo que coube a sua filha, a ex-governadora por quatro mandatos Roseana Sarney.
“Já estou bem velho, mas não velhaco. Sou o político mais antigo em atividade no Brasil, já percorri todos os caminhos da política e tenho uma tradição de luta por nosso estado. Há sessenta anos a violência dominava o Maranhão, não havia luz, água, estrada e o povo era triste. Hoje sou eu quem está triste pelo fim das festas populares, com a volta da criminalidade e da perseguição. Esse governo só olha para trás e o escolhido sou eu. Nessa idade era para eu ser respeitado, mas sou acusado depois de passar a minha vida a serviço do Maranhão. Com Roseana a tristeza vai acabar”, declarou Sarney aos gritos de eterno presidente na convenção do PMDB realizada no espaço privado Renascença.
A capital é um exemplo da perda do controle político dos emedebistas, que elegeram apenas um vereador em São Luis, gerida pelo bem avaliado prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT), cujo partido integra a base do governo. Mas engana-se quem pensa que o clã perdeu instrumentos para exercer sua força, como demonstra a sentença da juíza Anelise Nogueira Reginato determinando a inelegebilidade de Dino por abuso de poder econômico nas eleições municipais de 2016. Sem efeito imediato por ser uma decisão de primeiro grau, o risco está na possibilidade de cassação futura do governador, relembrando os tempos que Jackson Lago (PDT) foi retirado do cargo para o qual havia sido eleito derrotando Roseana, em 2006.
Historicamente o clã Sarney e seus aliados valeram-se de estratégias eficientes que permitiram sua perpetuação. Parte dos maranhenses considera ser visto com preconceito pelo restante dos brasileiros devido a sempre serem taxados como os mais pobres e detentores dos piores índices na saúde e educação.
Somado à ideia do estigma, muitos não se incomodam em manter uma relação personalista com o Estado dependendo de favores dos caciques e elogiam o apreço do grupo pela cultural local, a cena de Roseana dançando o boi percorre todas as campanhas de que participou.
“O presidente e sua filha nos defendem lá fora, isso é muito caro para nós. Sem ele e seus parceiros não teríamos as obras que estão em cada canto do território desde os tempos em que Glauber Rocha veio filmar Maranhão 66 por aqui”, recorda Assis Miranda, de Imperatriz, a maior cidade na mão dos sarneysistas.
A construção da imagem positiva inclusive alçou Roseana, intitulada guerreira do povo, a colocar-se como pré-candidata à presidência da república em 2002 pelo PFL, hoje DEM. O movimento trazia muitas semelhanças com a transição realizada por Fernando Collor em 1989, gestores jovens, modernos, que proporcionaram desenvolvimento a suas terras pobres do Nordeste.
A apreensão de 1,3 milhões de reais na construtora Lunus, em São Luís, empresa de propriedade da então governadora e seu marido Jorge Murad, acabaram com a chance de um Sarney voltar a presidir o Brasil, mas não acabaram com o poderio interno.
“Passei os últimos quatro anos em silêncio em respeito aos que escolheram Flávio Dino, mas agora chegou a minha hora de falar. É inadmissível que mais de 300 mil cidadãos tenham retornado à pobreza e que o governo confisque bens, carros, motos em leilões que humilham a dignidade das pessoas. Não permitirei que isso continue”, afirmou Roseana durante a oficialização de sua candidatura.
A hegemonia sobre a rádio e TV Mirante, retransmissora da Globo, é mais uma arma para desgastar os comunistas. Sob esse quadro, a esquerda questiona a pesquisa Ibope em que Dino aparece com 43% contra 34% de Roseana – correm por fora o senador Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL), ambos com 3%. No estado, é comum os levantamentos do instituto superestimarem a performance de candidatos do grupo de Sarney.
O levantamento aponta ainda a liderança dos conservadores para o Senado com a dianteira de Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (PMDB), que ganhou todas as eleições que participou. “Não tenho curral eleitoral, tenho a consciência política do estado”, declarou o ex-ministro de Minas e Energia, em entrevista ao Imparcial.
Apesar da distância ideológica, nem tudo é diferença entre os nomes que polarizam o cenário. Assim como os adversários faziam, Dino costurou uma grande aliança pela governabilidade, causando o fim à chamada “sarneyzação do PT”, em alusão ao tempo em que o partido estava junto do PMDB, pressionado pela conjuntura nacional. Junto aos petistas, integra a coligação o DEM e PP, siglas que apoiaram o golpe contra a presidente Dilma Roussesff.
Outro traço em comum é a defesa do ex-presidente Lula, o preferido dos maranhenses para o pleito presidencial. A manifestação de apoio ao direito de concorrer da maior liderança nacional coloca Roseana ao lado de Dino, que na condição de juiz federal critica os abusos do judiciário.
Por tudo que envolve, a campanha maranhense deve ser uma das emocionantes do Brasil pelo contraste que encarna. Se houvesse eleição pelo melhor jingle a chance seria grande para a música cantada por Alcione na campanha de Roseana, mas na ilha do amor os comunistas esperam bater o tambor do boi e os corações da gente com mais força.