Banner

Banner

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Reduz-se em São Luís o número de estupros, roubos, furtos e homicídios, apontam forças de segurança

Caiu em 67,44 % o número de fugas em Pedrinhas e em 60 % o número de assassinatos. Até 25 de junho o absurdo de 638 armas de fogo foram apreendidas.


Caiu em mais de 60% o número de fugas e de homicídios no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no primeiro semestre de 2015, comparado ao mesmo período de 2014. Dados divulgados pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Sejap) apontam redução de 67,44% no número de fugas; e de 60% nos assassinatos, dentro das unidades prisionais instaladas em Pedrinhas. As informações foram apresentadas durante coletiva das forças de segurança do Estado, nesta quarta-feira, 1º, no auditório da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).
Em números reais, a diferença é ainda mais significativa. Nos seis primeiros meses do ano passado, foram registradas 43 fugas, no Complexo de Pedrinhas, enquanto que este ano foram anotados apenas 14 casos. A mesma redução positiva foi constatada no quesito “crimes contra a vida”. Segundo a Sejap, quatro detentos foram mortos, em 2015, em Pedrinhas, seis a menos que em 2014, quando foram registrados 10 homicídios, nas unidades carcerárias.
A subsecretária da Sejap, Camila Neves, que representou o secretário Murilo Andrade de Oliveira, atribuiu a melhora nos índices ao comprometimento do governo do Estado com o reforço nos trabalhos preventivos no sistema carcerário. “A queda drástica dos índices de fugas e homicídios no Complexo de Pedrinhas reflete a priorização dada pelo governador Flávio Dino. Temos 950 servidores em capacitação para trabalharem nos presídios, no reforço das rondas ostensivas e na manutenção das revistas nos pavilhões. Além disso, o apoio recebido pelas polícias Civil e Militar no interior do estado tem sido importantíssimo, nesse sentido. Enfim, esperamos que esses índices reduzam ainda mais, com a abertura das 1.700 novas vagas que virão com as reformas e ampliações de outras unidades a partir do acordo firmado com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça)”, afirmou a secretária adjunta.
Menos homicídios e paz no São João
O índice dos crimes contra a vida na Região Metropolitana de São Luís também teve redução de 7% no primeiro semestre de 2015 em comparação ao mesmo período de 2014.
A série histórica do número de vítimas de homicídios na capital maranhense apresentava evolução negativa, isto é, com a elevação do número de casos. Mas nos primeiros seis meses de 2015, já apresenta queda significativa. Conforme os dados apresentados pelo secretário Jefferson Portela, em 2014, a planilha de homicídios registrou aumento de 21% nesse item em relação ao ano anterior, com 431 assassinatos, no mesmo período. Em 2015, no entanto, foram 29 registros a menos, isto é, 402.
Durante a coletiva foi apresentado o segundo balanço das atividades do sistema de forças policiais do Estado no período junino e as ações desenvolvidas na área da Segurança Pública nestes primeiros seis meses do governo Flávio Dino. Entre estas, a mobilização estratégica para garantir a segurança dos festejos juninos. O secretário Jefferson Portela enfatizou que o resultado positivo no período junino se deveu aos investimentos do governo no sistema de segurança.
Em rápido discurso, o delegado-geral de Polícia Civil, Augusto Barros, informou que para o período festivo foi montado um plano de plantões excepcionais, o que permitiu a mobilização de um contingente policial que atuou fortemente nos arraiais tradicionais e em locais onde a presença da polícia fosse considerada prioritária.
Os resultados refletem o empenho do governador Flávio Dino em priorizar a segurança pública. Por meio de Medida Provisória, criou 490 cargos para reestruturar a carreira do Corpo de Bombeiros Militar; e mais 574 cargos para a Polícia Militar, que permitirão a abertura de novos batalhões, e transformar as companhias de policiamento rodoviário e turismo em novas unidades militares. O governador também convocou para testes de aptidão física, 2.500 candidatos excedentes do último concurso público realizado pela Polícia Militar; e tem direcionado recursos para manter o futuro contingente. Destes, 432 policiais já estão na academia de polícia em curso preparatório para reforçar o contingente policial.
Também foram convocados 410 excedentes do concurso do Corpo de Bombeiros para realizares teste de aptidão física, além da nomeação de cerca de 80 policiais civis entre delegados, investigadores, escrivães, peritos e legistas. O governador Flávio Dino também investiu na valorização dos policiais com recomposição salarial que chegou a 19,5% no caso de soldados e cabos da PM.
Apreensões de armas de fogo
No primeiro semestre de 2015 a SSP já confirma também a apreensão de 638 armas de fogo, feita apenas pela Polícia Militar, em São Luís. A estatística parcial representa todo o trabalho realizado até o dia 25 de junho, com destaque para os meses de janeiro e maio que, respectivamente, fecharam com 121 e 128 armas de fogo apreendidas em operações policiais militares. O terceiro mês que mais se apreendeu armas letais, na capital, foi março, quando 116 foram retiradas de circulação; seguido de fevereiro, com 106; junho, com 84; e abril, com 83 armas de fogo apreendidas na Grande Ilha.
Outra boa notícia dada pelo governo nesta prestação de contas à sociedade maranhense é a de reduções significativas nos registros de estupros e roubos e furtos e veículos. Segundo as estatísticas da SSP, foram anotados 174 casos de estupro nos primeiro seis meses de 2014, contra 133 no mesmo período de 2015. O número que representa redução de 24% na ocorrência de crimes dessa natureza. Já a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) registrou redução de 14% do total de ocorrências em relação ao ano passado. Em 2014 foram 1.052 veículos furtados ou roubados, na capital, contra 902 casos anotados na delegacia especializada, este ano.

Além do secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela; participaram da coletiva, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Antônio Alves; delegado geral de Polícia Civil, Augusto Barros Neto; comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, Célio Roberto Araújo; a subsecretária da Administração Penitenciária, Camila Neves Barbosa, e o secretário de Comunicação do Estado, Robson Paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário