Banner

Banner

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Polícia já realizou mais de 800 abordagens a coletivos na Grande Ilha este ano




Mais de 800 abordagens em ônibus foram realizadas neste início de ano na Região Metropolitana de São Luís. Parte das operações de combate a assaltos a coletivos resultaram na condução de 35 suspeitos e apreensão de 43 armas, sendo 38 armas brancas (facas e facões), quatro de fogo e uma arma de brinquedo. As operações são realizadas pelo Batalhão Tiradentes e Companhias da Polícia Militar do Maranhão e frustraram 32 tentativas de assalto apenas em janeiro deste ano.
As ações têm como principal objetivo diminuir o número desse tipo de crime e, também, colaboram para a retirada de armas de fogo e brancas de circulação, para a apreensão de drogas, cumprimento de mandados de prisão, identificação de jovens e adultos envolvidos em delitos e manutenção da segurança oferecida aos usuários do transporte público, inclusive vans e micro-ônibus.
De acordo com o tenente-coronel, Marques Neto, que comanda o Batalhão Tiradentes, as operações são diárias, começando a partir das 6h até o encerramento da circulação dos transportes coletivos. Para as abordagens, são escolhidos pontos estratégicos repassados pelo Sindicato dos Rodoviários (STTREMA), geralmente locais mais vulneráveis à criminalidade.
“O serviço de inteligência realiza um trabalho de investigação e identificação, indo até as garagens das empresas de ônibus e nas delegacias. Nestas visitas, os policiais conversam com os motoristas, vistoriam as fotos dos suspeitos. Em seguida traçam o perfil dos assaltantes facilitando assim a identificação quando são realizadas as ações”, explicou.
O comandante esclarece ainda que o serviço de inteligência desempenha um trabalho de investigação que tem papel fundamental no desenvolvimento das ações de combate a assaltos. Os agentes traçam um mapa dos perfis dos criminosos, com as informações adquiridas através da análise das filmagens dos assaltos, entrevistas com os passageiros e cópias dos boletins de ocorrência.
Resultados
No início deste mês, uma quadrilha composta por nove pessoas foi desarticulada e mais três suspeitos de envolvimento com o bando foram detidos. A Polícia Militar encontrou, com o grupo, armas brancas (facas e facões). A prisão dos envolvidos foi possível com as ações que são realizadas intensivamente em todo os pontos da cidade.
“Nos últimos dias conseguimos evitar 32 assaltos. Em 32 revistas realizadas nos ônibus, conseguimos identificar e retirar do coletivo mais de 30 pessoas que iriam assaltar. Iremos continuar intensificando as nossas ações em toda a capital. É importante ressaltar que não são apenas barreiras comuns, em muitas ocasiões os ônibus abordados estão em movimento. Pois os assaltantes já conhecem alguns pontos e já entram depois daquele local”, disse.
Operações
Além das barreiras e das revistas com os ônibus em movimento e nos terminais de integração, as guarnições realizam em média 20 abordagens por dia, em pontos aleatórios e sempre seguindo mapa que é repassado pelo Sindicato dos Rodoviários. Uma dificuldade encontrada pela Polícia Militar é a falta dos registros no Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), pois a maioria dos motoristas não comunica formalmente os casos. Essa ausência de registros dificulta o trabalho da Polícia Militar, uma vez que através deste protocolo são geradas as estatísticas que vão embasar o planejamento das ações.
Denúncias


A Polícia Militar está disponibilizando mais um canal de denúncia voltado apenas para assaltos a ônibus. É o WhatsApp Denúncia (98) 98876-0176, serviço que está sendo de grande valia. Segundo o comandante Marques Neto, a população tem enviado fotos e nomes de suspeitos envolvidos em assaltos a coletivos e tem ajudado a prender quadrilhas. Ele informa que o cidadão não precisa ter medo de interagir e colaborar com o serviço da Polícia Militar, pois o sigilo é mantido.
Profissionais e usuários do transporte público de São Luís avaliam positivamente as ações da Polícia Militar. O motorista de ônibus João Tavares relatou que ao ver a abordagem feita pela Polícia Militar tem a sensação de segurança. “Ações como esta são essenciais. Tenho a sensação de segurança sempre que a Polícia Militar faz as abordagens ao ônibus”, afirmou.
Auri Hosemberg, usuária do transporte coletivo, relatou que constantemente os ônibus que ela utiliza são abordados e passam por revistas. “É uma boa ideia este tipo de ação da polícia, nos livra de assaltos e de riscos maiores, passa segurança”, disse.
NÚMEROS
Abordagens – 819

Conduções – 35
Armas brancas – 38
Armas de fogo – 4
Arma de brinquedo – 1

SAIBA MAIS

A ‘Operação Busca Implacável’ realiza abordagens a ônibus em movimento, um elemento surpresa na luta contra o crime, onde as viaturas identificam o coletivo e fazem com que ele pare no acostamento. A partir daí todos os passageiros são revistados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário